Videotape n’A Boina nº28 – O Que a música brasileira precisa é de um Music Bank 

Show em Los Angeles do programa MCountdown. Esses programas musicais viajam o mundo com apresentações especiais. Festival é apelido para esses mega concertos. Bem que o Brasil poderia aprender com os sul-coreanos, né? (Reprodução)

Show em Los Angeles do programa M! Countdown. Esses programas musicais viajam o mundo com apresentações especiais. Festival é apelido para esses mega concertos. Bem que o Brasil poderia aprender com os sul-coreanos, né? (Reprodução)

(Lucas “Luke” Baldin)

Hello, Videotapers! Tudo bem com vocês?

Hoje vou falar o que eu penso sobre um aspecto do cenário atual da musica brasileira. Principalmente a música pop… Não existe!

Enquanto música popular, até concordo que Anitta (do funk), Luan Santana (do Sertanejo) e companhia limitada consigam fazer jus ao som produzido aqui no país. Mas como música pop me refiro ao estilo propriamente dito: arranjos contemporâneos e refrões grudentos. E a MC Larissa (digo, Anitta)? Ela é cantora pop! Não. Ela não é. Ela faz funk. Respeito o trabalho dela, mas ela não chega a ser considerada cantora pop. Ou chega? Sei lá! Não é esse o ponto.

Você já ouviu falar no M! Contdown ou no Music Bank? São programas de musica K-Pop produzidos e transmitidos na Coréia do Sul (óbvio, Korean Pop é a música pop coreana). Os programas funcionam como uma espécie de Globo de Ouro ou um Paradão Musical. Os grupos se apresentam na ordem da colocação das melhores musicas. Ainda rola votação pra ver quem é o vencedor da semana. Isso é uma vitrine pros grupos, já que rola o Come Back Stage (Apresentação de Retorno) e também o Debut Stage (Apresentação de Estréia, válido para grupos e artistas cujo estejam se apresentando pela primeira vez, ou seja, estreando). M! Countdown e o Music Bank são os principais, mais existem outros programas nesse estilo.

Olha só, os finalistas no palco e o grupo vencedor sendo anunciado. Esse é o MCountdown, programa da MNet, até onde eu sei um canal de música coreano. Seria interessante isso aqui no Brasil. (Reprodução)

Olha só, os finalistas no palco e o grupo vencedor sendo anunciado. Esse é o MCountdown, programa da MNet, até onde eu sei um canal de música coreano. Seria interessante isso aqui no Brasil. (Reprodução)

Sinto que aqui no Brasil falte algo do estilo. Um programa que não tenha uma afiliação com alguma gravadora em específico e que possa apresentar e motivar novos artistas, bandas e quem sabe até estilos musicais de fazerem seu som. Esses programas musicais nada mais são do que jogada de marketing assim como o Vale a Pena Ver de Novo, da Globo, onde trás novelas cujo algum dos atores que está na reprise trabalha numa novela inédita em exibição.

Mas daí você me diz: e o Globo de Ouro? Era uma parada musical. E o Estação Globo? Era praticamente o Globo de Ouro repaginado. Não me entendam mal, mas tudo o que é feito pela Globo acaba dando preferência para os artistas… das Organizações Globo!

Music Bank, o programa musical da KBS que segue o formato do MCountdown. Ou é o contrário? (Reprodução)

Music Bank, o programa musical da KBS que segue o formato do MCountdown. Ou é o contrário? (Reprodução)

Supomos que outra emissora viesse a fazer isso. Desde que o canal tenha credibilidade e os programas não fracassem seria algo bem interessante. O Brasil é um país onde a riqueza musical é grande. Se não focarmos apenas na musica comercial, nesse repeteco de batidas e refrões que ouvimos na rádio, podemos perceber o quão extenso é o cardápio musical. E ainda, se um programa de parada musical/ batalha de artistas viesse a emplacar seria a oportunidade perfeita para novas formas de produzir artistas aqui no país serem experimentadas.

O brasileiro aprendeu a dar valor apenas a música pop produzida lá fora. Uma vez ou outra algum artista pop é lançado. Mas tudo fogo de palha. O cantor até pode ficar por anos e anos trabalhando, mas sucesso estrondoso mesmo é só uma vez. O artista de verdade não tem uma época de sucesso, mas sim sucessos de época. Parece não fazer sentido mas faz.

Reflita e você entenderá. Claro que a batalha de contratos e restrições entre pessoas que estão na música existe. Por exemplo, cantores da Globo nem sempre vão nos outros canais. Depende muito. Depende de quem é, para o que é e como será. Eu realmente gostaria de ver e quem sabe até estar envolvido num projeto do tipo Countdown Brasil. Imagina como seria massa se alguma emissora de credibilidade fizesse isso? RedeTV! Não vale (risos).

NOS BASTIDORES – Como são pensados os posters de filmes?

(É, o Lucas esqueceu a descrição, toca o chefe escrever, hehehe!)

Bom, amigos, o Canal Videotape traz em destaque nesta semana uma interessante matéria sobre como são bolados os famosos posters de filmes, icônicos desde os tempos das videolocadoras. E, acredite, tudo é meio cópia, mas que dá certo na hora de vender o peixe!

Veja ai:

Bom, miguxos, por hoje é isso. Tio Luke fica por aqui. Espero que tenham um bom findi, na próxima semana estou de volta!

Um abraço bem aconchegante, tchau! Luke para A BOINA encerrando a transmissão.

Deixe uma resposta