Fabrício Wolff em A BOINA: Resposta a presidente Dilma

Fabrício Wolff)

(Fabrício Wolff)

(Fabrício Wolff)

Prezada presidente.

Com todo o respeito que um cidadão de bem tem por uma autoridade pública, embora algumas autoridades estejam demonstrando claramente em Brasília que não são merecedoras deste respeito, peço que a senhora tenha a consciência e a humildade de entender a resposta das ruas que lhe foi dada na manifestação do último dia 13. O recado foi claro, nem demanda interpretação. Ele pede a sua saída da presidência, do seu partido, a investigação dos atos corruptos por vocês cometidos e a prisão dos (ir)responsáveis.

De quebra, pede um novo país, com governantes comprometidos com os anseios da população, sem jogadas corruptas seja para beneficiar pessoas ou campanhas políticas. O povo, inclusive o mais humilde, que seu partido tanto enche a boca para dizer que defende, pede um basta. E, entendamos bem, pede um basta da corrupção, da do PT e de todos os demais partidos políticos. A manifestação não teve apoio a políticos; apoiou as instituições que trabalham legalmente pelo fim da corrupção que corrói esta nação.

(Fabrício Wolff)

(Fabrício Wolff)

A senhora como presidente da República pode se mostrar mais inteligente do que o ex-presidente Lula – o que não deve ser muito difícil – e da grande maioria de seus correligionários que tentam diminuir a voz das ruas chamando os manifestantes de coxinhas, como se todos fossem a elite. Tirando quem recebe bolsa família, absolutamente todos os brasileiros estão pagando cada centavo da conta da corrupção, da malversação do dinheiro público, das mentiras de sua campanha eleitoral e da profunda crise institucional e, por consequência, econômica que este estado de coisas impeliu a todos os brasileiros.

É verdade que os empresários que pagam impostos escorchantes sem que ninguém veja o retorno disto estão sendo prejudicados, mas é muito mais verdade que o trabalhador que paga o aumento de produtos em supermercado e que vê cada vez mais de perto o fantasma do desemprego – se é que já não foi assombrado por ele – sofrem ainda mais. Todos estamos perdendo e a culpa é sua, de seu partido, de maus políticos também de outros partidos e da curta visão de governo e estadismo que todos vocês, juntos, conseguem ter.

(Fabrício Wolff)

(Fabrício Wolff)

Diante de tudo isto e da falta de capacidade que seu governo e os filiados de seu partido tem em compreender a realidade do momento, tentando diminuir o clamor popular com um fanatismo insano e a idolatria a um personagem (que, diga-se de passagem, claramente obteve benefícios escusos com sua passagem pela presidência da República), sugiro à senhora que renuncie ao mandato. É o caminho mais curto para o bem social, para o bem das pessoas deste país. É o caminho mais curto para a retomada da economia, para a volta dos empregos às pessoas. É o caminho mais curto para que tanto nós, brasileiros, quanto a comunidade internacional, possa voltar a acreditar neste país chamado Brasil.

Seja estadista ao menos uma vez, presidente Dilma! Mostre que a senhora é melhor que aqueles que tentam minimizar os fatos apurados pela Polícia Federal, Ministério Público e Justiça. Evite a vergonha de termos que ver movimentos de apoio a tudo isto que está aí, como o que os “movimentos sociais” sustentados pelo nosso dinheiro de impostos e insuflados pela CUT e PT teimam em fazer no dia 18. Embora democrático, isto é extremamente dispensável em um país cuja moral está em frangalhos – e a senhora sabe bem por quê. Quanto mais vamos aprofundar este crise? Os brasileiros precisam mesmo passar por tudo isto?

(Fabrício Wolff)

(Fabrício Wolff)

Renuncie, presidente Dilma! Renuncie e coloque o seu nome na história como a presidente que evitou o pior, o fundo do poço, o caos total. Renuncie e faça com que seus filhos, netos e demais descendentes possam, um dia, ter um mínimo de orgulho da familiar que um dia governou este país.

Deixe uma resposta