São Cristóvão te acordou?

Desfile de São Cristóvão no Progresso..rotina anual dos moradores do Garcia que acompanham o passar dos carros, motos e caminhões em peregrinação atrás do padroeiro (André Bonomini)

Desfile de São Cristóvão no Progresso..rotina anual dos moradores do Garcia que acompanham o passar dos carros, motos e caminhões em peregrinação atrás do padroeiro (André Bonomini)

Domingo, 12 de julho. 13 dias antes do Dia do Motorista, celebrado pela passagem, na Igreja Católica, do dia de São Cristóvão, padroeiro daqueles que fazem do volante, seja carro, moto ou caminhão, a principal ferramenta diária de trabalho. Não por menos, as comunidades católicas que tem o santo como padroeiro aproveitaram a data conveniente para celebrarem a data com as já tradicionais festas, como sempre é feito ano após ano.

E como todos os anos, desde que Blumenau e o Vale se conhecem por gente, as festas tem como alvorada o buzinar de motoristas, devotos ou não, que saem pela manhã do domingo da festa em uma grande carreata, numa demonstração de reverencia ou cumprimento aos motoristas amigos que assistem a procissão até a igreja. Uma, digamos, bagunça controlada que chama a atenção de todos a volta, seja quem respeita, seja quem odeia.

Neste domingo, tanto a comunidade de São Cristóvão no Salto Weissbach quanto a do Progresso repetiram a velha tradição e conduziram pelas ruas o tradicional passear dos motoristas. Nos meus jovens 25 anos de idade, acabei me acostumando e muito com o desfile, assim como tantas famílias residentes nas imediações do trajeto que chegam a se mobilizar na rua para ver os carros passando atrás do santo padroeiro. Com perdão ao amigo leitor, mas algo que me emociona em momentos, apenas deixando escapar meu lado católico.

Moradores da Rua Guarapari acompanham a passagem dos carros rumo a igreja. Há quem espera e há quem espera...passar logo as buzinas (André Bonomini)

Moradores da Rua Guarapari acompanham a passagem dos carros rumo a igreja. Há quem espera e há quem espera…passar logo as buzinas (André Bonomini)

No entanto, os anos passaram, e as famílias mudaram com o tempo. Muitos hoje não consideram nem um pouco mais justo uma celebração deste porte pelas ruas. A primeira reclamação é, quase sempre, a unânime: O buzinaço. Imagine o cidadão desprevenido pego de surpresa numa manhã de domingo por uma carreata repleta dos mais variados sons de buzina possíveis. As redes sociais tem se tornado o depósito das reclamações dos órfãos do sono dominical, que todo o ano neste dia disparam quaisquer adjetivos negativos contra a celebração.

Existem exageros por parte dos motoristas? Não discordo deste argumento. Ouvi relatos que há quem passe rumo a concentração já buzinando. Durante o desfile, há quem arrisque o perigoso zigue-zague, invadindo a pista contrária e assustando os motoristas incautos na outra mão da via. Excessos que infelizmente vão na contra-mão do verdadeiro motivo de se celebrar o dia de São Cristóvão, e que dão voz a quem é contrário ao desfile.

Guarda de Trânsito acompanha a carreata. Importante a presença, mas sempre é preciso controlar os excessos (André Bonomini)

Guarda de Trânsito acompanha a carreata. Importante a presença, mas sempre é preciso controlar os excessos (André Bonomini)

No entanto, quem se excede no comentário contrário deve pensar, primeiramente, no respeito que se deve ter a quem quer celebrar a data. Vive-se num país livre, em que participar ou celebrar é de livre e espontânea vontade de quem o quer ou não. Também não se vale apelar para a lei, já que o horário de começo do desfile (geralmente as 8h) não é mais horário em que o silêncio é protegido pelas normativas. Cabe apenas a Guarda de Trânsito evitar os excessos e, em matéria de barulho, vale-se muito mais ir a perseguição dos, como chama o nobre amigo Valther Ostermann, exibicionistas do som automotivo, que fazem dia a dia o verdadeiro incomodo ensurdecedor nas ruas da cidade sem motivo.

Pois sim, buzinas guardadas, carros nas garagens, o domingo de Festa dos Motoristas morre novamente prometendo voltar em 2016 com mais festa. Aos que celebram, que fique o conselho para se evitar os excessos…Aos que contrariam, animem-se. Se em um domingo teve buzinas, há outros 51 para se dormir bem.

…e Guabiruba, se prepare…em agosto é a vez de vocês!

Deixe uma resposta