Gramming & Marbles (MotoGP): Márquez supera vacilos, vence em Aragón e encosta no título

Falta um cabelo para a taça. Depois de uma série de vencedores diferentes, eis que Marc Márquez regresse ao primeiro posto do pódio, com um fim de semana dominante em casa, na pista de Aragón (MotoGP)

Falta um cabelo para a taça. Depois de uma série de vencedores diferentes, eis que Marc Márquez regresse ao primeiro posto do pódio, com um fim de semana dominante em casa, na pista de Aragón (MotoGP)

(Douglas Sardo)

Após mais de quatro meses de surpresas, finalmente a sequência de vitórias alternadas da MotoGP caiu. E foi pelas mãos do líder do campeonato. Marc Márquez dominou todo o fim de semana em Aragón (ou Aragão, como diria Didi Mocó e outros tantos veículos) e voltou a vencer em casa após quase dois anos, um triunfo que pode ter garantido o título de 2016 para La Hormiga.

Valentino Rossi brigou o quanto pôde mas além de ser batido por Márquez, perdeu também o segundo lugar da prova para Jorge Lorenzo e foi o grande derrotado da corrida.

Corrida: Márquez com uma mão na taça

Para Rossi: A missão de ter que vencer saindo da posição mais complicada entre os primeiros Motorsport)

Para Rossi: A missão de ter que vencer saindo da posição mais complicada entre os primeiros (Motorsport)

Ninguém tinha dúvidas de que Marc Márquez era o grande favorito para a 14ª etapa do mundial de MotoGP, em Aragón na Espanha. La Hormiga dominou os treinos e fez soberba pole-position, claramente num patamar diferenciado dos outros concorrentes. O alerta vermelho estava ligado para Valentino Rossi, que conseguiu apenas o sexto tempo do grid.

Para sobreviver na luta pelo título, era imperativo para o Doutor impedir uma vitória do #93. À frente de Rossi largariam, além de Márquez, o inspirado Maverick Viñales, Lorenzo, Andrea Dovizioso (levando as esperanças de manter a sequência de vencedores alternados), e Cal Crutchlow, um dos maiores nomes dessa temporada.

Na largada, briga entre Marquez e Lorenzo favoreceu Viñales, que liderou as primeiras voltas até um erro bobo Motorsport)

Na largada, briga entre Marquez e Lorenzo favoreceu Viñales, que liderou as primeiras voltas até um erro bobo Motorsport)

Logo na largada ficou claro para Marc que a vitória não seria tão fácil. Lorenzo partiu com muita agressividade e dividiu a primeira curva com o piloto da Honda. Viñales aproveitou-se do duelo para assumir a liderança. O piloto da Suzuki mostrava força, porém na segunda volta Márquez já lhe tomava a dianteira, apenas para cometer um erro bobo e cair para o quinto lugar.

Essa foi a senha para que Rossi partisse para o ataque em busca da vitória, e o italiano mostrou a velha garra para superar Lorenzo e depois Viñales, chegando ao primeiro posto. O azar de Rossi foi que Márquez não teve muito trabalho para alcançar o segundo posto, principalmente porque Maverick cometeu um erro e permitiu a Marc se recuperar rapidamente, impedindo Vale de abrir uma margem mais confortável.

Rossi atrás de Viñales. Depois do erro do espanhol da Suzuki, a senha para começar a batalha Motorsport)

Rossi atrás de Viñales. Depois do erro do espanhol da Suzuki, a senha para começar a batalha (Motorsport)

Logo Rossi se via às voltas com um terrível ataque e nada pôde fazer para impedir a ultrapassagem e a vitória dominante de Márquez. Pior, Valentino ainda sofreu com o desgaste dos pneus e também foi superado por Lorenzo. No final da prova, o Doutor ainda tentou um ataque derradeiro para recuperar o segundo posto do Espartano, mas nada feito: Rossi cometeu um raro erro e teve que se contentar com o terceiro lugar.

Com a vitória, Márquez é o campeão virtual da temporada, com 52 pontos de vantagem sobre Rossi e faltando apenas quatro etapas. Como se não bastasse, o piloto da Honda ainda teve a alegria de ver seu irmão mais novo, Álex Márquez, chegar em segundo lugar na corrida da Moto2. Dá para pedir mais?

Aquele errinho que não podia: Com os pneus destruídos, Rossi derrapa e entrega segunda posição a Lorenzo, Ele bem que tentou o troco, mas outro erro o impediu de voltar ao segundo posto Motorsport)

Aquele errinho que não podia: Com os pneus destruídos, Rossi derrapa e entrega segunda posição a Lorenzo, Ele bem que tentou o troco, mas outro erro o impediu de voltar ao segundo posto (Motorsport)

Os 10 mais – Corrida

1 – Marc Márquez (Honda)
2 – Jorge Lorenzo (Yamaha)
3 – Valentino Rossi (Yamaha)
4 – Maverick Viñales (Suzuki)
5 – Cal Crutchlow (LCR-Honda)
6 – Dani Pedrosa (Honda)
7 – Aleix Espargaró (Suzuki)
8 – Pol Espargaró (Tech 3-Yamaha)
9 – Alvaro Bautista (Aprilia)
10 – Stefan Bradl (Aprilia)

Dia de pilotagem perfeita de Márquez em Aragón, saindo da pista espanhola mais perto do título deste ano. Para completar a festa em família, o irmão menor, Alexis Márquez, foi o segundo na prova da Moto2 Motorsport | MotoGP)

Dia de pilotagem perfeita de Márquez em Aragón, saindo da pista espanhola mais perto do título deste ano. Para completar a festa em família, o irmão menor, Álex Márquez (abaixo), foi o segundo na prova da Moto2 (Motorsport | MotoGP)

20169251119516_mvdsdg1_2410_ii

Os 6 mais – Campeonato

1 – Marc Márquez (Honda) 248
2 – Valentino Rossi (Yamaha) 196
3 – Jorge Lorenzo (Yamaha) 182
4 – Dani Pedrosa (Honda) 155
5 – Maverick Viñales (Suzuki) 149
6 – Cal Crutchlow (LCR-Honda) 105

Lorenzo, tubarões e provocações

Para a corrida em Aragón, Jorge Lorenzo trouxe um capacete com um desenho de tubarão, bastante ameaçador. O casco diferente parece ter surtido efeito, e o #99 mostrou sua perícia para superar Viñales e Rossi durante a prova para conseguir um bom segundo lugar.

Tubarão no elmo e provocação. Assim como Rossi em Misano, no ano passado, Lorenzo exibiu o peixe no capacete, alfinetando o rival da própria casa, cuja relação anda em ruínas Motosport)

Tubarão no elmo e provocação. Assim como Rossi em Misano, no ano passado, Lorenzo exibiu o peixe no capacete, alfinetando o rival da própria casa, cuja relação anda em ruínas (Motosport)

Só que o desenho do capacete despertou polêmica: Em 2015, no auge da luta pelo título entre os dois pilotos da Yamaha, Rossi usou em Misano um capacete com o desenho de um tubarão que seria uma espécie de caricatura do próprio Lorenzo. Na arte do casco, o tubarão caçava um peixe menor, mais carismático, ou seja, o próprio Rossi.

O desenho de tubarão que Lorenzo usou em Aragón foi claramente uma provocação, após o bate-boca que os dois tiveram semanas atrás no GP de San Marino. Menos mal para Jorge que ele fez valer a traquinagem, terminando na frente de Rossi.

Baixas de guerra

De volta, mas sem brilho. O campeão de 2006, Nick Hayden, assumiu o guidão da moto de Jack Miller em Aragón. Jackass segue de molho depois da panca em Silverstone. Já Hayden não fez muito além do 15º. MotoGP)

De volta, mas sem brilho. O campeão de 2006, Nicky Hayden, assumiu o guidão da moto de Jack Miller em Aragón. Jackass segue de molho depois de uma queda grave na Áustria. Já Hayden não fez muito além do 15º. (MotoGP)

Na última edição do G&M sobre a MotoGP, falamos sobre o quanto anda movimentado o departamento médico da categoria. Nosso querido Jackass, Jack Miller, segue fora de combate. Com isso, a Marc VDS ousou e promoveu o retorno de ninguém mais ninguém menos que Nicky Hayden, campeão mundial em 2006. O americano porém, teve desempenho apagado e fechou apenas em 15º, pelo menos conseguindo um ponto.

Mas se é para falar de lesões, a bruxa anda solta mesmo é na equipe Tech3. Com Bradley Smith fora por conta de acidente nos treinos para as 8 horas de Oschersleben, o time acionou Alex Lowes, que disputou as etapas de Silverstone e Misano. No fim de semana em Aragón, porém, Lowes também não pôde correr. O britânico sofreu um tombo no quatro treino livre, no sábado, e ficou de molho por conta de dores. A equipe de Hervé Poncharal alinhou apenas a moto de Pol Espargaró.

Lowes posa com a turma da Tech3. Substituto de Bradley Smith também entrou no molho, pelo menos no fim de semana de Aragón, depois de um tombo no quarto treino livre MotoGP)

Lowes posa com a turma da Tech3. Substituto de Bradley Smith também entrou no molho, pelo menos no fim de semana de Aragón, depois de um tombo no quarto treino livre (MotoGP)

Por fim, Andrea Iannone também decidiu não correr em Aragón, ainda sentindo as dores da fratura causada pelo acidente nos treinos em Misano. Crazy Joe foi substituído pelo compatriota Michele Pirro, que fechou em 12º lugar.

Falando em Iannone, que saudades…

Já que chegamos em Iannone, é uma boa hora para dizermos o quanto sentimos falta do incendiário piloto da Ducati. Apesar de destrambelhado, o #29 sempre extrai grande velocidade da sua Desmosedici, e muitas vezes coloca uma pimenta a mais nas corridas.

Dovizioso no grid. Era dele a responsabilidade de continuar com a série de vencedores diferentes. Mas o italiano foi medíocre, sendo ultrapassado até pela dupla Bradl-Bautista, da Aprilia, terminando apenas em 11º MotoGP)

Dovizioso no grid. Era dele a responsabilidade de continuar com a série de vencedores diferentes. Mas o italiano foi medíocre, sendo ultrapassado até pela dupla Bautista-Bradl, da Aprilia (abaixo), terminando apenas em 11º (MotoGP)

20169251238335_1_ara16_aprilia_race_ii

Já não podemos dizer o mesmo de seu companheiro de equipe. Andrea Dovizioso parece que dormiu na prova em Aragón. No italiano estavam depositadas as esperanças de quem queria a continuação da sequência de vitórias alternadas no campeonato. Porém, beirando o patético, Dovi foi despencando na classificação da prova e acabou sendo ultrapassado até mesmo pela dupla da Aprilia! No frigir dos ovos, o italiano fechou em um vergonhoso 11º lugar, apenas três segundos à frente de Michele Pirro. Festa em Noaele e Faenza, desespero em Bologna!

Torçamos para uma rápida recuperação dos lesionados, que tanta falta nos têm feito. A MotoGP retorna daqui à três semanas, nos anéis duplos de Motegi, na terra do sol nascente.

Sayonara!

Deixe uma resposta