Gramming & Marbles (MotoGP): Na Argentina, Márquez vence em corrida com final maluco

Marquez ressurge. Depois de prova apagada no Catar, espanhol da Honda dá as cartas na Argentina,  em corrida emocionante, tumultuada e com o final maluco entre as duas Ducati (Honda)

Marquez ressurge. Depois de prova apagada no Catar, espanhol da Honda dá as cartas na Argentina, em corrida emocionante, tumultuada e com o final maluco entre as duas Ducati (Honda)

(Douglas Sardo)

Após a vitória de Jorge Lorenzo no Catar, a MotoGP desembarcou no circuito de Termas de Rio Hondo na Argentina, e apesar da imensa torcida local por Valentino Rossi, Marc Márquez foi quem deu as cartas, levou a melhor e assumiu a ponta do campeonato com uma atuação impecável na pista de Santiago del Estero.

Lorenzo abandonou e além de perder a liderança, viu brilhar a estrela de seu grande rival Rossi, que conseguiu um segundo lugar na base de muita sorte. A prova, no entanto, foi marcada por um final totalmente sem precedentes onde as duas motos da Ducati – Andrea Dovizioso e Andrea Ianonne – se envolveram numa carambola nas últimas curvas, jogando fora um fabuloso resultado e provocando no “Doutor” muitas risadas…

Mas, vamos la aos detalhes da prova:

Andrea Iannone e Andrea Dovizioso (segundo plano). Por conta da manobra equivocada de Ianonne, Ducati jogou fora um grande resultado em Termas de Rio Hondo (Reprodução)

Andrea Iannone e Andrea Dovizioso (segundo plano). Por conta da manobra equivocada de Ianonne, Ducati jogou fora um grande resultado em Termas de Rio Hondo (Reprodução)

Problemas nos treinos: Eletrônica e Michelin

As emoções da MotoGP na Argentina começaram logo nos treinos. Os pilotos sofreram bastante para controlar as motos, a nova eletrônica das máquinas deixando elas muito nervosas nas curvas da pista argentina. Foram várias quedas, como as dos campeões Marc Márquez e Jorge Lorenzo.

Por conta dos problemas nos pneus, a prova teve de ter troca de motos, o que causou uma salada nas fileiras da corrida (Reprodução)

Por conta dos problemas nos pneus, a prova teve de ter troca de motos, o que causou uma salada nas fileiras da corrida (Reprodução)

Mas tinha mais: os pneus médios da Michelin não estavam aguentando, e alguns pilotos passaram por sustos, com pneus traseiros dechapando. Foram várias situações de bandeira amarela, atrasando o cronograma de classificação. Chegou a se cogitar a hipótese de não haver corrida, por questões de de segurança. Outra opção seria obrigar todos os pilotos a usarem o pneus duro, deixando os médios de fora.

A decisão final, porém, liberou os pneus médios mas criou-se uma janela de trocas obrigatória entre as voltas 9 e 11 da corrida. Era a saída para se evitar acidentes.

Qualifying: Márquez na pole, com Rossi batendo Lorenzo na última volta

No treino classificatório, Márquez começou fazendo um tempo excelente, e parecia garantir a pole. Rossi vinha em segundo, enquanto Lorenzo caía, tendo que trocar de moto. O atual campeão se recuperou, batendo o tempo de Rossi no fim, enquanto Márquez garantiu de vez a pole em sua última volta.

Marquez estava impossível. Na ultima volta conquistou a pole com autoridade nos treinos (Honda)

Márquez estava impossível. Na ultima volta conquistou a pole com autoridade nos treinos (Honda)

Porém o segundo lugar de Lorenzo durou pouco, Rossi bateu o rival em sua derradeira volta. A largada prometia muito com os três grandes nomes na primeira fila. Em 4º ficou Pedrosa, seguido pela dupla da Ducati, com Dovizioso a frente de Iannone. Maverick Viñales largaria em sétimo com a Suzuki.

A corrida: Márquez vence fácil, e Ducatis jogam pódio fora

Jorge Lorenzo não teve um dia muito feliz. A queda lhe tirou a chance de coisa melhor na prova e - pior - a liderança do campeonato, agora do compatriota Marquez (Reprodução)

Jorge Lorenzo não teve um dia muito feliz. A queda lhe tirou a chance de coisa melhor na prova e – pior – a liderança do campeonato, agora do compatriota Marquez (Reprodução)

A pista ainda estava um pouco úmida antes da largada, mas foi considerada como situação de pista seca. Lorenzo pulou de forma brilhante e assumiu a ponta. Dovizioso aparecia em segundo, Marquez em terceiro e Rossi caiu para quarto. Pedrosa fez boa largada, mas foi tocado pelo estabanado Iannone, que começava uma corrida bastante tumultuada.

Ainda na primeira volta, Lorenzo comete um erro e Dovizioso assumiu a ponta com Rossi em segundo. Não demorou muito para Lorenzo cair pelas tabelas. Com sua moto rendendo pouco, ele já era sexto após algumas voltas quando sofreu uma queda, abandonando a prova. Vinales aparecia num belo quarto lugar.

Tito Rabat a frente de Rossi. As paradas de troca de motos misturaram as coisas e só ajudaram a esquentar as brigas. Marquez sumiu na ponta depois da parada (Reprodução)

Tito Rabat a frente de Rossi. As paradas de troca de motos misturaram as coisas e só ajudaram a esquentar as brigas. Marquez sumiu na ponta depois da parada (Reprodução)

Na frente, Dovizioso, Rossi e Márquez travavam bom duelo, e o espanhol levou a melhor, assumindo a ponta. Dovi tentou dar o troco em Márquez e quem aproveitou foi Rossi, que tomou a segunda posição da Ducati. Se aproximando da janela de troca de motos, Rossi encostou em Márquez, enquanto Viñales superava as Ducatti que travavam duelo perigoso.

Enquanto Márquez e Rossi trocavam de posição, Viñales e Iannone iam para os boxes trocarem de motos. Na volta seguinte foi a vez de Marquez e Rossi pararem juntos para a troca, mas sairiam separados, pois Tito Rabat não havia feito sua troca e ficou entre os dois rivais.

Viñales (atrás) chegou a ameaçar Rossi quando o italiano já começava a sofrer com os problemas nos pneus. Acabou caindo próximo do fim da prova (Reprodução)

Viñales (atrás) chegou a ameaçar Rossi quando o italiano já começava a sofrer com os problemas nos pneus. Acabou caindo próximo do fim da prova (Reprodução)

Bom para o espanhol, que aproveitou para abrir 1s por volta e vencer sem maiores dificuldades, enquanto ficava evidente que Rossi não tinha o mesmo rendimento de antes, e começava a ser ameaçado pela rápida aproximação de Viñales, trazendo com ele as duas Ducati. Rossi já amaldiçoava a Michelin pela troca obrigatória, quando sua sorte virou e Viñales caiu ao ser atacado por Iannone. Não demorou muito porém, e as Ducati chegaram e passaram Rossi, que agora era quarto.

Mas na última volta, o doutor novamente mostrou que tem estrela. O ímpeto de Iannone custou caro para a Ducati e numa tentativa maluca de passar Dovizioso causou um choque e uma queda que acabou tirando os dois da corrida. Rossi, desafeto da Ducatti, parecia não acreditar que conseguiu o segundo lugar, e mais surpreendente ainda, Pedrosa terminou em terceiro, graças aos azares e acidentes de Lorenzo, Viñales, Dovizioso, Iannone e Scott Redding, que abandonou quando estava em quarto.

Dovizioso perseguido por Ianonne. Os "Andreas" da Ducati protagonizaram a salada mais imprevisível da prova, ao se tocarem na briga pelo segundo lugar da prova, nas últimas curvas da corrida (Reprodução)

Dovizioso perseguido por Ianonne. Os Andreas da Ducati protagonizaram a salada mais imprevisível da prova, ao se tocarem na briga pelo segundo lugar da prova, nas últimas curvas da corrida (Reprodução)

Agora Márquez lidera o campeonato, com Rossi em segundo, Pedrosa em terceiro, e Lorenzo, o grande perdedor do dia em quarto.

Os 10 mais (corrida)

1 – Marc Márquez (Honda)
2 – Valentino Rossi (Yamaha)
3 – Dani Pedrosa (Honda)
4 – Eugene Laverty (Aspar Team-Ducatti)
5 – Hector Barberá (Avintia Racing Ducatti)
6 – Pol Espargaró (Tech 3 Yamaha)
7 – Stefan Bradl (Aprilia Gresini)
8 – Bradley Smith (Tech 3-Yamaha)
9 – Tito Rabat (Marc VDS-Honda)
10 – Álvaro Bautista (Aprilia Gresini)

Vitória merecida de Marquez, com direito até a escorregão no pódio  (Honda)

Vitória merecida de Marquez, com direito até a escorregão no pódio (Honda)

 

Os 10 mais (campeonato)

1 – Marc Márquez – 41 pts
2 – Valentino Rossi – 33 pts
3 – Dani Pedrosa – 27 pts
4 – Jorge Lorenzo – 25 pts
5 – Andrea Dovizioso – 23 pts
6 – Pol Espargaró – 19 pts
7 – Hector Barberá – 18 pts
8 – Eugene Laverty – 17 pts
9 – Bradley Smith – 16 pts
10 – Maverick Viñales – 10 pts

A estrela do campeoníssimo Rossi sempre vale. Desafeto da Ducati, o Doutor ainda solta risadas ironicas ao lembrar do infortúnio dos Andreas da equipe italiana (Reprodução)

A estrela do campeoníssimo Rossi sempre vale. Desafeto da Ducati, o Doutor ainda solta risadas irônicas ao lembrar do infortúnio dos Andreas da equipe italiana (Reprodução)

A MotoGP se reúne no próximo fim de semana para o Grande Prêmio das Américas em Austin, no Texas.

Deixe uma resposta