Gramming & Marbles (MotoGP) – Cal Crutchlow tira britânicos do jejum em Brno

Um britânico no topo da MotoGP outra vez. Graças a uma estratégia ousada na chuva, Cal Crutchlow fez milagre e levou a LCR-Honda a vitória em Brno, República Checa (Getty Images)

Um britânico no topo da MotoGP outra vez. Graças a uma estratégia ousada na chuva, Cal Crutchlow fez milagre e levou a LCR-Honda a vitória em Brno, República Checa (GP Update / Getty Images)

(Douglas Sardo)

É chover no molhado dizer que a temporada 2016 da MotoGP já entrou para a história. Não bastassem as provas espetaculares, houveram várias vitórias quebrando tabus, como o triunfo monumental de Jack Miller em Assen, primeira vitória de uma equipe privada na categoria em 10 anos.

Depois veio a primeira vitória de Andrea Iannone na categoria rainha, e primeira vitória da Ducati desde 2010. Em Brno, na pitoresca República Tcheca, mais um momento épico. Desta vez com o jovem Cal Crutchlow levando outra equipe privada ao lugar mais alto do pódio, sendo agora a LCR-Honda. Um britânico não vencia na MotoGP desde o lendário Barry Sheene, no GP da Suécia de 1981.

Você não deve o conhecer, mas quem é fã da MotoGP conhece este capacete. É Barry Sheene, uma das lendas da categoria e último britânico a vencer no certame, no GP da Suécia no longínquo 1981. 35 de fila para os motoqueiros súditos da rainha (Getty Images)

Você não deve o conhecer, mas quem é fã da MotoGP conhece este capacete. É Barry Sheene, uma das lendas da categoria e último britânico a vencer no certame, no GP da Suécia no longínquo 1981, com uma Yamaha. 35 de fila para os motoqueiros súditos da rainha (Reprodução)

Treinos: Pole espírita de Márquez

Assim como na Áustria, as emoções começaram novamente nos treinos. Jorge Lorenzo parecia ter a pole garantida na reta final do Q2, até que apareceu uma hormiga no caminho. Marc Márquez detonou nas primeiras parciais, mas de repente, no final da volta, Andrea Dovizioso e Valentino Rossi aparecem no caminho de Marc.

Marc Márquez fez molecagem nos treinos e faturou pole incrível (Getty Images)

Marc Márquez fez molecagem nos treinos e faturou pole incrível (GP Update / Getty Images)

Ele resolveu o problema de forma incrível, praticamente costurando entre os dois, pegando o vácuo de Rossi e fazendo uma pole sensacional! Lorenzo ficou com o segundo lugar, Iannone largaria em terceiro, Aleix Espargaró em quarto com a Suzuki, Hector Barberá botou a Ducati da Avintia em quinto, enquanto Rossi decepcionou e só conseguiu o sexto tempo.

Corrida: Chuva e escolha certeira de pneus levam Cruthclow a vitória

Jorge Lorenzo até largou bem, mas a chuva continua sendo seu fraco irremediavel. Fundão do grid e corrida medíocre do espanhol da turma dos diapasões (Getty Images)

Jorge Lorenzo até largou bem, mas a chuva continua sendo seu fraco irremediavel. Fundão do grid e corrida medíocre do espanhol da turma dos diapasões (GP Update / Getty Images)

Para desespero de Jorge Lorenzo, a chuva apareceu. O espanhol corria atordoado nos boxes, talvez tentando achar anotações de sua consulta com um psicólogo famoso da Espanha para tentar superar suas dificuldades em piso molhado. Na largada, as anotações de Lorenzo pareciam funcionar e ele pulou na liderança. Mas durou poucos metros e logo Márquez reassumiu a ponta da prova.

Jorge, em mais uma jornada patética na chuva, despencou em poucas voltas para o fundo do grid. Só restou ao espanhol apelar para várias trocas de moto, que de nada adiantaram e ele fecharia a prova em melancólico 17º, último a completar a corrida.
Enquanto Lorenzo se batia com seus problemas na chuva, Márquez mantinha-se na ponta, mas logo as Ducati voltaram a brilhar e Dovizioso assumiu a liderança. Não demorou muito para Iannone também superar o líder do campeonato e mais um duelo particular entre as motos vermelhas começava.

Redding foi um dos destaques da prova, provando a boa forma das Desmosedici privadas na chuva. Rossi (abaixo) teve de reaver os problemas com a moto e escalou o pelotão até o segundo lugar (Getty Images)

Redding foi um dos destaques da prova, provando a boa forma das Desmosedici privadas na chuva. Rossi (abaixo) teve de reaver os problemas com a moto e escalou o pelotão até o segundo lugar (GP Update / Getty Images)

290951

As Ducati batalhavam pela ponta mas quem voava na pista agora era Scott Redding, que largou em 14º com sua Ducati da Pramac e chegava na terceira posição da prova. Mais uma vez as Desmosedici privadas brilhavam na chuva. Iannone tratou de superar Dovizioso, que logo teve problemas de pneu e abandonou a prova. Rossi começou muito mal, chegando a andar em 12º graças à sua escolha de pneus: Enquanto Iannone e Dovizioso apostaram em pneus de chuva macios, Rossi optou por pneus de chuva duros na traseira e macios na frente, apostando que não seria necessária uma troca para slicks.

A curto prazo, os pneus macios compensaram, mas a partir do meio da corrida, os pneus duros do Doutor renderam melhor e ele começou a escalar o pelotão de forma incrível e só não venceu a prova porque Cal Crutchlow, que largou em 10º e chegou a estar em 12º, fez aposta ainda mais ousada com pneus de chuva duros nos dois eixos, e numa exibição de gala, passou quem vinha pela frente rumo à uma vitória assombrosa!

Crutchlow ao lado da Avintia-Ducati de Barberá. Estratégia ousada e outra equipe particular no alto do pódio (Getty Images)

Crutchlow (35) ao lado da Avintia-Ducati de Barberá. Estratégia ousada e outra equipe particular no alto do pódio (GP Update / Getty Images)

Inacreditável! Nas últimas seis corridas, seis vencedores diferentes, e três deles ganhando pela primeira vez em suas carreiras na MotoGP. Também foi a primeira vitória da equipe de Luciano Cecchinello, que participa na MotoGP desde 2006 liderada pelo ex-piloto italiano.

Rossi fechou em segundo, seguido de Márquez que poupou muito bem seus pneus macios para se sustentar no pódio. Loris Baz e Hector Barbera completaram o Top-Five com as motos da Avintia. Iannone gastou seus pneus macios e fechou apenas em oitavo. Redding chegou a trocar de moto e terminou apenas em 15º.

Após a prova, Crutchlow que se tornou pai recentemente, apareceu no celular dando a notícia para sua esposa Lucy, que assistiu a prova em casa enquanto cuida da pequena Lucy.

Os 10 mais – Corrida:

1 – Cal Crutchlow (LCR-Honda)
2 – Valentino Rossi (Yamaha)
3 – Marc Márquez (Honda)
4 – Loris Baz (Avintia Ducati)
5 – Hector Barberá (Avintia Ducati)
6 – Eugene Laverty (Aspar-Ducati)
7 – Danilo Petrucci (Pramac-Ducati)
8 – Andrea Iannone (Ducati)
9 – Maverick Viñales (Suzuki)
10 – Tito Rabat (Marc VDS-Honda)

Festa no pódio em Brno.

Festa no pódio em Brno. Cal vibra a primeira vitória, já Rossi segue a cata de Márquez, estando o espanhol da Honda cada vez mais perto do tri (GP Update / Getty Images)

Os 6 mais – Campeonato:

1 – Marc Márquez (Honda) 197
2 – Valentino Rossi (Yamaha) 144
3 – Jorge Lorenzo (Yamaha) 138
4 – Dani Pedrosa (Honda) 109
5 – Maverick Viñales (Suzuki) 100
6 – Andrea Iannone (Ducati) 96

Crutchlow detona os fracotes

A vitória de Cal Crutchlow só aconteceu porque sua ousada aposta nos pneus duros de chuva se pagou. Após a prova, o piloto britânico brincou em sua entrevista: Eu fiz a aposta que ninguém fez – ou eu é que não sei se mais alguém fez. Para mim, são todos uns fracotes – não faz sentido para mim você colocar um pneu duro e o outro de um composto diferente nesta situação.

Humor britânico at his best.

Crutchlow teve direto a tudo ao vencer em Brno, até mesmo a alfinetar os companheiros de grid por conta da estratégia ousada, São uns fracotes (Getty Images)

Crutchlow teve direto a tudo ao vencer em Brno, até mesmo a alfinetar os companheiros de grid por conta da estratégia ousada, São uns fracotes (GP Update / Getty Images)

Dovizioso na bronca com Michelin

Enquanto Cal Crutchlow tirou o melhor dos pneus duros, Andrea Dovizioso não ficou nada contente com o desempenho dos pneus macios de chuva de Clermont: Precisamos de mais tipos de pneus dianteiros para água. O que aconteceu não me surpreende pois os dois tipos que temos são extremos“.

Ianonne e Dovizioso, tendo Scott Redding entre eles. Pilotos oficiais da Ducati deram uma cutucada na Michelin, fornecedora de pneus por conta do  (Getty Images)

Ianonne e Dovizioso, tendo Scott Redding entre eles. Pilotos oficiais da Ducati deram uma cutucada na Michelin, fornecedora oficial de pneus, por conta da falta de pneus para condição de chuva (GP Update / Getty Images)

O piloto da Ducati continuou: A Michelin trabalha bastante, mas nesse ponto em que estamos, sem ter a situação sob controle, deveríamos ter mais opções. Aqui, por exemplo, precisávamos de um pneu que fosse meio termo. O companheiro de Dovizioso na Ducati, Andrea Iannone, endossou o discurso: Nunca fui ao máximo para não sobrecarregar os pneus. Mas no final tive problemas como a maioria. Pelo menos consegui terminar, completou o piloto que fechou a prova em oitavo depois de estar liderando à sete voltas do final.

A MotoGP se reúne novamente em Silverstone daqui a duas semanas. Até a próxima!

Deixe uma resposta