Gramming & Marbles (MotoGP): Em dia de gala, Lorenzo bate Marquez na linha em Mugello

A imagem do fim de semana: 0,019 segundos milimétricos separaram Lorenzo de Marquez e deram a vitória - de forma espetacular - ao espanhol da Yamaha (Getty Images)

A imagem do fim de semana: 0,019 segundos milimétricos separaram Lorenzo de Marquez e deram a vitória – de forma espetacular – ao espanhol da Yamaha (Getty Images)

(Douglas Sardo)

A festa estava toda preparada no clássico e sinuoso autódromo de Mugello, na Itália. Valentino Rossi na pole-position, Jorge Lorenzo, o grande rival do herói italiano largava apenas em quinto. Marc Márquez apenas em quarto. Tudo apontava para uma vitória caseira de Rossi, um triunfo que colocaria o italiano de vez na briga pelo campeonato.

Porém, ao final da prova, boa parte das chances de um novo título do Doutor já haviam virado fumaça, junto com seu motor Yamaha, enquanto Lorenzo vencia um duelo espetacular com Márquez pela vitória. E até os italianos reconheceram e aplaudiram a vitória do seu grande adversário, eles que costumam vaiar a banda espanhola da MotoGP

Rossi faz a pole em treino muito disputado

Rossi na pole. O fim de semana parecia ser dele, e teria que ser pela festa armada na casa velocce di Florença (Yamaha)

Rossi na pole. O fim de semana parecia ser dele, e teria que ser pela festa armada na casa velocce di Florença (Yamaha)

Após a vitória tranquila de Lorenzo em Le Mans, a Moto GP desembarcou em Mugello para a sexta etapa da temporada 2016, e dessa vez a pressão estava em Valentino Rossi, que precisava de uma vitória em casa para se aproximar da liderança do campeonato. Seria fundamental para o italiano mostrar uma velocidade que não teve nos treinos da França, onde largou apenas do sétimo lugar, praticamente anulando suas chances de lutar pela vitória.

O Doutor mostrou humildade ao copiar as linhas de seu futuro companheiro de equipe, Maverick Viñales, para conseguir uma pole position fantástica. Acontece que Viñales também copiou o traçado de ninguém mais ninguém menos que o companheiro atual de Rossi, Lorenzo…

Andrea Iannone, da Ducati esteve perto de fazer a pole. Após dominar praticamente todos os treinos, o italiano só foi batido por Rossi e Viñales, e iria partir de um promissor terceiro lugar. Marc Márquez conseguiu apenas o quarto tempo, enquanto Lorenzo teve que se contentar com o quinto lugar.

Após o treino, o espanhol declarou à imprensa que havia um complô de Rossi e Viñales para favorecer o Doutor, ao que Rossi respondeu dizendo que Lorenzo e Márquez não podem reclamar desse tipo de coisa, numa clara referência aos acontecimentos da reta final da temporada passada.

O clima estava quente nos microfones, restava saber se isso se refletiria na pista.

Lorenzo parte de forma incrível rumo a vitória

Largada e, no pisco, Lorenzo pula ao primeiro lugar, desbancando Rossi, que procurava caminho para ultrapassagem (Getty Images)

Largada e, no pisco, Lorenzo pula ao primeiro lugar, desbancando Rossi, que procurava caminho para ultrapassagem (Getty Images)

No warm-up pela manhã, um lance que seria crucial na corrida: Lorenzo teve um problema em seu motor, e a equipe Yamaha teve que colocar um engenho novo na moto do espanhol. Rossi não teve problemas e a equipe optou por não fazer uma troca por precaução no equipamento do italiano…

Se havia alguma duvida sobre as condições de pressão e temperatura entre os pilotos, essa foi rapidamente sanada quando Lorenzo partiu como um raio do quinto para o primeiro lugar diante de um pressionado Rossi.

Pauleira na ponta, Lorenzo (por dentro), Rossi e Marquez. Isto até o engenho da moto do Doutor pedir demissão e calar os italianos (Getty Images)

Pauleira na ponta: Lorenzo (por dentro), Rossi e Marquez. Isto até o engenho da moto do Doutor pedir demissão e calar os italianos (Getty Images)

A partir daí a prova foi um duelo titânico entre os dois pilotos da Yamaha, com Rossi seguindo Lorenzo curva a curva, metro a metro, e sempre tentando uma manobra no final da grande reta, à qual Lorenzo se defendia com extrema precisão. Rossi era mais rápido mas simplesmente não conseguia achar um lugar para passar e, enquanto os dois duelavam, Márquez e Andrea Dovizioso começavam a se aproximar

Faltando 15 voltas para o final, Rossi tentava resolver o grande quebra-cabeça da prova, achar um lugar que não a grande reta para ultrapassar. Quando a corrida parecia decidida o italiano começou a andar lento pela pista, até que seu motor explodiu, suas chances de lutar pelo campeonato indo pelos ares junto da fumaça da Yamaha. Um desesperado Rossi voltava cabisbaixo para os boxes…

A vitória estava nas mãos de Lorenzo, mas Márquez viu a oportunidade, e rapidamente se livrou de Dovizioso, encostando na Yamaha 99. Porém, parecia faltar ação para a Formiga da Honda, e Lorenzo conseguia manter uma distância segura. Faltando poucas voltas para o fim, Márquez partiu com mais decisão, mas assim como Rossi, seus ataques ao final da reta eram infrutíferos. Aquele parecia ser o único lugar possível para uma manobra, e quando os dois passaram pelo retão abrindo a última volta com Lorenzo a frente, a fatura parecia liquidada…

A perseguição entre Lorenzo e Marquez monopolizou a prova. A formiga japonesa conseguir passar faltando pouco para o fim... Mas a resposta de Lorenzo veio numa manobra final antes da linha de chegada (Getty Images)

A perseguição entre Lorenzo e Marquez monopolizou o fim da prova. A formiga japonesa conseguir passar faltando pouco para o fim… Mas a resposta de Lorenzo veio numa manobra final antes da linha de chegada (Getty Images)

20165221822187_Click_II

Foi então que Márquez subverteu a lógica com uma manobra sensacional na curva Materassi, assumindo a ponta, e agora ele tinha que se virar para segurar a Yamaha por dez curvas até a linha de chegada. Lorenzo tratou de seguir a Honda 93 até a curva Biondetti, a penúltima do circuito, onde tentou um ataque crucial, levando o troco de Márquez.

Porém, Lorenzo saiu mais forte, o que obrigou o piloto da Honda a lhe fechar a trajetória na última curva, possibilitando ao espanhol da Yamaha aquele décimo de aceleração a mais na entrada da grande reta, batendo a Formiga na linha de chegada por surreais 19 milésimos de segundo!!! Uma vitória antológica de Jorge, que fez até o público italiano aplaudir.

Iannone fechou o pódio, se recuperando após uma largada muito ruim, e mais um duelo com seu companheiro de equipe. Dani Pedrosa foi discreto como sempre e terminou em quarto, Dovizioso em quinto.

Lorenzo tem agora 10 pontos de vantagem para Márquez, enquanto Rossi fica em terceiro, 37 pontos atrás do líder…

Ianonne (atrás) persegue Dovizioso. Italiano conduziu a Desmosedici ao pódio, ao menos, sem levar o companheiro pro chão numa briga de posição (Ducati)

Ianonne (atrás) persegue Dovizioso. Italiano conduziu a Desmosedici ao pódio, ao menos, sem levar o companheiro pro chão numa briga de posição (Ducati)

Resultado:

1 – Jorge Lorenzo (Yamaha)
2 – Marc Márquez (Honda)
3 – Andrea Iannone (Ducati)
4 – Dani Pedrosa (Honda)
5 – Andrea Dovizioso (Ducati)
6 – Maverick Viñales (Suzuki)
7 – Bradley Smith (Tech 3-Yamaha)
8 – Danilo Petrucci (Pramac-Ducati)
9 – Aleix Espargaró (Suzuki)
10 – Michele Pirro (Pramac-Ducati)
11 – Cal Crutchlow (LCR-Honda)
12 – Héctor Barberá (Avintia-Ducati)
13 – Eugene Laverty (Aspar-Ducati)
14 – Stefan Bradl (Aprilia Gressini)
15 – Pol Espargaró (Tech 3-Yamaha)

Festa na casa azul niponica. Lorenzo cavoca a liderança do campeonato, enquanto Rossi chupa o dedo apenas em um minguado terceiro posto (Yamaha)

Festa na casa azul niponica. Lorenzo cavoca a liderança do campeonato, enquanto Rossi chupa o dedo apenas em um minguado terceiro posto (Yamaha)

Note que Stefan Bradl conseguiu mais dois pontos para a gloriosa Aprilia, terminando a frente de Pol Espargaró, que tem um equipamento muito melhor a disposição…

Classificação do campeonato após 6 etapas:

1 – Jorge Lorenzo (Yamaha) 115 pts
2 – Marc Márquez (Honda) 105 pts
3 – Valentino Rossi (Yamaha) 78 pts
4 – Dani Pedrosa (Honda) 66 pts
5 – Maverick Viñales (Suzuki) 59 pts
6 – Aleix Espargaró (Suzuki) 49 pts
7 – Pol Espargaró (Tech 3-Yamaha) 48 pts
8 – Héctor Barberá (Avintia-Ducati) 43 pts
9 – Andrea Iannone (Ducati) 41 pts
10 – Eugene Laverty (Aspar-Ducati) 36 pts

Stefan Bradl puxa um pelotão na parte do meio do pelotão. Mais alguns pontos a Minardi do grid, a gloriosa Aprilia (Aprilia)

Stefan Bradl puxa um pelotão na parte do meio do pelotão. Mais alguns pontos a Minardi do grid, a gloriosa Aprilia (Aprilia)

Apesar de faltarem ainda 12 provas, Rossi teve suas chances de titulo bastante comprometidas, e vai depender de problemas de Lorenzo e Márquez para entrar novamente no páreo.

A MotoGP se reúne novamente daqui há duas semanas, para sua segunda prova em território espanhol, o Grande Prêmio da Catalunha, no “adoradoCircuito da Catalunha (Montmeló), em Barcelona. Outra das mil corridas na Espanha.

Até lá!

Deixe uma resposta