Ponto Geek (.Geek) – O agradável mundo nerd dos cardgames, tabuleiros e animes… em Blumenau

Um cantinho na cidade-jardim onde os nerds tem vez, onde o jogo de tabuleiro é lei e onde os aficionados por animes, cardgames, RPG e outros elementos deste mundo se encontram. Eis o Ponto Geek .Geek), que A BOINA apresenta hoje! Arquivo / Ponto Geek)

Um cantinho na cidade-jardim onde os nerds tem vez, onde o jogo de tabuleiro é lei e onde os aficionados por animes, cardgames, RPG e outros elementos deste mundo se encontram. Eis o Ponto Geek (.Geek), que A BOINA apresenta hoje! Arquivo / Ponto Geek)

Rua Floriano Peixoto, 27, sala 201 do Edifício Dóra Helena… Antes da gente pousar neste endereço, preciso contar uma breve história, com um pouco de drama,
emoção e superação. pode ser? Okay!

Há alguns anos atrás, um nerd numa escola pública ou particular era quase um marginal diante de tantas outras tribos que pipocavam naqueles tempos. Quase
sempre, eram os queridinhos dos professores, amantes dos quadrinhos e aventuras
de super-heróis e animes, fanáticos por games e filmes, mas que eram para a turma toda os párias, sempre solitários (ou nem tanto acompanhados) nos dias de aula. Isto ainda que naquele tempo o termo bullying nem constava no dicionário.

Mas, se você pensa que era uma vida difícil por conta dos seus hábitos (estranhos
para muitos) até pode lhe soar assim, mas o tempo passou e o nerd saiu dos guetos escolares e sociais e virou estilo, uma forma de ver o mundo com mais ação, atitude e, claro, inteligencia. Falo seguramente isso pois este jornalista já foi um nerd no passado, e hoje considera-se uma espécie de veterano de outros tempos, por ai…

Em Blumenau, esta explosão nerd de cores, figuras de ação, jogos e batalhas épicas num universo particular encontra sim seus adeptos, e não são poucos. Nas livrarias, fliperamas, lojas de games, revistarias e em eventos de animes ou da cultura pop eles estão la, longe de serem os zumbis e párias há tanto tempo estigmatizados pelos filmes de Hollywood.

E para quem sente-se longe dos semelhantes (como eu me senti), a cidade-jardim tem encravado naquele endereço que dei no início desta matéria um reduto, onde ser nerd não levanta piadas e onde nerds de várias idades encontram-se. Trata-se do alegre Ponto Geek (ou .Geek, para os detalhistas), aberto em outubro de 2015 e tocado com energia por um casal de amigos que A BOINA teve a honra de ver (e rever) para contar esta história de sucesso que vai muito além das cartilhas do Sebrae.

Fê e Fred – A origem

Fê e Fred: De caminhos distintos para um recanto nerd encravado no Centro blumenauense, procurado por jovens e até pelos "velhos" JSC)

Fê e Fred: De caminhos distintos para um recanto nerd encravado no Centro blumenauense, procurado por jovens e até pelos velhos (Arquivo / Ponto Geek / JSC)

O casal em questão tem no sangue a cultura nerd, mesmo que você não os conheça, não tem como não se sentir encantado e bem acolhido na presença da dupla. O primeiro é o jovem sorriso Frederico de Oliveira Gonçalves, que para encurtar o nome pomposo quase da nobreza, vamos apenas chama-lo pelo acrosticante apelido de Fred. Um cidadão alegre e boa prosa com passagem pelas fileiras da UFSC mas que fez do universo dos jogos e RPGs muito mais do que um gosto, mas um caminho profissional.

A segunda integrante desta dupla de dois tem um sobrenome que respira história
na cidade-jardim, é adornada por madeixas laranjas e não deixa ninguém desavisado sobre o jeito carinhoso e cheio de atitude. A serelepe Fernanda Luiza Koffke, bisneta do grande Carlos Koffke, um dos primeiros proprietários de supermercado da cidade, em loja que era localizada onde hoje está a Câmara Municipal.

Tá certo, não casa com assunto. Mas se você não conhece a antiga casa comercial de Carlos Koffke, dá uma olhada num pitaco ai (filme produzido entre 1950 e 1966 e que, em breve, estará em destaque no quadro ANTIGAMENTE, aqui em A BOINA!):

Ambos seguiam caminhos diferentes na vida até cruzarem-se pelos corredores da filial do Shopping Park Europeu da Livraria Blulivro, onde trabalhavam e, ao mesmo tempo, criavam maneiras de reunir e interagir com os adeptos da cultura na cidade. Destas iniciativas, quase a conta-gotas, foi onde nasceu um espaço próprio que é hoje o Ponto Geek, que abriu na data mais provável para um bom nerd abrir uma loja: 31 de outubro, um corriqueiro Halloween. A ideia inicial, na realidade, era trabalhar apenas com venda online. Mas como ambos gostamos bastante de jogar, sentíamos a necessidade de algum lugar em Blumenau que proporcionasse isso à outros “players”. Acabamos optando por abrir uma loja física, explica Fê.

A loja nos primeiros dias. Aberta em outubro, já tinha uma movimentação intensa nos dias e horários que estava aberta Arquivo / Ponto Geek)

A loja nos primeiros dias. Aberta em outubro, já tinha uma movimentação intensa nos dias e horários que estava aberta (Arquivo / Ponto Geek)

Pode parecer uma ideia só de jovens, gente nova como eu e você, gamada por jogos, filmes e livros de magia e ação. Mas engana-se você que esta cultura pega apenas nos novos. Muita gente pra lá dos 30, 40 anos, se não vem trazer os filhos, vem mesmo pra batalhar com cards Pokemon ou jogar um War no bom e velho tabuleiro. É um universo que não restringe idades e, muito menos, filosofias, mas chama todo mundo junto para a diversão. Tem-se essa imagem de jovem, mas gente de outras faixas etárias, não muitos mas alguns, tem vindo a loja também. Algo que tem nos surpreendido, conta Fred.

Uma visita ao Dóra Helena, sala 201

Fachada do Edifício Dóra Helena, número 27 da Floriano Peixoto, ainda nos tempos da Ponto Alto Modas. Ponto Geek fica exatamente neste prédio, discretamente no segundo andar Reprodução, Google Maps)

Fachada do Edifício Dóra Helena, número 27 da Floriano Peixoto, ainda nos tempos da Ponto Alto Modas. O Ponto Geek fica exatamente neste prédio, discretamente no segundo andar Reprodução, Google Maps)

Deslumbrado com essa energia que rolava por la, há algum tempo A BOINA estava
planejando a visita ao reduto nerd, quase como uma volta as origens do tempo de escola. Depois de tanto adiar, A BOINA bateu o pé e foi visitar este cantinho encravado no centrão da cidade. Era quase noite quando cheguei, o Ponto Geek, a primeira vista, soa discreto, mas a descrição até faz parte do conforto de quem lá está, como me explicaria Fred algum tempo depois.

Primeira sala de jogos: Tabuleiros, mangás, quadrinhos e camisetas. Tudo bem organizado e municiado para os visitantes que vem as compras ou aos jogos! Ah, e neste mesmo lugar fica o mais importante: O banheiro! Arquivo / Ponto Geek)

Primeira sala de jogos: Tabuleiros, mangás, quadrinhos e camisetas. Tudo bem organizado e municiado para os visitantes que vem as compras ou aos jogos! Ah, e neste mesmo lugar fica o mais importante: O banheiro! Arquivo / Ponto Geek)

Depois de uma rápida palavra no interfone, lá estava. Sala 201, um espacinho pequeno mas com muito calor humano. O próprio Fred me recebera muito calorosamente, uma recepção que até me pegou desprevenido. Afinal, de boina, você poder qualquer cidadão depois dos 40. Tão imediatamente, partimos para um tour pela loja, bem organizada e muito bem frequentada. Em uma sala, estão os jogos de tabuleiro, quadrinhos e mangás, além das camisetas, os verdadeiros cartões-de-visita do mundo geek. Alguns dos jogos estão disponíveis para serem desfrutados ali no local mesmo pelos players que por ali passam. Ah, e sem esquecer o mais importante no local: O banheiro!

Na banca de entrada, além do bom e velho caixa, o sem-número de cards, chaveiros e outros "quitutes", as boas e velhas guloseimas (Fê Koffke / Ponto Geek)

Na banca de entrada, além do bom e velho caixa, o sem-número de cards, chaveiros e outros “quitutes”, as boas e velhas guloseimas (Fê Koffke / Ponto Geek)

A direita da entrada, aquilo que mantém a roda funcionando: A banca de guloseimas. Junto delas, um sem-número de cards de várias séries e sagas, sendo Pokemon uma das presenças mais marcantes do espaço. Não muito recente, a visita foi feita alguns dias depois da famosa série anime e da Nintendo ter completado os 20 anos de existência. Seguindo adiante na sala, mais uma sala de jogos, com TV e, claro, mais guloseimas (um bom nerd tem que se manter bem nutrido nas batalhas).

Naquela sala de jogos, por detrás de uma singela porta, uma outra sala com cara de salão comunal por conta da mesa de sala de jantar que lá está. Lá, eventos especiais são feitos periodicamente, Pokemon é um dos carros-chefe, com torneios organizados sempre com grande público.

12670183_1671399299799769_1872253731430873581_n

Nos dias de torneio, especialmente os de Pokemon, lotação quase máxima, muito movimento e emoção. Abaixo, a turma no 1º City Pokemon de Blumenau (Fê Koffke / Ponto Geek)

1º City Pokemon de Blumenau

E você ai, amigo nerd ainda isolado, deslumbrado e que não sabia de um ponto
como esse em Blumenau… Agora sabe! Mas vamos continuar o papo…

Um bate-papo: Aficionados, recordações e tabuleiros

Algum tempo trocando informações com Fred e observando o movimento constante do espaço (o que surpreendia pelo dia da visita, que não era uma sexta-feira), Fê retornou ao local. Foi um reencontro de amigos, confesso ao leitor. Há algum tempo, eu e ela cursávamos a mesma faculdade – Jornalismo, é claro – nas fileiras do IBES Sociesc. Depois de três semestres, Fê deixou o mundo da notícia para seguir o Serviço Social na FURB, curso que também não terminou. Depois de várias andanças e experiencias até no meio publicitário, a reencontrara ladeada do grande Fred neste fantástico espaço verde-e-laranja, e a entrevista fluiu mais como um bate-papo de amigos.

A segunda sala de jogos, com TV, videogame, geladeiras e maaais guloseimas. No dia da visita, a surpresa do movimento num dia que não era fim de semana (Fê Koffke / Ponto Geek)

A segunda sala de jogos, com TV, videogame, geladeiras e maaais guloseimas. No dia da visita, a surpresa do movimento num dia que não era fim de semana (Fê Koffke / Ponto Geek)

A grande sala, com cara de mini-salão comunal. Torneios e eventos especiais são feitos aqui (Fê Koffke / Ponto Geek)

A grande sala, com cara de mini-salão comunal. Torneios e eventos especiais são feitos aqui (Fê Koffke / Ponto Geek)

O que mais chamava atenção foi, justamente, os jogos de tabuleiro. No Ponto Geek, eram os mais marcantes nas mãos dos jovens que lá estavam, atentos a cada movimento dos adversários, seja nas peças ou nas cartas. Pessoas curiosas e aos montes, que não deixavam de dar vida aquele cantinho da Floriano. Sempre tem gente, e estão sempre dispostos, tanto a jogar os jogos que estão habituados, quanto à aprender novos jogos. É um publico que tem a mente aberta e curiosa, gosta de aprender novos jogos. Os jogos de tabuleiro são um sucesso, sem sombra de dúvida, contava Fê.

No entanto, desde o começo da visita algo me permeava a mente. Numa constante revolução tecnológica que vivemos, o jogo de tabuleiro estaria condenado a ser peça de museu diante dos cada vez mais realista jogos eletrônicos? A resposta de Fred me deixou plenamente respondido. Esta modalidade de diversão evolui como toda outra, assim como é o jornal e o radio no jornalismo moderno, num melhor comparativo. E os tabuleiros, além de serem muito mais na mão estão também eles dando as mãos a tecnologia.

ludus_2

O insubstituível tabuleiro sobrevive pelos anos e vai tomando diversas formas e meios de interação com a nova tecnologia. Mas ainda saindo a frente com algo que não se pode ser substituído pelos games virtuais: A sensação de tocar, sentir e viver a emoção de forma mais real possível (Reprodução)

Muitos de nós somos adeptos da tecnologia, mas sabemos bem como e quando utilizar, bem como dosá-la. Existem inclusive jogos de tabuleiro com interação com aplicativos de celular. A união de ambos torna-os mais atrativos e deixa tudo muito mais dinâmico e divertido, explana Fred.

Fê também complementa, aproveitando para deixar clara aquela vantagem especial que o tabuleiro ainda tem para com a tecnologia. A parte principal (desta vantagem) seria a interação humana. Sei que existem jogos online que podem funcionar via Skype e outros meios de comunicação, mas não tem comparação com a experiência de você convidar alguém pra jogar e sentar-se junto à ele numa mesa, com um tabuleiro enorme entre vocês, explica.

Observando o ambiente, fora do nosso alegre bate-papo, realmente tive que dar a mão a palmatória e confirmar pela primeira vez com os próprios olhos que o mundo nerd mudou muito, é mais intenso, mais alegre e com um toque de ironia que só a vida pode dar a eles. Para quem já foi deste bando de marginais do passado, chega a ser quase como ver os filhos de uma geração passada serem eles mesmo sem medo de ser felizes, e divertirem-se com os amigos, parceiros de batalha e de saga pelas curvas dos tabuleiros neste lugar especial que existe sim em Blumenau.

Para quem ficou curioso ou para o amigo e irmão nerd ainda a procura de um bom espaço para compartilhar gostos e viver grandes batalhas nos tabuleiros, o Ponto Geek funciona de terça-feira a sábado das 11h às 22h e aos domingos, das 14h às 20h. Há apenas uma pequena e carinhosa taxinha para o jogo de tabuleiro, cardgame ou RPG. É apenas dar um alô no interfone para se sentir convidado a diversão.

Quem quer saber mais pode dar uma chegada na fanpage do Ponto Geek no Facebook. E já digo por antemão, mesmo que seja uma passada breve por cinco minutos, estar lá é como mergulhar em uma grande aventura. guiados por um bom casal de guardiões e cercados por amigos prontos para os grandes obstáculos entre os dados e cards em cima da mesa.

Assim é o Ponto Geek, um pequeno universo nerd dentro da multicultural Blumenau. Até a próxima visita… ou aventura… amigos!

Um comentário sobre “Ponto Geek (.Geek) – O agradável mundo nerd dos cardgames, tabuleiros e animes… em Blumenau

  1. Pingback: Antigamente: O “rancho do mês” nos tempos do Carlos Koffke | A Boina

Deixe uma resposta