Gramming & Marbles (MotoGP): Em Sarthe, Lorenzo fatura no festival de quedas

Sem ninguém a sua frente. Jorge Lorenzo fatura no tempo de Le Mans e toma a ponta da classe raínha da MotoGP (Getty Images)

Sem ninguém a sua frente. Jorge Lorenzo fatura no tempo de Le Mans e toma a ponta da classe rainha da MotoGP (Getty Images)

(Douglas Sardo)

Após a vitória dominante de Valentino Rossi, largando da pole e liderando todas as voltas em Jerez, seu companheiro de Yamaha e maior rival, Jorge Lorenzo, disse que ele teria vencido com facilidade em Andaluzia, não fossem alguns problemas na sua moto. A declaração soou como bravata, mas o espanhol foi para Le Mans decidido a ganhar para provar sua palavra.

Desde os treinos, não teve para ninguém na pista de Sarthe. Lorenzo conseguiu a pole position com grande facilidade, claramente num nível a parte. Marc Márquez, com toda sua exuberante velocidade, teve que se contentar com um segundo lugar, quatro décimos atrás do novo recorde da pista, primeiro da era Michelin.

Andrea Iannone foi terceiro, uma queda nos treinos tirando-lhe a chance de fazer algo mais. Pol Espargaró surpreendeu com um quarto lugar, e Andrea Dovizioso botou a segunda Ducati em 5º, mais um bom resultado para a equipe em treinos. Bradley Smith aparecia em sexto, e Rossi foi um decepcionante sétimo lugar, comprometendo bastante suas chances na corrida.

A corrida

(Yamaha)

Espanhol da Yamaha, em vias de despedida para a Ducati, teve apenas o trabalho de largar bem e se manter a frente para sair com a vitória na França (Yamaha)

Na largada, Lorenzo se manteve na frente, seguido por Dovizioso, que pulou muito bem de quinto para segundo. Márquez era terceiro, seguido por Iannone. Logo Lorenzo começou a abrir vantagem sobre Dovizioso, mas de forma lenta, mostrando o bom desempenho da Ducati no templo sagrado de Sarthe. Também não demorou muito para Rossi passar Bradley Smith e Pól Epargaró para assumir o quinto lugar, imediatamente atrás de Iannone e Márquez.

A Ducati tinha ótimo rendimento, especialmente com Iannone, que passou Márquez e foi a caça de seu companheiro de equipe, algo que deve ter deixado todos nos boxes Ducatistas de cabelos em pé, haja visto os antecedentes dos dois nesse ano. Mas dessa vez Iannone foi na boa, passou Dovizioso, e seguiu na caçada a Lorenzo. O piloto italiano parecia ter ritmo para alcançar o líder da prova, mas com 20 voltas para o fim, escorregou na reta oposta e foi para o chão. Iannone agora era último, e Lorenzo tinha a corrida totalmente nas mãos.

Márquez tinha situação confortável no terceiro posto, até começar a pressão de Dovizioso. No fim, Honda e Ducati cairam juntos no mesmo momento (Getty Images)

Márquez tinha situação confortável no terceiro posto, até começar a pressão de Dovizioso. No fim, Honda e Ducati cairam juntos no mesmo momento (Getty Images)

A situação de Márquez também era confortável, o espanhol estava em terceiro, colocaçao que lhe mantinha na liderança do campeonato, e a possibilidade de passar Dovizioso e somar 20 pontos era grande. Porém, tudo mudaria…

Com Márquez preso ao ritmo de Dovizioso, Valentino Rossi chegou nos dois, e com mais poder de decisão, em poucas voltas o Doutor botou de lado e passou Márquez e Dovizioso, com boas manobras, assumindo um importante segundo posto. Essa foi a senha para o fim da tranquilidade de Márquez, que agora tentava pressionar mais a Ducati a sua frente.

Dovizioso e Ianonne brigaram durante a prova, com Ianonne ultrapassando na boa o companheiro. No fim, ambas as Desmodeci não viram a quadriculada em boas condições (Ducati)

Dovizioso e Ianonne brigaram durante a prova, com Ianonne ultrapassando na boa o companheiro. No fim, ambas as Desmosedici não viram a quadriculada em boas condições (Ducati)

Resultado: há 13 voltas do final, Dovizioso e Márquez caíram quase que simultaneamente, sem se tocarem, numa espécie de tombo sincronizado que pode lhes render uma vaga nas próximas olimpíadas.A maldição da Ducati continuava, enquanto Márquez, valente, voltou a pista com a moto em frangalhos para completar em um combativo 13º, que lhe valeu 3 pontos.

Com tantos abandonos, Maverick Viñales não teve outra escolha a não ser terminar em terceiro, o talentoso espanhol conseguindo seu primeiro pódio, o primeiro da Suzuki desde o terceiro lugar de Loris Capirossi em Brno, no já distante 2008.

Com a queda de Márquez, a vitória de Lorenzo vale a liderança do mundial, mas agora todos os principais candidatos ao título estão mais próximos. Vejamos se isso ascende um pouco as disputas da Moto GP, que começou o ano meio devagar em termos de emoção..

Viñales, beneficiado pelos abandonos, tirou a Suzuki da fila de pódios que durava desde 2008 (Getty Images)

Viñales, beneficiado pelos abandonos, tirou a Suzuki da fila de pódios que durava desde 2008 (Getty Images)

Segue o resultado da prova, com os 13 pilotos que completaram o MotoGP da França (lembrando que a pontuação vai até o 15º lugar, mas dessa vez, só 13 pontuaram).

1 – Jorge Lorenzo (Yamaha)
2 – Valentino Rossi (Yamaha)
3 – Maverick Viñales (Suzuki)
4 – Dani Pedrosa (Honda)
5 – Pol Espargaró (Yamaha Tech 3)
6 – Aleix Espargaró (Suzuki)
7 – Danilo Petrucci (Pramac Ducati)
8 – Héctor Barberá (Avintia Ducati)
9 – Álvaro Bautista (Aprilia)
10 – Stefan Bradl (Aprilia)
11 – Eugene Laverty (Aspar Ducati)
12 – Loris Baz (Avintia Ducati)
13 – Marc Márquez (Honda)

Rossi acena para a galera. A próxima prova é em casa, em Mugello. E perder para Lorenzo lá seria imperdoável (Yamaha)

Rossi acena para a galera. A próxima prova é em casa, em Mugello. E perder para Lorenzo lá seria imperdoável (Yamaha)

Classificação do campeonato após 5 das 18 etapas:

1 – Jorge Lorenzo (Yamaha) 90 pts
2 – Marc Márquez (Honda) 85 pts
3 – Valentino Rossi (Yamaha) 78 pts
4 – Dani Pedrosa (Honda) 53 pts
5 – Maverick Viñales (Suzuki) 49 pts
6 – Pol Espargaró (Yamaha Tech 3) 47 pts
7 – Aleix Espargaró (Suzuki) 42 pts
8 – Héctor Barberá (Avintia Ducati) 39 pts
9 – Eugene Laverty (Aspar Ducati) 33 pts
10 – Andrea Iannone (Ducati) 25 pts
11 – Andrea Dovizioso (Ducati) 23 pts
12 – Stefan Bradl (Aprilia) 23 pts
13 – Álvaro Bautista (Aprilia) 21 pts

Rapidinhas:

É isso mesmo que você viu na tabela! Tem Aprilia empatada na Ducati! É claro que isso se deve e muito a maldição que vem atacando as Desmosedici nessa temporada, mas não deixa de ser um grande resultado para Stefan Bradl, que está empatado em pontos com Dovizioso, e também para Álvaro Bautista, que está apenas 2 pontos atrás. Parece pouca coisa, mas para uma marca em recuperação como a Aprilia é algo de espetacular.

Bautista acelera a Aprilia em Le Mans. Time de Noale - a Minardi da MotoGP - está pau a pau com a Ducati na tabela de pilotos, especialmente com Stefan Bradl (Aprilia)

Bautista acelera a Aprilia em Le Mans. Time de Noale – a Minardi da MotoGP – está pau a pau com a Ducati na tabela de pilotos, especialmente com Stefan Bradl (Aprilia)

Festa em Noale, e em algum lugar de Faenza, o sol nasceu mais forte, pois a Aprilia é a Minardi da MotoGP.

A próxima etapa da MotoGP é em Mugello, Itália, no dia 22 de Maio. A pressão vai ser grande em cima de Valentino Rossi. Afinal, o Doutor não pode fazer feio em casa, perder para Lorenzo seria imperdoável.

Até a próxima!

Deixe uma resposta