FURB em luto: Educação Física perde o professor Sidirley de Jesus Barreto

(Michel Ivon Imme Sabbagh / Jornalismo FURB | Depoimento: André Bonomini)

Professor bonachão e alegre, profissional dos mais importantes no ensino da Educação Física na cidade e no país, prof. Sidirley de Jesus Barreto faleceu no último sábado, quando vinha à FURB para a aula do dia. Ele tinha 53 anos (Reprodução/FURB)

Professor bonachão e alegre, profissional dos mais importantes no ensino da Educação Física na cidade e no país, prof. Sidirley de Jesus Barreto faleceu no último sábado, quando vinha à FURB, onde lecionou por 23 anos, para a aula do dia. Ele tinha 59 anos (Reprodução/FURB)

Professores e alunos do curso de Educação Física da FURB, ainda bastante comovidos, realizaram uma homenagem, às 9h30 desta segunda-feira, dia 29, no Ginásio-Escola, ao professor Sidirley de Jesus Barreto, com oração, depoimentos emocionados e uma salva de palmas.

A morte calou sábado de manhã (27/08) a voz do irrequieto, falante professor, renomado pesquisador e coordenador do curso de Educação Física da Instituição, onde lecionou 23 anos em vários cursos de graduação e de onde se despediria em dezembro deste ano, por conta da aposentadoria. Ele morreu, aos 59 anos, no ponto de ônibus na frente da FURB, onde veio lecionar.

Os bombeiros conseguiram reanimá-lo de um ataque cardíaco, mas ele não resistiu ao chegar no hospital. Foi cremado domingo à tarde, em Blumenau, terra que o carioca tanto amou, entristecendo e chocando a comunidade acadêmica com sua prematura partida, como ficou evidente nas centenas de mensagens espalhadas pelo Facebook, no fim de semana, por amigos e profissionais.

Professores e acadêmicos prestam homenagem ao centro do Ginásio-Escola da FURB. Lugar onde Sidirley desenvolveu grandes trabalhos e iniciativas no ensino da Educação Física e numa das especialidades que mais estudava: A Motricidade Humana (Reprodução/FURB)

Professores e acadêmicos prestam homenagem ao centro do Ginásio-Escola da FURB. Lugar onde Sidirley desenvolveu grandes trabalhos e iniciativas no ensino da Educação Física e numa das especialidades que mais estudava: A Motricidade Humana (Reprodução/FURB)

Com dois mestrados, era docente titular da FURB, onde atuava desde 1993. Ele coordenava o curso de Educação Física desde 2012 e os Programas de Ginástica Laboral e FURB Esporte. Tinha destacada atuação na pesquisa da Psicomotricidade, atuando principalmente em Motricidade Humana durante o ciclo vital, Interdisciplinaridade, Recreação, Educação Inclusiva, Epistemologia da Educação Física, Ergomotricidade/Ginástica Laboral e Saúde Coletiva.

Era graduado em Educação Física (Centro de Instrução Especializada da Aeronáutica-CIEA/Univ. da Força Aérea-UNIFA/1981), Especialista em Problemas do Desempenho Escolar (IBMR/1988), Mestrado em Educação: Ensino Superior (FURB/1997) e Mestrado em Educação (FURB/2009). Cursou, também quatro semestres de Pedagogia (UNISUAM/1976-1979),

(Reprodução/FURB)

(Reprodução/FURB)

Ele tem artigos publicados na Itália, Espanha, Colômbia, Argentina e Índia. Além de Educação Física e Pedagogia na FURB, Sid já lecionara nos cursos de Turismo e Lazer, Fisioterapia, Ciências da Religião, Línguas (Alemão) e Educação Especial. O pesquisador também ministrou mais de 600 cursos no país desde 1984, proferiu palestras no em vários estados brasileiros e na Venezuela.

Depoimentos: As lembranças dos amigos da FURB

Reitor da FURB, professor João Natel. (Reprodução/FURB)

Reitor da FURB, professor João Natel. Era o carioca mais blumenauense que conhecíamos (…)Nunca estava triste, era um idealista e apaixonado pelo que fazia (…) Parecia não dissociar a sede de conhecimento, andar era automático, saber não, é busca incessante (Reprodução/FURB)

Para o reitor da FURB, João Natel,  a família FURB perde uma referência, membro de corpos editoriais de diversas revistas, homenageado por instituições e por diversas turmas, que publicou livros e capítulos e era o carioca mais blumenauense que conhecíamos. Tínhamos contatos frequentes e sempre com ideias sobre como melhorar nossa FURB. Nunca estava triste, era um idealista e apaixonado pelo que fazia. Da minha sala, quase que diariamente, via passar com a incrível capacidade de andar e ler ao mesmo tempo, e mais do que ler, sublinhar trechos de livros que devorava com enorme voracidade. Parecia não dissociar a sede de conhecimento, andar era automático, saber não, é busca incessante. Fará muita falta, ficamos todos mais tristes. Sid, nosso respeito, carinho e muito obrigado. Aos familiares, nosso conforto e carinho.

Na sua fala, ao abrir a homenagem no Ginásio-Escola, o chefe do Departamento de Educação Física, José Carlos Grando, afirmou: o professor Sid foi bastante admirado e querido pelos colegas e acadêmicos do curso de Educação Física da Furb e vai deixar saudades e bons exemplos de vida a todos nós. Grande referência no meio acadêmico nacional e internacional, o prof. Sid contribuiu efetivamente no aprimoramento da matriz do curso, elevando seu nível, e deixou uma legião de admiradores entre alunos e professores por ser estudioso, pesquisador e sempre estimular a continuidade da formação profissional, pelo seu jeito afetuoso com todos e por suas musiquinhas alegres e os sambas que cantarolava pelos corredores, Siga em paz, professor, que agora dará suas alegres aulas de Recreação no céu.

Reprodução/FURB)

(Reprodução/FURB)

Professores e alunos reconheciam em Sid um grande amigo e figura humana, um transformador, um homem que pregava o movimento, não o movimento técnico, mas o movimento global, focando os aspectos afetivos, motores e cognitivos, levando o indivíduo à tomada de consciência do seu corpo.

Num dos seus artigos científicos, ele assim abriu o texto: A Psicomotricidade existe nos menores gestos e em todas as atividades em que se desenvolve a motricidade, visando ao conhecimento e ao domínio do seu próprio corpo. Por isso dizemos que a mesma é um fator essencial e indispensável ao desenvolvimento global e uniforme. Envolve toda ação realizada pelo indivíduo; é a integração, focando os aspectos afetivos, motores e cognitivos, levando o indivíduo à tomada de consciência do seu corpo por meio do movimento.

Reconhecidamente, uma grande perda para o curso de Educação Física e para a FURB.

A BOINA: Lembranças das manhãs de pauta no Ginásio-Escola

(André Bonomini)

(Reprodução/FURB)

(Reprodução/FURB)

Dissera há alguns meses atrás, quando da perda do amigo e professor de história da EEB Padre José Maurício, Ademar Jonas Mafra, que os mestres que passaram pela minha vida são belas recordações, até mesmo sem, necessariamente, ensinar algo em sala de aula. Recebi a notícia do passamento do amigo Sidirley durante o frenético fim de semana, onde mal parava em casa mas mantia o Facebook ligado por algum motivo.

Chocante, de verdade. Costumava pensar que não perderia amigos tão cedo, mas muitos estão indo sem aviso prévio. O prof. Sidirley foi um deles. Podem todos perguntar o que um jornalista tem de especial em lembrar de um professor de Educação Fisica, e eu respondo com calma e feliz: Das pautas que assinei na FURB, as de Educação Física sempre eram as mais empolgadas, graças a recepção sempre calorosa do próprio Sid na sua sala.

Perdido diante seus papeis e livros, eu chegava ainda como tímido estagiário de jornalismo, cuja pauta a querida Giovana Pietrzacka já me adiantara pela manhã. Minha preocupação era não sair dali sem uma nasca de informação. Abria a porta, era recebido pela simpática Tamira, que já avisava ao alegre cidadão de óculos que eu havia chegado. Ele chegava sempre bonachão, estendendo a mão meio torta para um caloroso aperto de mão, e lá iam papos, sejam da pauta em questão ou de qualquer coisa ligada ao esporte e ao que ele desenvolvia.

(Reprodução/FURB)

Podem todos perguntar o que um jornalista tem de especial em lembrar de um professor de Educação Fisica, e eu respondo com calma e feliz: Das pautas que assinei na FURB, as de Educação Física sempre eram as mais empolgadas, graças a recepção sempre calorosa do próprio Sid na sua sala (Reprodução/FURB)

Não me importava cruzar a FURB inteira com um bloquinho nas mãos para fazer uma matéria de Educação Física que poderia, no máximo, dar apenas três parágrafos. O que me deixava bem mais tranquilo era que lá, no distânte Ginásio-Escola, estava um bom amigo, que não hesitava em mandar e-mails com convites para eventos e pautas boas (mandando todo o texto do email no assunto da mensagem, folcloricamente. Ele mesmo admitia que não se dava lá muito bem com o computador).

Nunca esquecerei, uma das últimas pautas que fizera na FURB com ele foi um tanto diferente. O ginásio estava escuro e ele estava, vamos dizer, almoçando em plenas 9h da manhã. Pediu que eu o acompanhasse ao redor do mezanino do ginásio para um bate-papo. A penumbra da quadra permitiu um alegre bate-papo, intercalado pelas garfadas do professor na galinha com repolho que comia. Era uma figura sem dúvida, sempre perto do telefone, sempre alegre e sempre pronto a passar uma pauta das boas.

Reprodução/FURB)

Reprodução/FURB)

Sidirley será, sem dúvida, um daqueles personagens amigos especiais que levarei nas minhas andanças pelo jornalismo. Meus caros colegas daqueles tempos – Giovana, Michel e Formiga, também devem sentir o mesmo pesar pela perda do bom amigo do esporte. A FURB, assim como os acadêmicos, o professor Grando e o professor Natel, também não deixarão passar a memória deste grande homem e incentivador do esporte e do ensino da verdadeira Educação Física.

Ao amigo Sidirley, aquele abraço e aperto de mão de gratidão pelas manhãs de pautas e papos. Um dia ainda lhe pago o carinho. E mande aquele abraço para Deus!

2 comentários sobre “FURB em luto: Educação Física perde o professor Sidirley de Jesus Barreto

  1. Sem dúvidas um grande profissional. Me transmitiu e incentivou o amor pela educação inclusiva e psicomotricidade, ensinamentos que levarei por toda minha vida.
    Uma grande perda.

  2. Eu estava no onibus 32 quando ele caiu abraçado ao poste e o motorista parou pra socorre-lo;ligamos pro bombeiro,samu e uma senhora chegou a fazer massagem cardiaca pra ele voltar e ele voltou,mas o samu demorou muito pra socorrer e entubar ali mesmo no chão.Eu não o conhecia mas todos os dias tentava noticias daquele homem o qual tentei ajudar naquele sabado pela manha,mas infelizmente a noticia não foi a que eu tanto esperava.

Deixe uma resposta