Gramming & Marbles (F1): Rosberg aproveita erro de Hamilton na largada e fatura na Italia

Rosberg, o oportunista. Fez a parte dele mais uma vez, aproveitando a má largada de Hamilton. Agora, o alemão está a dois pontos de retornar a liderança do campeonato (Getty Images)

Rosberg, o oportunista. Fez a parte dele mais uma vez, aproveitando a má largada de Hamilton. Agora, o alemão está a dois pontos de retornar a liderança do campeonato (Getty Images)

(André Bonomini & Douglas Sardo)

Corrida padrão, com bastidores agitados

Pisar o templo sagrado de Monza, lar dos tifosi e de histórias únicas na F1 é como rever a própria história da categoria contada em voltas e voltas de um GP. Junto da Inglaterra e de Mônaco, é um dos GPs clássicos do calendário e um dos mais antigos, estando no calendário desde o primeiro mundial, em 1950. Uma festa louca, onde a paixão pelo rosso da Ferrari é tamanha que nenhum muro ou segurança separa fãs dos ídolos da velocidade.

No entanto, contam-se nos dedos e em algo mais os GPs da Itália com alguma emoção. Não são poucos, mas não são tantos. Neste ano, a prova foi, novamente, um trenzinho com poucos lances de emoção. Ao menos, para Nico Rosberg, serviu para colocar um pouco mais de pimenta na briga interna com Lewis Hamilton. O inglês tinha a pole na mão mas – clássico de Rubens Barrichello – se atrapalhou com a embreagem do Mercedes e caiu da ponta para o sexto lugar, entregando de bandeja a prova nas mãos do alemão.

Largada em Monza. No trocar de pedais, Hamilton perdeu mão e caiu para o sexto lugar. Chegou em segundo e aplaudiu comedidamente o companheiro, com o segundo triúnfo seguido (Getty Images)

Largada em Monza. No trocar de pedais, Hamilton perdeu mão e caiu para o sexto lugar. Chegou em segundo e aplaudiu comedidamente o companheiro, com o segundo triunfo seguido (Getty Images)

2016941437597_beto7334_ii

Para Nico, foi um passeio sem maiores sustos. Já para Hamilton, foi uma prova suada para reaver todas as posições perdidas. Terminou num honroso segundo posto, coroando a boa recuperação durante a prova. Agora, a diferença entre os dois é de reles dois pontos e a prova noturna em Cingapura pode dizer muita coisa com relação a esta briga.

Vettel traz sorrisos a superestimada Ferrari

Vettel em terceiro. Apesar do tombo na realidade da Ferrari, um bom resultado para a alegria dos tifosi (Getty Images)

Vettel em terceiro. Apesar do tombo na realidade da Ferrari, um bom resultado para a alegria dos tifosi (Getty Images)

Sergio Marchione, presidente da Ferrari, parece ter botado os pés no chão de vez neste ano. Iniciou 2016 dizendo que o feudo de Maranello não podia passar o ano sem o título, mas assiste até agora uma decepcionante jornada, atolado em problemas com o carro e com a postura de Sebastian Vettel, visivelmente precisando recobrar o controle para voltar aos eixos na categoria. Admitiu o senhor de aparência calma e óculos ao afirmar que foi “otimista demais”.

Mas, ao menos, este fim de semana em casa foi um tanto animador. Aproveitando um bom treino no sábado, o time rosso fez a alegria dos tifosi (ainda mais conformados que Marchione) com o terceiro lugar de Vettel. Kimi Raikkonen também não desapontou e conseguiu um bom quarto no frigir dos ovos. Se é algum sinal de recuperação da confiança para o fim do ano, ninguém sabe ao certo, mas ao menos é um alento num ano tão complicado.

Raikkonen completou o bom fim de semana da Ferrari. Foi o quarto lugar (Getty Images)

Raikkonen completou o bom fim de semana da Ferrari. Foi o quarto lugar (Getty Images)

Nasr X Palmer: O brasileiro não é santo

Depois do anuncio da aposentadoria de Felipe Massa (a qual comentaremos no fim deste G&M), o xará da SauberFelipe Nasr – parece estar sabendo que a pressão para mostrar trabalho em 2017 será monstro. Talvez a mídia dita especializada (leia-se Globo) dê aquela forçada de barra, mas a verdade é que o piloto de Brasilia não está mostrando trabalho, nem mesmo quando a máquina suíça ajuda um pouco.

Em Monza, Nasr achou pelo caminho o velho rival de GP2, Joylon Palmer, e acabou se engalfinhando numa manobra com o filho do Dr. Jonathan. Apesar de entrar com a curva ganha, Joylon ainda tinha meio carro e espaço para buscar algo. O brasileiro, espevitado, fechou antes da hora e o esparrama se fez:

A defesa global (leia-se Cleber Machado / Reginaldo Leme / Luciano Burti) partiu para a defesa, enfiando toda a culpa no pobre coitado inglês. A verdade é que Nasr fez a bobagem e a temporada de 2017 pode ser uma sucessão de ufanismos por um 10º lugar do brasiliense, que por hora mostra ser apenas uma mera peça da engrenagem.

E, aqui pra nós, narração sofrível de Cleber Machado, sem conseguir passar nada além de uma forçada emoção. Reginaldo displicente como nos últimos tempos e Burti – que nunca foi santo nem exemplo de piloto competitivo e leal – dando aval as traquitanas em defesa de Nasr. Está dificil.

Em defesa de Nasr, Globo coloca Palmer como único culpado. Pudera, o brasiliense não parece nem de longe ser a surpresa que se esperava na Australia, no ano passado (Getty Images)

Em defesa de Nasr, Globo coloca Palmer como único culpado. Pudera, o brasiliense não parece nem de longe ser a surpresa que se esperava na Austrália, no ano passado (Getty Images)

Os 10 mais – Corrida

1 – Nico Rosberg (Mercedes)
2 – Lewis Hamilton (Mercedes)
3 – Sebastian Vettel (Ferrari)
4 – Kimi Raikkonen (Ferrari)
5 – Daniel Riccardo (Red Bull-TAG)
6 – Valtteri Bottas (Williams-Mercedes)
7 – Max Verstappen (Red Bull-TAG)
8 – Sergio Pérez (Force India-Mercedes)
9 – Felipe Massa (Williams-Mercedes)
10 – Nico Hulkenberg (Force India-Mercedes)
ABN – Felipe Nasr (Sauber-Ferrari)

Agora são apenas dois pontos entre os dois, tendo a imprevisível pista de Marina Bay, em Cingapura, como próximo compromisso (Getty Images)

Agora são apenas dois pontos entre os dois, tendo a imprevisível pista de Marina Bay, em Cingapura, como próximo compromisso (Getty Images)

Os 6 mais – Campeonato

1 – Lewis Hamilton (250)
2 – Nico Rosberg (248)
3 – Daniel Riccardo (161)
4 – Sebastian Vettel (143)
5 – Kimi Raikkonen (136)
6 – Max Verstappen (121)
10 – Felipe Massa (41)
21 – Felipe Nasr (0)

MENINO DE MUZAMBINHO: Daniel Riccardo

Dono da melhor manobra de ultrapassagem da prova, e uma lição para Felipe Nasr: Daniel Riccardo, nosso Menino de Muzambinho (Getty Images)

Dono da melhor manobra de ultrapassagem da prova, e uma lição para Felipe Nasr: Daniel Riccardo, nosso Menino de Muzambinho (Getty Images)

Boas atuações merecem coroa, mas belas ultrapassagens merece tanto quanto. Daniel Riccardo foi apenas o quinto colocado, a prova da Red Bull não foi lá tão boa quanto se esperava, mas o australiano vai mostrando serviço e a classe de sempre na pilotagem.

Prova disso? A bela e bem armada ultrapassagem sobre Valtteri Bottas, desbancando a Williams com um lance que misturou um pouco de perícia e movimento suicida, deixando para definir a manobra na freada, retardando o ponto e ganhando a curva mesmo com o finlandês tendo a preferencia na segunda perna. Lição que Felipe Nasr deveria de assimilar.

3ba0eb53bb5fa490473109d7eac07489

Numa prova com poucas emoções, um lance desse é digno de palmas. Valeu por essa, Riccardo!

McLaren: Button vira embaixador, Vandoorne é efetivado

Hora de férias quase permantentes. Jenson Button resignará-se-a a ser um simples piloto de testes na McLaren em 2017. Um break na carreira do piloto mais experiente do grid que pode ser irreversível (Getty Images)

Hora de férias quase permantentes. Jenson Button resignará-se-a a ser um simples piloto de testes na McLaren em 2017. Um break na carreira do piloto mais experiente do grid que pode ser irreversível (Getty Images)

Como disse acima, os bastidores foram movimentados neste fim de semana em Monza. Um deles foi o mais impactante, com a saída de Jenson Button do posto de titular da McLaren para 2017. Ele abre mão da vaga para o jovem e promissor belga Stoffel Vandoorne, que já mostrou que tem bala na agulha com o 10º lugar no Barhein.

O velho britânico campeão de 2009 corre o risco de não mais voltar a categoria, mas tudo pode mudar se a porta da Williams reabrir a ele, quem sabe para uma despedida de luxo no próximo ano. A aposentadoria de Felipe Massa (calma, já vamos falar sobre ela!) movimenta o mercado e, além de Button, fala-se no jovem canadense Lance Stroll, piloto de desenvolvimento do time e líder da F3. Mas são apenas rumores da boa e velha Radio Paddock.

Button ao lado do sucessor, o promissor Stoffel Vandoorne. O belga já tem até um ponto no campeonato, com o 10º lugar no Barhein, e pode ser o início de um rejuvenecimento na equipe de Woking (Getty Images)

Button ao lado do sucessor, o promissor Stoffel Vandoorne. O belga já tem até um ponto no campeonato, com o 10º lugar no Barhein, e pode ser o início de um rejuvenescimento na equipe de Woking (Getty Images)

Toro Rosso: Kvyat será chutado de vez?

A vida do time B da Red Bull está numa bad que vou te contar! O ano está terrível, especialmente depois da elevação de Max Verstappen para o time A, o que desestabilizou o frágil projeto que demonstrou ser um fiasco com a volta do engenho da Ferrari. Ainda mais, o time tem que aguentar as provas sem brilho e brochantes de Daniil Kvyat, rebaixado a condição de aprendiz depois das barbeiragens do inicio do ano.

Kvyat está literalmente queimado no mau ano da Toro Rosso, uma das decepções da temporada. Fala-se em sua substituição para as próximas corridas, veementemente negadas por Marko, mas confirmadas pelo aluno da casa, Pierre Gasly, que está tirando o sono do consultor-caolho (Getty Images)

Kvyat está literalmente queimado no mau ano da Toro Rosso, uma das decepções da temporada. Fala-se em sua substituição para as próximas corridas, veementemente negadas por Marko, mas confirmadas pelo aluno da casa, Pierre Gasly (abaixo), que está tirando o sono do consultor-caolho (Getty Images)

pierre-gasly

Depois de Monza, rola-se um papo no ar que o russo está com os dias contados na Toro Rosso até mesmo para a próxima prova, em Cingapura. Ganha força o rumor de que a equipe estará para sacar Kvyat de vez, mas de todo o lado o consultor-caolho Helmut Marko desmente o boato a torto e a direito. Inclusive até o criado pelo piloto e filho da casa, o francês Pierre Gasly, de que ele seria o substituto do soviético.

Seja como for o final da história, milagre para Kvyat para seus problemas psicológicos depois de um início de ano apático e afobado parece estar bem longe…

Para recordar: Massa, o último peleador tupiniquim

É o adeus, depois de 14 temporadas e 11 vitórias, Felipe Massa pendura o capacete na F1. Fim de um ciclo que já mostrava desgaste e a sabedoria em saber a hora de parar demonstra a grandeza e sabedoria do menino da Williams (Getty Images)

É o adeus, depois de 14 temporadas e 11 vitórias, Felipe Massa pendura o capacete na F1. Fim de um ciclo que já mostrava desgaste e a sabedoria em saber a hora de parar demonstra a grandeza e sabedoria do menino da Williams (Getty Images)

E este GP da Itália teve um clima de saudosismo, gratidão (ao menos, dos que sabem reconhecer o esforço dele) e uma certa aura sombria no ar. Em Monza, Felipe Massa anunciou que está deixando a F1 ao fim desta temporada. Ao lado de uma sempre parceira Claire Williams e recordando grandes momentos, o brasileiro pendura o capacete depois de 14 temporadas, fechando ao fim da temporada (se assim se cumprir) 249 GPs (247 largadas), 11 vitórias, 41 pódios e 16 poles.

O menino e a chefe. Junto da herdeira de Frank, Claire Williams, Massa faz o anuncio da aposentadoria na Itália (Getty Images)

O menino e a chefe. Junto da herdeira de Frank, Claire Williams, Massa faz o anuncio da aposentadoria na Itália (Getty Images)

Uma carreira muito bem laureada, que começou ainda como um pupilo da Ferrari em terras da Sauber, em 2002. Massa teve de amadurecer a pilotagem com o passar dos anos, refinando-se e aperfeiçoando-se a cada prova. Ao chegar na Ferrari, em 2006, venceu a primeira corrida, na Turquia (onde venceu mais duas vezes) e deu a grande alegria da última década: Fez o Brasil subir ao lugar mais alto do pódio em casa, no GP caseiro daquele ano.

Com toda esta sombra de esquecimento e incredulidade no automobilismo nacional, Massa poderá ser o último (por um longo tempo) a nos dar a emoção de ter disputado um título mundial, como foi em 2008. A decisão contra Lewis Hamilton no Brasil foi épica, nos presenteando com uma bela vitória que não foi suficiente para o titulo (que foi seu por, exatos, 38 segundos). As lágrimas foram sentidas por um país inteiro naquele dia.

A estreia na Sauber, em 2002, foi um primeiro passo, conturbado pelo ímpeto exagerado que moldou-se aos poucos, resultando em uma ida para a Ferrari, em 2006, e a briga épica pelo título em 2008 (abaixo), com lágrimas de derrota sentidas por fãs e amantes da categoria em todo o país e bem perto de nós, já que a decisão era em casa  (Getty Images)

A estreia na Sauber, em 2002, foi um primeiro passo, conturbado pelo ímpeto exagerado que moldou-se aos poucos, resultando em uma ida para a Ferrari, em 2006, e a briga épica pelo título em 2008 (abaixo), com lágrimas de derrota sentidas por fãs e amantes da categoria em todo o país e bem perto de nós, já que a decisão era em casa (Getty Images | GEPA/Motorsport)

02.11.2008 Sao Paulo, Brazil,  Felipe Massa (BRA), Scuderia Ferrari - Formula 1 World Championship, Rd 18, Brazilian Grand Prix, Sunday Podium - www.xpb.cc, EMail: info@xpb.cc - copy of publication required for printed pictures. Every used picture is fee-liable. © Copyright: GEPA / xpb.cc - LEGAL NOTICE: THIS PICTURE IS NOT FOR AUSTRIA PRINT USE, KEINE PRINT BILDNUTZUNG IN OSTERREICH!

Depois deste tento, Massa nunca mais viu o alto do pódio. Passou pela agonia de um grave acidente em 2009, na Hungria, e dali por diante não mais se reencontrou 100% com sua forma. Foi para a Williams em 2014 e foi responsável por reconduzir o time ao pelotão intermediário. No entanto, a falta de foco e combatividade dos ingleses – contrastando a idade de Massa – não puderam fazer o Williams um carro vencedor outra vez.

Agora, Felipe demonstra sabedoria e grandeza ao reconhecer que a hora de parar com a F1 chegou. Outros caminhos no automobilismo são possíveis e, com certeza, serão bem pensados pelo eterno menino do capacete azul e amarelo. No entanto, engana-se você, em especial os que torcem para ganhar e não pelo esporte, que Massa é um perdedor. À uma geração que nunca viu um brasileiro disputar um titulo mundial ou se emocionou para tanto, Massa nos permitiu isso e merece palmas e reverencia como um campeão. Embora o automobilismo nacional jamais reconheça esse esforço como fonte de inspiração para nos fazer voltar ao topo.

Na Williams, onde está desde 2014, Felipe conviveu com a realidade de um time que voltava ao bloco intermediario, mas ainda assim inconstante e sem demonstrar combatividade. Decisão de parar é grande e sábia, mas corre-se o risco do brasil sumir de vez do cenário da F1, haja vista a avaliação do esporte entre os torcedores para ganhar no país (Getty Images)

Na Williams, onde está desde 2014, Felipe conviveu com a realidade de um time que voltava ao bloco intermediário, mas ainda assim inconstante e sem demonstrar combatividade. Decisão de parar é grande e sábia, mas corre-se o risco do brasil sumir de vez do cenário da F1, haja vista a avaliação do esporte entre os torcedores para ganhar no país (Getty Images)

É isso ai mesmo, Massa. De minha parte, do Douglas e de todos os que amam este esporte, fica o perdão pelas duras críticas (em vezes era necessário, na avaliação das atuações) e a lembrança de grandes momentos e a gratidão imensa por, pelo menos em alguns momentos, podermos sonhar com os louros do titulo. Teu descanso é mais que merecido.

A F1 volta no dia 18, com a prova noturna de Cingpura, na bela Marina Bay. Até la!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s