Videotape n’A Boina nº12 – Disney Channel e seu duro padrão para os pré-adolescentes

(Reprodução)

(Reprodução)

(Lucas “Luke” Baldin)

Hello, Videotapers! Como estão vocês?

Nesta edição venho dar a minha panorâmica sobre o padrão de comportamento que os seriados produzidos e exibidos pelo canal do Mickey, o Disney Channel, apontam em seus personagens e situações. Sou muito fã da empresa e estou louco para ler o livro Se Você Pode Sonhar, Pode Fazer escrito pela equipe que esteve e está envolvida na magia dos parques da Disneylândia. Mas é hora de abrir os olhos para algumas coisas.

Bem, da onde surgiu essa ideia? Eu sempre fui muito fã dos programas do DIsney Channel e sempre gostei de como as estrelas dos shows do canal eram lindas, perfeitas e talentosas. Todos eram populares e ser nerd? Era algo desprezível. Aí começa o erro! A caixinha de comportamento social que o canal da Walt Disney Company vende é muito apertada para seus jovens telespectadores se encaixarem. E em uma discussão com o André sobre as pautas da temporada 2016 do Videotape n’A Boina, surgiu a ideia: Vamos falar de como é duro os padrões da Disney (enquanto canal de televisão).

Hannah Montana: De 2006 à 2011 o mundo acompanhou as fúteis aventuras de como Miley Stuart se transformava em Hannah Montana, a celebridade perfeita, e conseguia toda a atenção para si mesma, até de seu irmão mais velho (o típico pateta) e seus amigos (a esqueitista que não gosta de coisas de menina e o burrico sem graça) (Reprodução).

Hannah Montana: De 2006 à 2011 o mundo acompanhou as fúteis aventuras de como Miley Stuart se transformava em Hannah Montana, a celebridade perfeita, e conseguia toda a atenção para si mesma, até de seu irmão mais velho (o típico pateta) e seus amigos (a esqueitista que não gosta de coisas de menina e o burrico sem graça) (Reprodução).

Deixando mais uma vez claro: Não me refiro a Walt Disney Pictures, mas sim ao Disney Channel. Provavelmente boa parte dos leitores vai ficar boiando sobre como são os seriados da Disney. Mas será um tanto quanto fácil resumir os enredos sem dar nome aos bois.

Na visão dos produtores Disneynianos: Todos são lindos. Espinhas e pele ruim? Pfff…. Os adolescentes não tem esse lance de acne. Todos tem celulares modernos e problemas financeiros são coisas que ali não existem. Os únicos problemas são com as pessoas não-populares. Resumidamente a maioria dos programas são isso. A esteriótipos, personagens rasos e histórias resumidas a dramas fúteis, personagens rasos e histórias resumidas a dramas fúteis.

Liv And Maddie: Com inicio em 2013 e ainda no ar, as gêmeas que batizam o seriado são totalmente diferentes uma da outra, Liv é artista (ah vá) e a Maddie é a esportista do colégio. Com um irmão espertinho e outro nerd (que sempre é rotulado como o esquisito), é entendido que você só será artista se for fútil e se você for o esportista da escola namore o/a popular da turma (Bruce Birmelin Disney Channel/ via Getty Images)

Austin & Ally: Um dos sucessos que ficou de 2011 à 2016 fazendo jovens pelo mundo descobrir o amor pela música e pela composição. Mas é só assim que se pode viver a vida? De acordo com a Disney, sim. Não existe plano B. Você só vai ser feliz se for famoso. Aham, senta lá, Disney! (Reprodução)

Eu ainda tenho o costume de assistir aos programas da Disney, pois gosto de ver as piadas e até que são bons os produtos televisivos. Pra você que está achando que eu odeio a Disney, estou longe de odiar, admiro muito. Mas como sou um ser pensante, como todos nós deveríamos ser, refleti sobre e cheguei a conclusão de que os programas pensam apenas em descrever a vida dos populares.

Programas em que só é alguém se você for alguém popular na escola na escola (ambiente frequentemente utilizado em grande parte das séries). Nerds e pessoas de grupos alternativos são vistos como pessoas esquisitas e merecedoras de desprezo.

Livie And Maddie: Com inicio em 2013 e ainda no ar, as gêmeas que batizam o seriado são totalmente diferentes uma da outra, Livie é artista (ah vá) e a Maddie é a esportista do colégio. Com um irmão espertinho e outro nerd (que sempre é rotulado como o esquisito), é entendido que você só será artista se for fútil e se você for o esportista da escola namore o/a popular da turma.(Disney Channel / Craig Sjodin)

Liv And Maddie: Com inicio em 2013 e ainda no ar, as gêmeas que batizam o seriado são totalmente diferentes uma da outra, Liv é artista (ah vá) e a Maddie é a esportista do colégio. Com um irmão espertinho e outro nerd (que sempre é rotulado como o “esquisito”), é entendido que você só será artista se for fútil e se você for o esportista da escola namore o/a popular da turma. (Disney Channel / Craig Sjodin)

Bem, é isso. Hoje já sou adulto e aos meus 21 anos, já entendo que a vida se resume a coisas maiores do que popularidade, cabelo arrumado, roupas caras e celular moderno. A vida se trata de trabalhar em conjunto o exterior e o interior. A vida é sobre vencer os desafios, saber que as vezes é preciso contar apenas com nós mesmos.

Para crianças e adolescentes torna-se perigoso de certa forma não limpar a mente da lavagem que o Disney Channel realiza com seus programetes. Os nossos jovens se inspiram naquilo que olham por aí e, na boa, ninguém é do jeitinho utópico que o senhor Mickey diz. A Disney é realmente mestre no que faz, mas está na hora de deixar os bonecos de plástico saírem da tela, para seres humanos de verdade rirem da vida com seres humanos de verdade.

Luke para A BOINA encerrando a transmissão. Até semana que vem!

Um comentário sobre “Videotape n’A Boina nº12 – Disney Channel e seu duro padrão para os pré-adolescentes

  1. Vc falou tudo. Também jamais segue o estilo piramidal das empresas!! É muito mais temida que Nick, Gloob e independentes juntos!!!

Deixe uma resposta