“Seu” Jonas entrou para a história

Os grandes mestres que nos deram o caminho da profissão jamais esquecemos. O bom e velho Ademar Jonas Mafra é (e será sempre) um deles (Arquivo Pessoal)

Os grandes mestres que nos deram o caminho da profissão jamais esquecemos. O bom e velho Ademar Jonas Mafra é (e será sempre) um deles (Arquivo Pessoal)

Por onde vamos nestes caminhos profissionais, os mestres sempre são belas recordações. Eles que nos pavimentaram as veredas para chegar onde estamos e fazer o que fazemos e gostamos. Não é a toa que, a cada reencontro, sempre surge os sentimentos de emoção e agradecimento a todos eles que me proporcionaram chegar onde estou.

Infelizmente hoje, este sentimento de agradecimento é combinado com o doloroso pesar da despedida. As 15h desta tarde de quinta-feira (07/01), a luz do sol que some no poente levou consigo um destes mestres: O professor Jonas nos deixou precocemente e, como Getúlio Vargas nas aulas de história, saiu da vida para entrar neste mesmo lugar onde está o ex-presidente: Na história.

Ademar Jonas Mafra, 45 jovens anos de sabedoria, era um cidadão pra frente, sempre sorridente e comprometido com o ensino pleno da história nos corredores da boa e velha EEB Padre José Maurício, onde estudei em meus 12 anos escolares. O conheci em 2001, na quinta série (quinto ano no linguajar camaleônico do Governo de SC atual), e apenas meio-ano de aula foi suficiente para criar uma amizade. Lembro-me bem da chegada dele, substituindo o professor titular daquele ano que estava de saída do colégio. Nas aulas daquele fim de ano, as Capitanias Hereditárias, o Tratado de Tordesilhas e assuntos afins. E eu, inocente CDF ainda, comecei a garrar o gosto pela história que até hoje me permeia.

Jonas era dedicado, cumpria exemplarmente o plano de aula e era uma exceção bem-vinda entre os professores da disciplina que lecionava. Normalmente, vê-se o ensino da história em sala de aula como chato, massante e fraco, isto na mente dos mais despreocupado nos estudos, claro. Mas não com Jonas. Ele mandava muito bem nas aulas, era impossível sair da sala sem saber uma linha do assunto transmitido. Até hoje, entre meus alunos da fanfarra que conduzo e conhecidos das salas do Padreco nunca vi uma única reclamação acerca de suas aulas. Um exemplo a ser seguido.

Uma das turmas do terceiro ano de 2013 conduzidas por ele. Ensino era preciso e exemplar. Sem reclamações, sobravam elogios e saudades (Arquivo Pessoal)

Uma das turmas do terceiro ano de 2013 conduzidas por ele. Ensino era preciso e exemplar. Sem reclamações, sobravam elogios e saudades (Arquivo Pessoal)

O tempo passou, nos separamos brevemente. Encontramo-nos novamente em 2012, quando assumi os trabalhos na FAJOMA (Fanfarra da EEB Padre José Maurício), eu na qualidade de coordenador-regente da banda e ele como diretor adjunto. Sempre parceiro, nunca deixou a fanfarra na mão mesmo quando faltavam chaves para abrir portões. Entristecido, recebi a notícia da saída dele da função em fins de 2014. E eu, inocente, achando que era uma substituição natural.

Não o era. Um câncer devastador estava querendo lhe render. Ele lutou bravamente com todas as forças possíveis contra a doença. Mesmo que as notícias não ajudavam, Jonas ia em frente e as orações o empurravam, dos amigos professores e alunos. Infelizmente, a vida, que também dá belas reviravoltas a nosso favor, dá lá seus golpes violentos e nos tira do convívio grandes amigos. Seu Jonas entrou para a história, despediu-se de nós tão cedo, mas certamente será lembrado em todos os corredores do bom e velho Padreco.

Deste amigo jornalista e maestro, fica meu cumprimento e minha gratidão. Se na minha caminhada no mundo da informação tenho a história como hobby e complemento das notícias e pesquisas, ela se deve a pessoas como o senhor, Jonas. Um dia nos encontraremos, Deus assim bem querendo.

Até breve, Jonas! Você agora entrou para a história. A gloriosa história!

12 comentários sobre ““Seu” Jonas entrou para a história

  1. Nossa muito triste, nosso país precisava de mais mestres como Ele e não menos, nessas horas que não entendemos por que certas coisas acontecem com pessoas que fazem q diferença, mais a vida é assim nos pregandos essas peças.
    Que Deus conforte a família!

  2. nossa o que falar desse professor fantástico querido simpático adorado por todos eu era aluna dele na 5 serie nao to lenbrada o ano mas eu adorava ter aulas cm ele era um ótimo professor adorava ele mas por torcer pelo mesmo time que eu santos nh vc sempre vai ficar pra história professor jonas

  3. André,
    fiquei surpreso com essa noticia do falecimento desse nobre professor o Jonas como era conhecido. Preciso aqui confessar, em 1995 quando tive que sair do Pedro II ele me substituiu. Depois quando sai do Padre José Mauricio, também ele me substituiu.
    Lamentamos o falecimento deste nobre professor.
    Sentimentos da família Day.
    Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau.

  4. Grande professor foi o melhor .
    Tive aulas com ele no pedro II , me ajudou bastante e oque eu mais recordo foi que ele acreditou em mim
    Pois eu tinha sido convidado a me retirar do colegio e ele como me conhecia como aluno me ajudou e eu tive uma segunda chance no colegio, depositou sua confiança em mim e me ajudou entre outras veses na aula tbm ,um grande professor e com certeza uma grande pessoa.
    Apoiava nossa turma no futebol da sala e semorecestava a disposiçao.
    Va com Deus Prof Jonas.
    Muito obrigado pelovseu ensinamentos.

  5. Foi com profundo pesar que recebi a notícia da perda deste colega de profissão. Estivemos juntos na EBM Julia Strzalkowska e em outras ocasiões. Sempre amigável e fraterno amigo será insubstituível. Pêsames a toda família.

  6. Mt triste com essa noticia, Um cara sempre com uma sorriso no rosto, ajuda
    Hoje me tornei isso pq ele que me fez assim
    A gente nunca esquece de um anjo, de um guerreiro
    Nao tive tempo de visitar ele no hospital, me arrependo por isso que todo mundo fala que a gente tem que faser tudo pra nao se arrepender
    Mas agradeco de coraçao o que so hoje por causa dele
    Abraço professor jonas
    Esteja com deus, e guie nossos caminho

  7. Conheci meramente o professor Jonas como vizinho, e na minha profissão de taxista, tive a oportunidade de serví-lo uma vez. A sua educação e a sua serenidade me chamaram a atenção. Porém, algum tempo depois, fui sabedor que o mesmo não morava mais na mesma casa.
    Mas, na minha concepção de vida, eu vos digo que as pessoas especiais não desaparecem, elas somente mudam de um endereço para outro melhor e muito mais superior.
    Que Deus o receba em Seus braços e que descanse em paz.
    Amém.

  8. Foi professor de minha filha, segundo ela, um ótimo professor. Tive a oportunidade de confirmar tal informação em uma tarde de aula, como PAP.

  9. irmao maravilhoso pai exemplar marido exelente ,filho amoroso amigo e vizinho admiravel sinto muito orgulho de ser irma desse cara q so nos trouxe alegria nesses seus 45 anos de vida

  10. bah…que notícia triste. Meus pêsames e minhas orações para toda a família que fica. Jonas, grande persona (pessoa), professor verdadeiramente, único e insubstituível, para sempre!

Deixe uma resposta