Cresce o número de mulheres que buscam especialização como mestre cervejeira

Mulheres apreciam cerveja, isto é fato. Mas muitas delas não querem ficar só no "apreciar", vão atrás dos métodos e querem também aprender a ciência por trás da fabricação da bebida (Reprodução / Oficina)

Mulheres apreciam cerveja, isto é fato. Mas muitas delas não querem ficar só no “apreciar”, vão atrás dos métodos e querem também aprender a ciência por trás da fabricação da bebida (Reprodução / Oficina)

(Martha Kienast / Oficina das Palavras)

Está registrado em pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência que 62% das mulheres escolhem a cerveja em comemorações. Além da paixão por degustar, o sexo feminino também está buscando mais especialização e conhecimento para produzir a bebida. Segundo dados divulgados pela Escola Superior de Cerveja e Malte, no curso de Mestre Cervejeiro que teve início em fevereiro deste ano, houve um aumento de 500% no número de interessadas no tema, em comparação com a turma de 2015. Enquanto antes víamos apenas uma estudante na sala, agora encontramos seis alunas e esta estatística cresce ainda mais, afirma Thiago Kuhn, gerente comercial da Escola.

No total, 122 mulheres passaram pelos cerca de 135 cursos oferecidos pela instituição nos dois primeiros anos da Escola. Embora a procura ainda seja maior entre os homens, elas estão cada vez mais interessadas e ampliando a participação a cada semestre, afirma.

(Reprodução / Oficina)

Muito além do feitio da bebida, a maioria das estudantes busca aprender sobre como empreender no segmento (Reprodução / Oficina)

A maioria das estudantes busca aprender sobre como empreender no segmento. A mestre em Química, Débora Lehnen, 32 anos, é um exemplo. Neste ano, ela optou por deixar a gerência de uma empresa e investir no seu hobby. Na região de Salvador a área é pouco explorada e morando há dois anos lá, percebi que o interesse pelo assunto está crescendo muito.

Já a engenheira química Carolina Loureiro, 24 anos, pretende abrir um Beer Pub, na Bahia, sua terra natal. Ela conta que o plano iniciou há cerca de dois anos, quando ainda estava cursando o Ensino Superior e produziu um Trabalho de Conclusão de Curso sobre o tema O foco era abrir uma micro cervejaria artesanal, com estudo de viabilidade.

Uma das turmas do curso de Mestre Cervejeiro da Escola Superior, com uma boa presença feminina (Reprodução / Oficina)

Uma das turmas do curso de Mestre Cervejeiro da Escola Superior, com uma boa presença feminina (Reprodução / Oficina)

A área também chama atenção daquelas que, até então, não trilhavam o segmento. A Camila Utech, 29 anos, é formada em Direito. Atuou por 10 anos em um cartório, mas em 2015 passou a produzir cerveja caseira com amigos. Gostou tanto da experiência que decidiu mudar o foco da carreira e investir no conhecimento no mercado cervejeiro. Pretendo adquirir mais experiência, atuar na área, na fábrica mesmo. Recebemos ofertas de emprego diariamente e isso é bem animador, acrescenta a estudante.

O curso de Mestre Cervejeiro está entre os mais procurados. A terceira turma que irá iniciar em 9 de agosto já está lotada e restam poucas vagas para o próximo ano. Os interessados em participar da turma que começará em fevereiro de 2017 podem fazer a sua inscrição através do site da Escola.

Deixe uma resposta