Gramming & Marbles (Indy): Dixon resolve voltar a vencer em Glen com Pagenaud quase campeão

Depois de tantos azares, uma vitória num palco muito familiar. Dixon tem algumas vitórias na mítica pista de Watkins Glen. Hoje, não foi diferente (IndyCar)

Depois de tantos azares, uma vitória num palco muito familiar. Dixon tem algumas vitórias na mítica pista de Watkins Glen. Hoje, não foi diferente (IndyCar)

(Douglas Sardo)

Após o desfecho espetacular do Texas, as expectativas eram altas na F-Indy pois a categoria estava de volta ao lendário Watkins Glen. E o retorno da pista ao calendário veio bem a calhar para Scott Dixon. O neozelandês que não vencia desde a prova em Phoenix no mês de abril, acabou aumentando sua supremacia em Nova York: Agora são impressionantes quatro vitórias em sete participações no circuito.

Will Power viu suas chances de título bastante afetadas por um acidente com Charlie Kimball, enquanto Simon Pagenaud fez um sétimo lugar que lhe deixa em situação muito confortável para a corrida em Sonoma.

Dixon domina fim de semana em Glen

Após uma temporada cheia de percalços, Dixon aproveitou bem o retorno da Indy ao Glen para vencer com autoridade, numa pista em que ele é recordista de triunfos. Mas a vitória não veio de forma tão tranquila quanto a superioridade nos treinos indicava. Se é verdade que Dixon liderou 50 das 60 voltas da prova, com um desempenho muito superior a todos na pista, também é certo que a corrida teve alguns acidentes e bandeiras amarelas, e o neozelandês soube escapar bem das bolas divididas.

Um fim de semana irretocável, bem em contraste com tantas atuações opacas. Scott Dixon foi perfeito do treino a bandeirada final (IndyCar)

Um fim de semana irretocável, bem em contraste com tantas atuações opacas. Scott Dixon foi perfeito do treino a bandeirada final (IndyCar)

Mas sem duvidas quem mais ameaçou a vitória do tetracampeão da Ganassi foi o combustível. Isso porque faltando pouco mais de vinte voltas para o final da prova, Charlie Kimball e Will Power se envolveram em acidente que acionou novamente a bandeira de precaução. Todos foram para os boxes. Só que os carros tinham autonomia para no máximo 18 voltas, e alguns pilotos tiveram que fazer mais uma parada.

Dixon não voltou aos boxes e faltando poucas voltas para o fim, muitos duvidavam que ele conseguisse completar a prova. Mas o campeão reinante da Indy mostrou porque é considerado um dos pilotos mais completos do grid, e numa aula de economia levou o Chevy vermelho-raio-Target para mais uma vitória magistral. Terá sido a última dessas cores na Indy?

Falando no Etanol…

(IndyCar)

O prefeito, outra vez, vitima do azar, Hinchcliffe esteve outra vez nas cabeças, mas sofreu uma pane seca na última volta (IndyCar)

Hinchtown está em chamas! A população da cidade clama por justiça para seu prefeito!
James Hinchcliffe segue sendo vítima de azares. Semana passada o canadense dominou a prova do Texas, só para perder a vitória na linha de chegada para Graham Rahal. Não bastasse o amargo gosto da derrota, James ainda foi penalizado dias depois da corrida, pois a placa de deslizamento de seu carro estava desgastada, o que teria resultado em ganho de performance. A punição: 25 pontos a menos na tabela, além de uma multa de vinte mil dólares. Dá para prever uma alta de impostos em Hinchtown

Mas o azar do canadense não acabou no Texas. Em Watkins Glen, Hinch mostrou novamente sua força e estava em segundo lugar na última volta da prova, quando…pane seca! Pois é, o piloto da Schmidt Peterson foi a grande vítima das circunstâncias da prova, com todos tendo que usar até a última gota de combustível para completar a distância.

Restou ao prefeito pegar uma legítima carona com Sébastien Bourdais.

Castroneves e Penske acertam estratégia e garantem pódio

Helinho (IndyCar)

Helinho: Estratégia ousada no fim garantiu um bom terceiro lugar. Briga, agora, é pra fechar um 1-2-3 de Roger Penske na tabela final (IndyCar)

O brasileiro Hélio Castroneves não tem mais chances de título em 2016. Mas com os rumores de que Josef Newgarden pode se mudar para a Penske em 2017, não custa nada mostrar serviço nessas últimas provas da temporada. Helinho teve um excelente ritmo de corrida.

E na parte final da prova no Glen, quando poderia se juntar a Hinchcliffe como mais uma vítima da pane seca, topou uma mudança de estratégia proposta por Roger Penske, voando baixo para fazer um último splash & Go, terminando em terceiro. O brasileiro vai para Sonoma tentando superar Dixon na tabela, para fazer um 1-2-3 da Penske no campeonato.

Charlie Kimball (ele mesmo) pode ter definido o campeonato.

Outra vez: Mesmo sem ganhar, Pagenaud saiu com uma mão colada na taça, graças a um rebu de Will Power (atrás), que tomou uma rasteira do roda-presa Charlie Kimball (IndyCar)

Outra vez: Mesmo sem ganhar, Pagenaud saiu com uma mão colada na taça, graças a um rebu de Will Power (atrás), que tomou uma rasteira do roda-presa Charlie Kimball (IndyCar)

Simon Pagenaud chegou em Watkins Glen com 28 pontos de vantagem sobre seu companheiro de Penske, Will Power. Com a última prova em Sonoma tendo pontuação dobrada, tudo estava em aberto. Mas a corrida em Glen pode ter dado um ponto final na briga pelo título.

Os dois postulantes até brigaram pelo pódio no início da prova, mas acabaram tendo desempenhos apagados. Pagenaud conseguiu apenas um sétimo lugar, somando 26 pontos. Mas o francês saiu de Nova York como campeão virtual, já que Power teve um domingo de cão. O australiano era apenas 14º colocado quando Kimball tentou uma manobra desastrada para ultrapassá-lo, provocando um acidente e tirando o aussie da disputa. Charlie seguiu na corrida.

Power sai de Glen com apenas 11 pontos no bolso, e vê a vantagem de Pagenaud crescer para 43. Após a prova, o australiano apresentou sintomas de concussão, problema que ele já teve na abertura do campeonato em St. Pete, e que o tirou daquela peleja.

Felizmente Will está confirmado para o desfecho em Sonoma, mas suas chances de título ficaram bastante danificadas.

Rahal: Outra vítima de Kimball?

Na semana passada Graham Rahal venceu de forma espetacular o GP do Texas, e com certeza chegou com a moral elevada em Watkins Glen. Mas em Nova York as coisas não deram lá muito certo para o piloto da Rahal-Letterman. Nos treinos, uma punição por atrapalhar Jack Hawcksworth e apenas a vigésima posição no grid.

Na corrida, parecia que Graham poderia se recuperar, mas ao tentar uma ultrapassagem sobre Charlie Kimball pela 17ª posição, Rahal acabou tocando rodas e levou a pior. Fim de prova e muitas reclamações após o incidente. Para Rahal, Kimball não deu espaço. Mas a impressão que ficou para o pessoal do Bandsports é de que Rahal foi otimista demais, opinião com a qual o G&M concorda!

Fica para a próxima Rahal!

Quebra de suspensão deixa Kanaan em último em Watkins Glen

(IndyCar)

Kanaan fez outra prova combativa, caracteristica sua. No entanto, uma quebra de suspensão o empurrou para o ultimo lugar no final (IndyCar)

A vitória passou perto de Tony Kanaan na última semana no Texas. Após o duelo sensacional com Hinchcliffe e Rahal, o bom baiano chegou forte em Watkins Glen, dessa vez travando duelo excelente com Simon Pagenaud no início da prova, que rendeu uma ultrapassagem magnífica do brasileiro sobre o francês por fora.

A essa altura da corrida, T.K. era segundo colocado. Mas tudo mudaria graças a uma quebra de suspensão. Os reparos custaram voltas de atraso, e apesar de algumas bandeiras amarelas, Kanaan não conseguiu se recuperar e foi o último a completar a prova.

O brasileiro da Ganassi está em sexto lugar no campeonato.

RC Enerson: Mais uma promessa da Indy

Enerson: Olho na promessa da Dale Coyne (IndyCar)

Enerson: Olho na promessa da Dale Coyne (IndyCar)

Pela segunda vez na temporada, o carro #19 da Dale Coyne esteve nas mãos do novato RC Enerson. O piloto de 19 anos nasceu em New Port Richey, na Florida, e é filho de Neil Enerson, ex-dono da Team E Racing da Indy Lights. Enerson é considerado uma das novas promessas da F-Indy, estreou na categoria na prova de Mid-Ohio, e chegou a estar em sexto durante o GP em Watkins Glen, o qual acabou fechando em excelente nono lugar.

O jovem da Florida irá correr também a última etapa do ano em Sonoma. Vamos ficar de olho!

Os 10 mais – Corrida

1 – Scott Dixon (Ganassi-Chevrolet)
2 – Josef Newgarden (Carpenter-Chevrolet)
3 – Hélio Castroneves (Penske-Chevrolet)
4 – Conor Daly (Dale Coyne-Honda)
5 – Sébastien Bourdais (KV-Chevrolet)
6 – Charlie Kimball (Ganassi-Chevrolet)
7 – Simon Pagenaud (Penske-Chevrolet)
8 – Alexander Rossi (Andretti Herta-Honda)
9 – RC Enerson (Dale Coyne-Honda)
10 – Max Chilton (Ganassi-Chevrolet)
19 – Tony Kanaan (Ganassi-Chevrolet)

Os 6 mais – Campeonato

1 – Simon Pagenaud (555)
2 – Will Power (512)
3 – Scott Dixon (451)
4 – Hélio Castroneves (451)
5 – Josef Newgarden (446)
6 – Tony Kanaan (427)

Para recordar: Talvez a última vitória da parceria Ganassi-Target

Andretti e o Reynard-Ford da Chip Ganassi em 1994. Primeira vitória da parceria Target-Ganassi, da Reynard e do filho do vecchio Mário no retorno a Indy, na romântica Surfers Paradise (IndyCar)

Andretti e o Reynard-Ford da Chip Ganassi em 1994. Primeira vitória da parceria Target-Ganassi, da Reynard e do filho do vecchio Mário no retorno a Indy, na romântica Surfers Paradise (IndyCar)

As atuações opacas de Scott Dixon neste ano fazem pensar que esta pode ser a vitória derradeira da parceria vencedora entre a Chip Ganassi e a Target, já que a marca canadense de lojas de departamentos anunciou sair da Indy no fim do ano, mantendo-se apenas na visão Nascar da casa do velho Chip.

A parceria, começada nas mãos de Eddie Cheever em 1990 só viu a quadriculada como primeira pela primeira vez quatro anos depois, em 1994, num atribulado GP de Surfers Paradise, sob o sunset da tarde outrora chuvosa e com a perícia de um endiabrado Michael Andretti, em retorno a categoria após um ano de ausência sofrível na F1. A vitória também marcou a primeira do chassi Reynard, mantendo a tradição da fábrica de Adrian Reynard de vencer nas estreias das categorias em que participa.

A corrida? Ai embaixo, na íntegra:

As cortinhas da Indy estão se fechando em 2016. A última etapa acontece em 18 de setembro, na pista do deserto, em Sonoma.

Pagenaud é barbada? Ou será que Power ainda pode tirar uma carta da manga? Até lá!

Deixe uma resposta