Gramming & Marbles (MotoGP): Rossi duela com Márquez e ganha mais uma em solo espanhol

Il Dotore outra vez. Valentino Rossi mostrou personalidade depois de uma má largada e conquistou mais uma em terras espanholas. Lorenzo bateu com Ianonne e deixou escapar liderança do campeonato (Yamaha)

Il Dotore outra vez. Valentino Rossi mostrou personalidade depois de uma má largada e conquistou mais uma em terras espanholas. Lorenzo bateu com Ianonne e deixou escapar liderança do campeonato (Yamaha)

(Douglas Sardo)

Após o abandono de Valentino Rossi em Mugello, ficava claro que o eneacampeão passaria a jogar na condição de franco-atirador nessa temporada. E logo na corrida seguinte, o Doutor tratou de mostrar o estrago que será capaz de fazer na luta pelo título nessa nova posição.

Rossi correu com a faca entre os dentes, e conseguiu uma das melhores vitórias de sua carreira, além de ver seu grande rival Jorge Lorenzo ser abalroado pelo estabanado compatriota Andrea Iannone. Um belo fim de semana para os fãs do Doutor, que sem dúvida não poderiam pedir por mais.

A tregédia no sábado: Luiz Salom erra a freada, bate e vê é acertado pela própria moto depois do acidente. Morte e tristeza em barcelona (MotoGP)

A tregédia no sábado: Luis Salom erra a freada, bate e é acertado pela própria moto depois do acidente. Morte e tristeza em barcelona (MotoGP)

A lembrança: Pilotos, mecânicos, torcedores... Um minuto de silêncio pela morte de Salom (MotoGP)

A lembrança: Pilotos, mecânicos, torcedores… Um minuto de silêncio pela morte de Salom (MotoGP)

Antes do início da prova, como não poderia deixar de ser, foi respeitado um minuto de silêncio em homenagem a Luis Salom, piloto espanhol morto após acidente nos treinos da Moto2 na última sexta-feira (03/06).

Na largada, Lorenzo tratou de pulverizar a pole de Marc Márquez, assumindo a ponta e tentando escapar na frente. Rossi partiu mal de sua quinta posição e caiu para oitavo. Em poucas voltas porém, o #46 recuperaria tudo. Com ultrapassagens precisas, superando inclusive Márquez num momento de grande tensão. Rossi chegou em um Lorenzo visivelmente sem ritmo e, após cinco voltas, assumia a liderança de forma vigorosa.

Márquez, percebendo a situação, tratou de se livrar de Lorenzo e foi em busca de Rossi. O Doutor bem que tentava, mas jamais conseguia abrir uma margem muito confortável e um novo duelo entre os dois parecia inevitável. A expectativa aumentava a cada volta e era evidente que a moto de Márquez era mais instável, balançando tudo nas curvas.

Na largada, Lorenzo despacha o pelotão, mas em três voltas veria a liderança ruir diante de Rossi (abaixo) (MotoGP)

Na largada, Lorenzo despacha o pelotão, mas em três voltas veria a liderança ruir diante de Rossi (abaixo) (MotoGP)

2016651354519_028A6620_II

Há cinco voltas do fim, La Hormiga conseguiu bela manobra e passou pelo Doutor dando a impressão de que poderia vencer a prova. Ledo engano. A instabilidade da Honda cobrou seu preço no desgaste de pneus e não demorou muito para Rossi dar o troco em mais um duelo espetacular entre os dois.

Márquez simplesmente não tinha mais borracha, e teve que se contentar com o segundo lugar, que menos mal, lhe coloca novamente na liderança do campeonato. Isso porque lá atrás Lorenzo, que já havia caído para quinto, era derrubado pelo aloprado Andrea Iannone, que somou mais um acidente na conta da Ducati neste ano e está, lentamente, se queimando na grelha da MotoGP…

Vitória maiúscula de Rossi, aplaudido de pé pela torcida espanhola (quem diria…)

Marquez ensaiou uma briga com Rossi, chegando a ultrapassa-lo. Mas sem borracha não há moto que se segure. Italiano a frente e seguro (MotoGP)

Márquez ensaiou uma briga com Rossi, chegando a ultrapassa-lo. Mas sem borracha não há moto que se segure. Italiano a frente e seguro (MotoGP)

Resultado:

1 – Valentino Rossi (Yamaha)
2 – Marc Márquez (Honda)
3 – Dani Pedrosa (Honda)
4 – Maverick Viñales (Suzuki)
5 – Pol Espargaró (Tech 3-Yamaha)
6 – Cal Crutchlow (LCR-Honda)
7 – Andrea Dovizioso (Ducati)
8 – Álvaro Bautista (Aprilia)
9 – Danilo Petrucci (Pramac-Ducati)
10 – Jack Miller (VDS-Honda)
11 – Héctor Barberá (Avintia-Ducati)
12 – Stefan Bradl (Aprilia)
13 – Eugene Laverty (Aspar Ducati)
14 – Esteve Rabat (VDS-Honda)
15 – Michele Pirro (Ducati)
16 – Scott Redding (Pramac-Ducati)
17 – Yonny Hernández (Aspar-Ducati)
ab – Aleix Espargaró (Suzuki)
ab – Jorge Lorenzo (Yamaha)
ab – Andrea Iannone (Ducati)
ab – Bradley Smith (Tech 3-Yamaha)

Festa dos fanáticos pelo #46 da Yamaha. Rossi joga agora como franco-atirador em busca de Lorenzo e Marquez pela liderança do campeonato (MotoGP)

Festa dos fanáticos pelo #46 da Yamaha. Rossi joga agora como franco-atirador em busca de Lorenzo e Marquez pela liderança do campeonato (MotoGP)

Campeonato (10 mais):

1 – Marc Márquez (Honda) – 125 pts
2 – Jorge Lorenzo (Yamaha) – 115 pts
3 – Valentino Rossi (Yamaha) – 103 pts
4 – Dani Pedrosa (Honda) – 82 pts
5 – Maverick Viñales (Suzuki) – 72 pts
6 – Pol Espargaró (Tech 3 Yamaha) – 59 pts
7 – Aleix Espargaró (Suzuki) – 49 pts
8 – Héctor Barberá (Avintia Ducati) – 48 pts
9 – Andrea Dovizioso (Ducati) – 43 pts
10 – Andrea Iannone (Ducati) – 41 pts

Andrea Iannone presta homenagem ao grande Muhammad Ali:

Luis Salom não foi o único homenageado na corrida em Mugello. O grande Muhammad Ali, que nos deixou na noite de sexta-feira (madrugada de sábado aqui no Brasil) deve ter se sentido representado ao ver como Andrea Iannone literalmente nocauteou Jorge Lorenzo durante a prova.

O acidente foi mais uma das muitas peripécias do piloto da Ducati nesse ano, sem falar que custou a Lorenzo a liderança do mundial. Após a prova, Jorge virou sua artilharia para Iannone e suas desculpas esfarrapadas: Nunca foi ele. Sempre é azar ou culpa de outro.

O nocaute a lá Muhammad Ali de Ianonne em Lorenzo. Outra pancada infantil do italiano da Ducati, que não escapou dos disparos verbais do espanhol (MotoGP)

O nocaute a lá Muhammad Ali de Ianonne em Lorenzo. Outra pancada infantil do italiano da Ducati, que não escapou dos disparos verbais do espanhol (MotoGP)

2016651353701__MG_2468_II

O piloto da Desmosedici vai ter que largar da última posição do grid na próxima etapa em Assen, na Holanda. Sobre a punição, Lorenzo foi curto e grosso: Sair de último não é o bastante.

Em Barcelona, o melhor da Aprilia no ano:

Álvaro Bautista aproveitou a oportunidade com os abandonos de nomes de frente como Lorenzo e Iannone, e conseguiu o melhor resultado da pequena Aprilia na temporada. O oitavo lugar na prova (chegou apenas um segundo depois de Dovizioso) lhe deixou em 14º no campeonato, empatado em 29 pontos com seu companheiro de equipe, Stefan Bradl.

Bautista leva a Aprilia ao oitavo posto. O melhor da Minardi da MotoGP até o momento (Aprilia)

Bautista leva a Aprilia ao oitavo posto. O melhor da Minardi da MotoGP até o momento (Aprilia)

A promissora Ducati em desencanto:

Enquanto pilotos como Maverick Viñales conseguem resultados interessantes regularmente sem ter uma das duas melhores motos do grid, a Ducati, que começou o ano com grandes expectativas e prometendo mais que a Suzuki, segue com resultados minguados.

Em Barcelona, mais uma corrida para esquecer com Iannone se envolvendo em mais um de seus habituais acidentes e Andrea Dovizioso terminando apenas em um apagado sétimo. O próprio Héctor Barberá, que corre com uma Ducati modelo 2014, tem mais pontos que os pilotos da Ducati principal! Um grande absurdo.

Dovizioso pouco apareceu na Catalunha. Apenas um apagado sétimo lugar. A Ducati principal perde terreno até para Hector Barberá, com uma Ducati de 2015. Vergonhoso! (Ducati)

Dovizioso pouco apareceu na Catalunha. Apenas um apagado sétimo lugar. A Ducati principal perde terreno até para Hector Barberá, com uma Ducati de 2015. Vergonhoso! (Ducati)

A chegada de Jorge Lorenzo na próxima temporada será mais do que bem-vinda para uma equipe que parece ter um equipamento capaz sim de lutar por vitórias, mas nas mãos do piloto certo.

Valentino Rossi e Marc Márquez: Uma trégua?

Pelo menos foi isso que eles deram a entender após a prova. A dupla que protagonizou disputas monumentais no ano passado, incluindo os momentos decisivos daquele campeonato, parece ter feito as pazes. No clima de consternação após a prova, com o sentimento de perda por Luis Salom,

Valentino, Marc e Dani Pedrosa usaram camisetas em homenagem a Salom no pódio. Além disso, Rossi e Márquez trocaram um surpreendente e aplaudido aperto de mãos. Sobre o cumprimento, Rossi disse: Depois de coisas como essas, todo o resto se torna pequeno, então acho que foi muito importante. Acho que foi a coisa certa a fazer.

Cenas dos próximos capitúlos…

Na guerra ou na paz, a próxima etapa da MotoGP ocorre daqui há três semanas, dia 26 de Junho, no circuito de Assen, Holanda.

Até lá!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s