Empregos: Só não trabalha quem não quer

O movimento no Feirão de Empregos. Crise não é desculpa para não trabalhar (André Bonomini)

O movimento no Feirão de Empregos. Crise não é desculpa para não trabalhar (André Bonomini)

Em tempos de crise, reclamar que não há vagas está se tornando…desculpa! Pois é, foi exatamente o que você ouviu. Olhando bem, sempre há trabalho em diversos frontes de batalha da labuta brasileira. E para facilitar a tarefa, começou hoje e segue até sexta-feira (26/6), no setor 2 do Parque Vila Germânica, o segundo Feirão de Empregos de Blumenau, evento organizado pela Prefeitura Municipal que traz a quem precisa de trabalho uma oportunidade de voltar a ativa ou iniciar em uma boa profissão.

Estive lá nesta manhã, não apenas como um jornalista-observador, mas também atrás de um lugar onde um profissional de jornalismo pode se fazer necessário. Um evento bem concorrido, movimentado, com os mais variados perfis de trabalhadores presentes. Do recém-formado, passando por acadêmicos, pais e mães de famílias desempregados até os jovens que buscam a primeira colocação no mercado. Muitos deles, confesso, sem colocar muita fé, afinal há uma diferença em ir por necessidade ou quase arrastado atrás de ocupação.

Opções não faltavam, empresas de vários segmentos estavam presentes arregimentando novos funcionários para os quadros de trabalho nas mais variadas funções. Ainda havia a oportunidade de cadastro em diferentes modalidades de trabalho em órgãos como o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), FIESC, Serviço Nacional do Emprego (SINE), programa Menor Aprendiz da Fundação Pró-Família ou em agências de emprego e talentos presentes. Curso também era alternativa para quem buscava uma especialidade para seguir. Uniasselvi, Unicesumar e Pontinho eram as presentes nesta alternativa.

Apenas o espaço do setor 2 poderia ter sido melhor aproveitado. Conforto também faz parte (André Bonomini)

Apenas o espaço do setor 2 poderia ter sido melhor aproveitado. Conforto também faz parte (André Bonomini)

A unica coisa que pegou mesmo foi a forma como foi montado o espaço. A circulação do público era muito prejudicada pelas filas que, em dados momentos, não se sabiam para onde iam. Custava muito ter usado mais uma parte do setor 2? Não por se pensar apenas no aspecto concorrido do evento, mas um pouco de conforto a mais também é aconselhável. Sem contar que pela manhã houveram filas na entrada, mas algo normal, a procura foi acima do esperado pelo que considera a organização.

Quem ainda quer conferir e buscar uma colocação no mercado não deve perder tempo. O segundo Feirão de Empregos movimenta o setor 2 da Vila Germânica ainda nesta sexta-feira, das 9h às 18h, e a entrada, ainda bem, é franca.

Deixe uma resposta