Blumenauer Zeitung – Digitalizado o primeiro jornal blumenauense

Exposto como sempre num dos livrões do Arquivo Histórico, o fabuloso Blumenauer Zeitung agora é digital e a pesquisa pode ser acessada com mais facilidade pelos estudiosos e curiosos da história de Blumenau O Blumenauense)

Exposto como sempre num dos livrões do Arquivo Histórico, o fabuloso Blumenauer Zeitung agora é digital e a pesquisa pode ser acessada com mais facilidade pelos estudiosos e curiosos da história de Blumenau O Blumenauense)

18.025 páginas repletas de uma história que está ávida para ser descoberta e estudada, tudo preservado agora na mais alta tecnologia e acessível ao  público e apaixonados pela história de Blumenau. Acha muito? Pois é muito mesmo, e tanto este jornalista como tantos aficionados pelo resgate do passado temos muito a bater palmas e pesquisar.

É que o Blumenauer Zeitung agora é disponível em versão digital nas dependências do sempre firme Arquivo Histórico Prof. José Ferreira da Silva. O processo de digitalização do primeiro jornal da cidade foi de responsabilidade de uma empresa paulista e resgata fatos e curiosidades que marcaram a cidade em seis décadas, especialmente contando a partir de um tempo onde a cidade ainda não era um município declarado.

Hermann Baumgarten, pioneiro de nossa imprensa Reprodução)

Hermann Baumgarten, pioneiro de nossa imprensa com o jornal que noticiaria, entre tantos fatos, a emancipação de Blumenau, anunciada em 1880 e só concretizada em 1883 (Reprodução)

Fundado da iniciativa pioneira de Hermann Baumgarten, o Blumenauer Zeitung  foi colocado em circulação em 1º de janeiro de 1881, dois anos antes da instalação oficial do município, em 1883. Nele, diversos acontecimentos da história da cidade foram noticia, dentre elas a emancipação oficial de Blumenau, que só pode acontecer quatro anos depois do anuncio feito pelo governo da então Província de Santa Catarina, à época comandada por Antônio de Almeida e Oliveira, por conta da terrível enchente que ocorreu em 1880, a maior da cidade, com 17,10m.

Isto fora acontecimentos referentes a Primeira Guerra, a Revolução de 1930, o início do desmembramento da cidade em 1934, a passagem dos dirigiveis Zepelin e Hindenburg pelo município em 1934 e 1936 e tantos outros fatos. Tudo isso e outras tantas curiosidades de um outro tempo do jornalismo e da vida citadina estão agora as mãos de todos, permitindo a preservação das páginas originas na Hemeroteca Hermann Baumgarten e um estudo mais minucioso do conteúdo das notícias.

Assim como o Blumenauer Zeitung, o Der Urwaldsbote Mensageiro da Floresta)...

Assim como o Blumenauer Zeitung, o Der Urwaldsbote (Mensageiro da Floresta)…

...e o Immigrant são registros de um tempo ainda carente de estudos e pesquisas para a história de Blumenau Reprodução)

…e o Immigrant são registros de um tempo ainda carente de estudos e pesquisas para a história de Blumenau (Reprodução)

O Blumenauer Zeitung, assim como o Der Urwaldsbote (Mensageiro da Floresta) e o Immigrant, são quase como o tríduo jornalístico histórico da cidade. Sumariamente importantes hoje como documentos imortais de registro de nossa história em um período que muito anseia-se ser estudado, pesquisado e analisado nos detalhes por suas características únicas e, especialmente, pela carência de documentos que detalhem este momento da vida blumenauense. Uma prova mais do que concreta de que o jornalismo é um registrador máximo de histórias e cujo papel neste sentido enriquece ainda mais a reflexão do passado para o pensamento do presente e a projeção do futuro.

A última edição do Blumenauer Zeitung foi aos jornaleiros em 2 de dezembro de 1938, minado pelas leis nacionalistas instituídas no Estado Novo de Getúlio Vargas.

No Arquivo Histórico: Depoimento e comprovação da história

Suely Petry, Sylvio Zimmermann e o precioso livrão: Seis décadas de fatos e histórias agora em arquivos digitais para novos estudos O Blumenauense)

Suely Petry, Sylvio Zimmermann e o precioso livrão: Seis décadas de fatos e histórias agora em arquivos digitais para novos estudos (O Blumenauense)

A BOINA esteve no Arquivo Histórico, em uma alegre reunião que encontravam-se a Diretora do AH e historiadora, profa. Sueli Petry; o então presidente da Fundação Cultural, Sylvio Zimmermann; e a professora, jornalista e amiga deste espaço, Rosemeri Laurindo. Brevemente conferindo os conteúdos do jornal, A BOINA pode conferir notícias e ordens curiosas.

Dentre elas, uma determinação da prefeitura para que os moradores cuidassem das calçadas e sarjetas fronteiras as próprias residências e um um anuncio do então Partido Nazista, convocando pessoas para a filiação. Impressionante e isto é apenas uma palhinha do que pode ser descoberto e complementado em pesquisas daqui para frente.

O encontro foi registrado em uma fabulosa matéria da RICTV Record, com reportagem da talentosíssima e simpática Ketrin Raitz, juntamente com o cinegrafista gente boa André Pofahl. Confira e conheça mais sobre o projeto (com depoimento deste jornalista):

3 comentários sobre “Blumenauer Zeitung – Digitalizado o primeiro jornal blumenauense

  1. Parabéns André por mais esta bela postagem sobre o nosso primeiro Jornal de Blumenau o Zeitung.
    Parabéns também a professora Sueli Petry e Sylvio Zimmermann.
    Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau.

Deixe uma resposta