Gramming & Marbles (Indy): Barbada! Pagenaud garante título com vitória fácil em Sonoma

Nous avons un champion! A Indy fala francês em 2016, e o homem atende pela graça de Simon Pagenaud, o melhor piloto da temporada e, merecidamente, o dono do campeonato com vitória sem sustos em Sonoma (IndyCar)

Nous avons un champion! A Indy fala francês em 2016, e o homem atende pela graça de Simon Pagenaud, o melhor piloto da temporada e, merecidamente, o dono do campeonato com vitória sem sustos em Sonoma (IndyCar)

(Douglas Sardo)

Quem assistiu a corrida decisiva da temporada 2016 da F-Indy no último domingo em Sonoma pode ter se decepcionado: As expectativas de um duelo emocionante pelo título entre Simon Pagenaud e Will Power logo foram evaporadas pelo desempenho soberano do francês, que jamais teve sua vitória ameaçada de fato.

Se já estava fácil para o gaulês, tudo ficou ainda melhor quando Power começou a se arrastar pela pista com problemas de câmbio. O australiano completou a prova com oito voltas de atraso, em grande anticlímax.

Pagenaud inalcançável em Sonoma

O dono do Chevrolet #22 da Penske foi soberano no deserto. Beneficiado ainda pelo azar do contendor - Will Power - terminando a prova oito voltas atrás do francês (Jose Carlos Fajardo/Bay Area News Group)

O dono do Chevrolet #22 da Penske foi soberano no deserto. Beneficiado ainda pelo azar do contendor – Will Power – terminando a prova oito voltas atrás do francês (Jose Carlos Fajardo/Bay Area News Group)

Simon Pagenaud chegou para a última prova em Sonoma precisando apenas de um quarto lugar para se sagrar campeão. Mas o francês mostrou que não sabe brincar, fez a pole-position, liderou 76 das 85 voltas em Sonoma, e venceu sem praticamente nenhum tipo de ameaça. O único piloto que tentou brigar pela vitória com o francês foi Graham Rahal, que fechou em combativo segundo lugar.

Will Power jamais teve ritmo para acompanhar seu rival de Penske, e teve de se contentar em brigar pelo pódio com Hélio Castroneves na primeira parte da prova. Se já estava difícil para o australiano, a luta ficou impossível quando ele começou a se arrastar pela pista com o câmbio preso em primeira marcha. Power ainda conseguiu seguir, mas foi o último a completar a prova, com oito voltas de atraso. Um final melancólico para o campeonato.

O melhor piloto foi o campeão

Um momento de aperto de Pagenaud: Dividindo curvas com Graham Rahal em Barber, mas onde o francês também levou a melhor nos excessos do filho de Bobby

Um momento de aperto de Pagenaud: Dividindo curvas com Graham Rahal em Barber. No entanto, o francês também levou a melhor aproveitando-se dos excessos do filho de Bobby. No fim, a competência de fazer o melhor durante o ano o premiou com um título por grande mérito (IndyCar)

A vitória de Pagenaud em Sonoma pode muito bem ser usada como o roteiro de toda a temporada 2016. O francês dominou o campeonato desde o início, mostrando velocidade e consistência impressionantes enquanto batia seus consagradíssimos companheiros de equipe na busca pela taça.

De fato, a luta pelo título foi encerrada em Watkins Glen, com Will Power sendo acertado por Charlie Kimball. Chegando em Sonoma, o australiano precisava da vitória e ainda dependia que Pagenaud não chegasse em quarto e não fizesse a pole-position. Power com certeza tem do que se lamentar nessa temporada. Logo na estréia em St. Pete, uma pole-position arruinada por uma convulsão: O australiano sequer correu. O acidente com Kimball em Glen e os problemas em Sonoma aumentam essa conta.

Will Power nem teve chance de fazer frente ao francês, terminou oito voltas atrás com problemas no câmbio. Um bom ano do australiano, que pecou apenas pelos azares no caminho (IndyCar)

Will Power nem teve chance de fazer frente ao francês, terminou oito voltas atrás com problemas no câmbio. Um bom ano do australiano, que pecou apenas pelos azares no caminho (IndyCar)

Mas também é preciso lembrar que o aussie foi muito mal no início da temporada, justamente quando Pagenaud abriu grande vantagem. A reação de Will no campeonato também contou com doses de azar para o francês: Ele teve problemas de motor em Elkhart Lake, além de ter perdido uma vitória certa em Toronto graças a um golpe de sorte que jogou a vitória no colo do próprio Will Power.

Portanto, se Power teve seus azares ao longo de 2016, o mesmo pode ser dito de Pagenaud. O título do francês, enfim, é muito justo, pois sem duvidas foi o melhor piloto da temporada.

Graham Rahal fecha 2016 em alta

Graham Rahal terminou 2016 em boa cotação. O herdeiro do velho Bobby soube rever-se dos excessos e fez um grande ano, com vitória no Texas (IndyCar)

Graham Rahal terminou 2016 em boa cotação. O herdeiro do velho Bobby soube rever-se dos excessos e fez um grande ano, com vitória no Texas. Em Sonoma, bisou um segundo lugar e foi o único a ameaçar a vitória de Pagenaud (IndyCar)

A Penske e a Chevrolet dominaram a temporada e as coisas ficaram bastante difíceis para os carros com o kit Honda. Graham Rahal fechou o ano como o melhor piloto com o equipamento japonês, terminando o campeonato em quinto lugar, a frente por exemplo de Scott Dixon, Tony Kanaan e do apagado Juan Pablo Montoya. Se no início do ano o filho de Bobby jogou pela janela uma vitória em Barber graças a seus excessos, podemos dizer que ele se redimiu vencendo de forma fantástica no Texas, e na corrida em Sonoma foi o único que conseguiu fazer alguma ameaça ao dominante Pagenaud, terminando em belíssimo segundo lugar.

Em entrevistas recentes, Bobby Rahal falou que só pretende abrir uma segunda vaga no time se for para contar com um piloto experiente, que possa contribuir com o desenvolvimento do carro e de seu próprio filho como piloto, e citou como exemplo a ótima contribuição que receberam do espanhol Oriol Serviá, que correu pela equipe nas 500 milhas de 2015. Bobby falou que os custos para ter dois pilotos no time são muito altos, e por isso sua equipe não conta com um segundo carro fixo desde 2014.

Seria interessante ver a equipe Rahal com dois carros para a próxima temporada. Só que mais interessante ainda seria se a Honda entregasse um equipamento mais forte, tornando a disputa mais acirrada. Certamente pilotos como Graham Rahal ou James Hinchcliffe incomodariam muito mais.

Montoya diz que continuará na Indy

Durante o ano perguntamos onde andava El Gordito. A temporada de Montoya foi totalmente oposta a do último ano, onde chegou cabeça a cabeça com Scott Dixon. Juan Pablo diz que fica na Indy em 2017, mas bem provavel que não seja na casa de Roger Penske (IndyCar)

Durante o ano perguntamos onde andava El Gordito. A temporada de Montoya foi totalmente oposta a do último ano, onde chegou cabeça a cabeça com Scott Dixon. Juan Pablo diz que fica na Indy em 2017, mas bem provável que não seja na casa de Roger Penske. Ainda arrancou um terceiro em Sonoma, no frigir dos ovos (IndyCar)

Juan Pablo Montoya fez um ano extremamente apagado em 2016, e pode ter feito em Sonoma sua última corrida pela Penske. Se foi mesmo uma despedida da equipe, ainda não é certo, mas se foi, pelo menos o colombiano fechou sua passagem pelo time com um pódio (apenas o terceiro no ano).

Sobre seu futuro, tudo o que Montoya disse é que continuará na Fórmula Indy em 2017. As especulações apontam que o colombiano deve se mudar para a equipe KV, substituindo Sebastién Bourdais, que deve ir para a equipe Dale Coyne. Vamos aguardar o desfecho dessas negociações, e quando tivermos novidades, traremos os detalhes para você leitor, aqui no G&M.

Fim de temporada lamentável para brasileiros

Kanaan: Outra vez vitima do azar do bom baiano presente. Problemas na largada e apenas o 13º. Ao menos, lugar garantido na Ganassi em 2017 (IndyCar)

Kanaan: Outra vez vitima do azar do bom baiano presente. Problemas na largada e apenas o 13º. Ao menos, lugar garantido na Ganassi em 2017 (IndyCar)

Mais uma vez o providencial azar destruiu a corrida de Tony Kanaan na Fórmula Indy. Logo na primeira volta,  Mikhail Aleshin e Sebastién Bourdais se enroscaram e o baiano vinha logo atrás, tendo que esperar a carambola se dissolver. O carro de Tony morreu, junto com qualquer chance de um bom resultado na prova. O piloto da Ganassi ainda conseguiu salvar um 13º lugar.

A corrida de Sonoma também não foi muito feliz para Hélio Castroneves. O brasileiro da Penske até lutou pelo pódio na primeira parte da prova, e antecipou suas paradas para tentar ganhar a posição de Will Power. Só que essa tática acabou obrigando Hélinho a fazer um pit-stop a mais que os outros, jogando-o para oitavo.

Helinho: Erro de estratégia complicou a corrida do brasileiro, que teve de se conter com o sétimo lugar. Ele também permanece na Penske em 2017 (IndyCar)

Helinho: Erro de estratégia complicou a corrida do brasileiro, que teve de se conter com o sétimo lugar. Ele também permanece na Penske em 2017 (IndyCar)

Hélio conseguiu superar o apagado Marco Andretti, mas depois teve pela frente uma pedreira: Josef Newgarden. O piloto da Carpenter se defendeu muito bem dos ataques do brasileiro para fechar em sexto lugar. Castroneves teve que se contentar com o sétimo posto.

A única boa notícia é que os dois estão confirmados na Penske e na Ganassi para 2017. Castroneves ainda fechou a trinca da Penske na classificação do campeonato, mas segue o incômodo jejum: um brasileiro não vence na Indy desde 2014.

Vida dura para Enerson em Sonoma

RC Enerson, o estreante do fim do ano, não teve em Sonoma o mesmo desempenho que no Glen. Mas promete muito para o próximo ano (IndyCar)

RC Enerson, o estreante do fim do ano, não teve em Sonoma o mesmo desempenho que no Glen. Mas promete muito para o próximo ano (IndyCar)

Na edição do G&M sobre a corrida no Glen, falamos sobre o excelente desempenho do jovem RC Enerson. Mas parece que secamos ele. Em Sonoma, o novato da equipe Dale Coyne andou sempre no fundão, o melhor que conseguiu foi andar em 17º por algumas voltas, fechando em 19º, a frente apenas do “baleado” Will Power.

De qualquer forma, a boa impressão que Enerson deixou em Glen serve de consolo, e dá para esperar bons desempenhos desse piloto no futuro.

Os 10 mais – Corrida

Os 10 mais – Corrida

1 – Simon Pagenaud (Penske-Chevrolet)
2 – Graham Rahal (Rahal Letterman Lanigan-Honda)
3 – Juan Pablo Montoya (Penske-Chevrolet)
4 – Ryan Hunter-Reay (Andretti-Honda)
5 – Alexander Rossi (Andretti Herta-Honda)
6 – Josef Newgarden (Carpenter-Chevrolet)
7 – Hélio Castroneves (Penske-Chevrolet)
8 – Marco Andretti (Andretti-Honda)
9 – Charlie Kimball (Ganassi-Chevrolet)
10 – Sebastién Bourdais (KV-Chevrolet)
13 – Tony Kanaan (Ganassi-Chevrolet)

Um ano de grandes atuações, corridas medidas e vencidas muitas vezes sem sustos. Um ano perfeito para Simon Pagenaud, o merecido campeão de 2016 e que entra ainda mais forte para 2017 (IndyCar)

Um ano de grandes atuações, corridas medidas e vencidas muitas vezes sem sustos. Um ano perfeito para Simon Pagenaud, o merecido campeão de 2016 e que entra ainda mais forte para 2017 (IndyCar)

Os 6 mais – Campeonato (Final)

1 – Simon Pagenaud (Penske-Chevrolet) 659 – CAMPEÃO
2 – Will Power (Penske-Chevrolet) 532
3 – Hélio Castroneves (Penske-Chevrolet) 504
4 – Josef Newgarden (Carpenter-Chevrolet) 502
5 – Graham Rahal (Rahal Letterman Lanigan-Chevrolet) 484
6 – Scott Dixon (Ganassi-Chevrolet) 477
7 – Tony Kanaan (Ganassi-Chevrolet) 461
11 – Alexander Rossi (Andretti Herta-Honda) 430 – Calouro do ano

Campeonato dos fabricantes

1 – Chevrolet – 1814 pts, 14 vitórias, 13 poles
2 – Honda – 1710 pts, 2 vitórias, 3 poles

Steph Curry de carona com Super Mario

Os passageiros de Mario Andretti em Sonoma: (IndyCar)

Os passageiros de Mario Andretti em Sonoma: O casal Stephen Curry, all-star da NBA, e a encantadora Ayesha Curry (IndyCar)

O fim de semana decisivo da Indy em Sonoma atraiu grandes astros da NBA. Entre eles estava Stephen Curry, o fantástico armador do Golden State Warriors, campeão da liga na temporada 2014-2015. Curry teve o privilégio de dar uma voltinha no F-Indy de dois lugares da Honda, guiado por ninguém mais ninguém menos que Mario Andretti. A esposa do All-Star, Ayesha Curry, foi quem deu o comando para os pilotos ligarem os motores.

Outro que também deu uma voltinha com Mario Andretti foi o ala Kawhi Leonard, do San Antonio Spurs. O melhor jogador de defesa da liga aproveitou para conhecer o brasileiro Tony Kanaan, nos boxes da equipe Chip Ganassi.

Calendário da Indy em 2017

Helinho recebe o pano quadriculado pela vitória na última vez que a Indy pisou em Gateway, em 2003. Oval do Missouri retorna ao calendário em 2017 (Sutton)

Helinho recebe o pano quadriculado pela vitória na última vez que a Indy pisou em Gateway, em 2003. Oval localizado entre Illinois e Missouri retorna ao calendário em 2017 depois de 13 anos (Sutton)

Com a temporada chegando ao final, já dá uma certa saudade dos Indycars desafiando os ovais americanos. A temporada 2017 só vai começar em 12 de março, um longo período de férias.

Para não deixar o leitor na saudade, o G&M vai publicar uma edição especial lembrando grandes momentos do ano, quem decepcionou, quem empolgou e tudo mais. Também vamos ficar ligados na questão das transferências.

Por enquanto, fica o calendário para o ano de 2017, até breve!

12/03 – St. Pete
09/04 – Long Beach
23/04 – Barber
29/04 – Phoenix
13/05 – Indianpolis
28/05 – 500 Milhas de Indianapolis
03/06 e 04/06 – Detroit (Rodada Dúpla)
10/06 – Texas
25/06 – Road America
09/07 – Iowa
16/07 – Toronto
30/07 – Mid-Ohio
20/08 – Pocono
26/08 – Gateway (Oval que retorna após 13 anos de ausência)
03/09 – Watkins Glen
17/09 – Sonoma

Deixe uma resposta