Troféu Imprensa: O prêmio máximo, mas longe dos grandes dias

Domingo passado vimos o reconhecimento aos melhores de 2015 na TV e na música nacional no 55º Troféu Imprensa, que apesar da pompa anda longe dos dias de glória do passad (Reprodução / SBT)

Domingo passado vimos o reconhecimento aos melhores de 2015 na TV e na música nacional no 58º Troféu Imprensa, que apesar da pompa anda longe dos dias de glória do passado (Reprodução / SBT)

A noite do último domingo foi de gala para a televisão brasileira… Ou, pelo menos, era para ser a referencia das noites de gala da televisão brasileira. Foi promovida no último dia 17 e transmitida neste dia 22 passado pelo SBT a 58ª edição do famoso Trofeu Imprensa, o mais antigo e importante prêmio a quem faz a TV, a música e a publicidade no dia a dia. Ancorado por Silvio Santos (que faz estre trabalho desde 1970), o Troféu reconheceu, criticou e enalteceu as revelações, personagens e produções que marcaram 2015 em uma noite de pompa, como nunca deixou de ser.

Apesar de ainda ser visto como o Oscar da Televisão Brasileira e de, para os telemaníacos, ser data cativa no calendário, o Troféu Imprensa não anda vivendo lá seus bons dias, embora a edição deste ano trouxe algumas surpresas na hora da premiação, criticas ferinas e aquela prova de que nem sempre os jornalistas do juri estão certos diante dos vencedores do Troféu Internet. No entanto, vai longe o tempo em que a referencia em premiação aos profissionais da TV era a tal referencia do trabalho durante um ano todo.

Jornalista Plácido Manaia Nunes, criador do prêmio, numa das últimas aparições no juri. Ele faleceria em 2007 Reprodução / Pagina do Silvio Santos)

Rara são as imagens dele. Jornalista Plácido Manaia Nunes, criador do prêmio em 1958, numa das últimas aparições no juri. Ele faleceria em 2007 Reprodução / Pagina do Silvio Santos)

Criado em 1958 pelo jornalista Placido Manaia Nunes, o Troféu Imprensa configurou-se numa espécie de sucessor do famoso Prêmio Roquete Pinto, que seria extinto nos anos 70. Era a grande premiação e reconhecimento de atores, atrizes, produtores, novelistas e outros profissionais e atrações que marcaram o ano anterior, no caso pioneiro, de 1957. As cerimônias só começariam a ser exibidas em TV apenas em 1961, sendo aguardadas por muitos que acompanhavam os rodeios da telinha.

Em 1970, praticamente um hors concours no prêmio, Silvio Santos assumiu os direitos de organização e exibição da solenidade que era promovida por Nunes enquanto jornalista do extinto periódico São Paulo na TV. Silvio atravessou gerações de artistas apresentando e ancorando a atração máxima que naquele tempo ainda era exibida pela Tupi. Em 1973, a premiação passou a ser transmitida pela Globo, mudando de emissora em 1981, na Record, e em 1982 para o SBT, de onde nunca mais saiu. Apenas em quatro ocasiões o evento não foi realizado: Entre 1978 e 1980. por conta dos problemas terminais da Tupi. e em 2006, devido a problemas e criticas contra a organização.

Silvio Santos assumiu a apresentação da solenidade em 1970, donde não saiu até hoje. No passado, uma referencia ímpar, que perdeu a gloria entre isolamento, falta de divulgação e outras premiações Reprodução)

Praticamente hors concours do Troféu Imprensa, Silvio Santos assumiu a apresentação da solenidade em 1970, donde não saiu até hoje. No passado, uma referencia ímpar, que perdeu a gloria entre isolamento, falta de divulgação e outras premiações Reprodução)

Foi um sem-número de artistas premiados, imortalizados para sempre na história da TV por conta da estatueta. O juri, sempre composto por especialistas do mundo da TV (como os tais da fofoca, como Sonia Abrão e Nelson Rubens), mostra ali o porquê de viverem colados na telinha e na vida dos artistas, não apenas para fofocar e fazer fuxico (as duas são a mesma coisa, eu sei!), mas também para buscar uma avaliação criteriosa e rígida do trabalho dos famosos. Afinal, nem só de flashes em baladas eles são feitos, assim creio eu.

No entanto, o tempo passou e o Troféu Imprensa parece ter perdido a importância de outros tempos. Não que anteriormente ele fosse tão máximo assim, já que brigas entre emissoras, críticas, desabafos e questionamentos da avaliação dos jurados sempre houveram desde a primeira edição, coisa de toda a premiação que é dada no Brasil. O que acontece é que, seja por alguma falha de Silvio ou por questões externas, a solenidade não passa simplesmente como uma nota de rodapé nos jornais da segunda seguinte, quando estes resolvem dar destaque.

Na última noite, lá estava Sílvio. Mas longe da boa forma de outrora, claro, pela idade. No entanto, não é desculpa para não se atualizar sobre os convidados da noite Reprodução / SBT)

Na última noite, lá estava Sílvio. Mas longe da boa forma de outrora, claro, pela idade. No entanto, não é desculpa para não se atualizar sobre os convidados da noite Reprodução / SBT)

Um raio-x

A começar pelo próprio Silvio. Não queria o criticar dada a minha admiração por esta figura ímpar da TV nacional, mas infelizmente nem mesmo o tantas vezes laureado com o Trofeu (alias, ele ganhou mais dois no domingo passado) escapa de ser alfinetado e com razão. Chegavam a ser infantis as perguntas de Senor aos que compareciam ao estúdio para a receber os ditos troféus atrasados. Só mesmo com o Skank e os representantes das agencias de publicidade foram questões sem nexo e infantis. Não basta, simplesmente, ser o âncora da atração por anos. Indiferente da idade, é preciso quebrar a teimosia e pesquisar, se preparar e se municiar de conteúdo antes de subir ao palco. Coisa de praxe na TV atual.

A mesa de jurados seguiu o velho roteiro do critério sobre o que viram dos artistas e atrações em 2015. Faltam alguns elementos como críticos de arte e especialistas que não sejam apenas os velhos fofoqueiros de sempre, muito embora são eles os que mais entendem de televisão hoje, pois passam quase 24 horas diárias ligados num mundo muito além das fofocas, mas nas novidades, contratações, notícias e desempenhos na TV e na música. O que não falta são as avaliações sinceras (algumas até ríspidas), as figurinhas de sempre (Sônia, Nelson, Leão LoboDécio Piccinini) e outros nomes que honram o que o velho Placido fazia na bancada e o fez até morrer.

A falta de união entre as emissoras prejudica o que poderia ser uma referencia para elas. Divergencias, brigas e disputas de audiência tem se refletido em troféus acumulados e total ignorar do galardão para as produções e artistas das casas Reprodução)

A falta de união entre as emissoras prejudica o que poderia ser uma referencia para elas. Divergencias, brigas e disputas de audiência tem se refletido em troféus acumulados e total ignorar do galardão para as produções e artistas das casas (Reprodução)

Mas o que mais peca na atualidade do Troféu Imprensa é, e continua sendo, a negligencia de outras emissoras que deixaram de ver a premiação como o marco maior da TV brasileira. Seria utópico, é claro, que todas elas transmitissem a solenidade ao mesmo tempo, em rede, dando destaque verdadeiro aos profissionais da TV e da música. Mas como união nunca houve entre todas, apenas momentos breves de paz, é uma ideia fora de cogitação totalmente. Isto quando artistas são liberados para buscar os prêmios, guardados na emissora por tempos e tempos.

Quem parece querer roubar a glória do Troféu Imprensa nos últimos tempos é o chamado Melhores do Ano, dado no Domingão do Faustão a cada fim de ano. Apesar de aparentar ser mais informal, em muitas categorias o prêmio não passa apenas de um agraciamento interno dos funcionários globais, que neste dia esquecem do clima informal do Domingão para aparecer de vestido e smoking numa festa de fim de ano ao vivo. Puramente institucional, mas que tem virado a peça principal no cenário artístico.

A falha na divulgação do Troféu Imprensa pelo SBT é notável, já que muita gente mal sabia da premiação ou só foi saber na noite de domingo ao zapear a TV. Não se quer tornar o prêmio um evento cívico, mas ao menos procura-se coloca-lo novamente no posto de maior e mais importante, o que tem perdido gradativamente durante os anos. Conquistas de elementos de outras emissoras viravam notícias e propagandas comemorativas, hoje são apenas algo que simplesmente passou e sem relevancia para a organização agraciada.

Faustão e Giovanna Antonelli no Melhores do Ano. Premiação corporativa da Globo está, aos poucos, roubando os louros do Troféu Imprensa, mesmo com a injustiça de só aplaudir os melhores da casa dos Marinho Reprodução / Globo)

Faustão e Giovanna Antonelli no Melhores do Ano. Premiação corporativa da Globo está, aos poucos, roubando os louros do Troféu Imprensa, mesmo com a injustiça de só aplaudir os melhores da casa dos Marinho (Reprodução / Globo)

Fora as falhas, a edição desse ano teve suas pitadas de diversão, especialmente com Rodrigo Faro e Danilo Gentili, ensinando as novas tecnologias a um curioso e tímido Silvio Santos. De tudo até a aprender como enviar as famosas nudes saiu na entrega das estatuetas. Talvez essa nova visão de descontração fora do protocolo assustou o velho homem do Baú, que as vezes comporta-se como um extraterreno diante de tantas coisas novas.

Ainda esta semana, o Videotape n’A Boina estará trazendo mais detalhes da cerimônia com comentários. Veja abaixo os jurados da noite e, claro, os agraciados como os melhores de 2015:

Jurados:

Cristina Padiglione (Estado de São Paulo)
Décio Piccinini (Rede Brasil / Radio Iguatemi)
Flávio Ricco (Diário de São Paulo e UOL)
José Armando Vannucci (Joven Pan / TV Gazeta)
Lygia Mesquita (Folha de São Paulo)
Leão Lobo (CNT / Radio Record)
Nelson Rubens (RedeTV)
Marcelo Bartolomei (Contigo!)
Ricardo Feltrin (UOL)
Sônia Abrão (RedeTV!)
Valença Sotero (Caras)

A equipe de jurados de 2016. Algumas caras novas e muitos arroz-de-festa, sem perder a crítica e análise, mesmo sendo fieis apóstolos da imprensa de fofocas Reprodução / SBT)

A equipe de jurados de 2016. Algumas caras novas e muitos arroz-de-festa, sem perder a crítica e análise, mesmo sendo fieis apóstolos da imprensa de fofocas (Reprodução / SBT)

Vencedores (Trofeu Imprensa):

Ator: Guilherme Winter (Os Dez Mandamentos / Record)
Atriz: Grazi Massafera (Verdades Secretas / Globo)
Revelação: Camila Queiroz (Atriz, Verdades Secretas / Globo)
Apresentador: Celso Portiolli (SBT)
Apresentadora: Patrícia Abravanel (SBT)
Cantor: Luan Santana
Cantora: Ivete Sangalo
Apresentador telejornal: Ricardo Boechat (Band)
Novela: Verdades Secretas (Globo)
Humorístico: A Praça é Nossa (SBT)
Entrevistas: Programa do Jô (Globo)
Infantil: Bom dia & Cia (SBT)
Auditório: Programa Silvio Santos (SBT)
Jornal: Jornal Nacional (Globo)
Jornalístico: Conexão Repórter (SBT)

Vencedores (Troféu Internet):

Ator: Alexandre Nero (A Regra do Jogo / Globo)
Atriz: Grazi Massafera (Verdades Secretas / Globo)
Revelação: Wesley Safadão
Apresentador: Silvio Santos (SBT)
Apresentadora: Eliana (SBT)
Cantor: Luan Santana
Cantora: Ivete Sangalo
Apresentador telejornal: Rachel Sheherazade (SBT)
Novela: Os Dez Mandamentos (Record)
Humorístico: A Praça é Nossa (SBT)
Entrevistas: The Noite (SBT)
Infantil: Bom dia & Cia (SBT)
Auditório: Programa Silvio Santos (SBT)

Deixe uma resposta