Seis anos de Melz: Parece que foi ontem, parece que faz décadas

(Marina Melz / Melz Assessoria de Imprensa)

A Melz Assessoria de Imprensa, as palmas e vivas de A BOINA pela passagem de seus seis anos de bons serviços no mundo jornalístico. A gratidão é também nossa pela parceria e crença neste espaço Reprodução / Melz)

A Melz Assessoria de Imprensa, as palmas e vivas de A BOINA pela passagem de seus seis anos de bons serviços no mundo jornalístico. A gratidão é também nossa pela parceria e crença neste espaço (Reprodução / Melz)

Amanhã (01/10), faz seis anos daquela sexta-feira. Era 2010 e eu lembro de ter aberto os olhos e pensado: agora é pra valer. Não consigo definir se parece que foi ontem ou se parece que faz décadas, mas tenho certeza de termos caminhado muito em direção ao nosso real e verdadeiro propósito de contribuir para fazer do mundo um lugar em que as boas notícias repercutam mais do que as más.

Quando sinto que passou voando, penso na sensação. O frio na barriga que persiste até hoje quando abro a porta e me dou conta que é o nome da minha família que está ali, na parede. Quando escuto alguém dizer é a fulana, da Melz e penso que a família cresceu. O encantamento com as novidades dos clientes recém-chegados e também dos que estão conosco desde o início. A alegria de abrir uma revista ou um jornal e imaginar que em todo o Brasil ou num só bairro outras pessoas estão fazendo o mesmo e vendo uma marca que a gente acredita ali.

Pra quem não conhece, eis a dona moça responsável por esta alegre equipe amarela-e-preta: A querida Marina Melz, que assina também esta tocante crônica Reprodução / Arquivo Pessoal)

Pra quem não conhece, eis a dona moça responsável por esta alegre equipe amarela-e-preta: A querida Marina Melz, que assina também esta tocante crônica (Reprodução / Arquivo Pessoal)

É igual também a vontade de comemorar cada conquista com as pessoas que fazem parte disso. Do primeiro ao último clipping, do primeiro retweet ao último like. Do abraço encorajador aos feedbacks negativos. Do fechado, quando começamos? ao tem que ser amanhã, neste horário. Dá um jeito pra mim?. Tenho a mais absoluta certeza de que não seria como é hoje se não tivesse sido exatamente como foi cada um dos gestos, palavras e sentimentos até aqui.

E aí, pensando que parece que foi ontem, cresce em mim a sensação de que faz décadas. As dezenas de reuniões, os milhares (e não é exagero) de clippings, os mais de 100 projetos, as mais de 15 pessoas. Enquanto a sensação é a mesma, sinto que somos outros porque crescemos e aprendemos muito.

Compreendemos que as pessoas sempre podem (e vão) nos surpreender. Com as histórias, as motivações, os desejos e as frustrações. Que por trás de uma marca – seja de alfinetes ou foguetes – há, invariavelmente, alguém que sonhou. E onde existe uma boa história é onde a Melz quer estar.

Relíquia da Melz: Uma linda Olivetti Studio 46, uma nota de um passado do jornalismo que vive na constante evolução (Daniel Zimmermann)

Relíquia bem guradada da Melz: Uma linda Olivetti Studio 46, uma nota de um passado do jornalismo que vive na constante evolução (Daniel Zimmermann)

Aprendemos também que divulgar uma marca para além dos seus muros é mudar o olhar de quem está dentro deles. Descobrimos que a sensação de orgulho de quem veste a camisa dos nossos clientes é um dos reflexos mais puros e genuínos do nosso trabalho.

Tivemos várias amostras da deliciosa responsabilidade que carregamos com o equilíbrio entre entusiasmo e seriedade. Situações que mudaram realidade de um cliente, como um aporte realizado depois de uma publicação gerada pela assessoria de imprensa ou um novo distribuidor conquistado através do conteúdo para as mídias digitais. Ou que impactaram diretamente no negócio, como o depoimento de um empresário que nos disse que entendeu o potencial da própria companhia através do olhar da nossa equipe.

(Reprodução)

(Reprodução)

Não sei se passou voando ou se seis anos é muito tempo. No fundo, acho que essa percepção nunca vai se clarear na minha mente. E é certa de que apenas começamos e que já aprendemos muito que sigo, com uma equipe absolutamente fantástica e clientes dos quais posso afirmar veementemente que sou fã, acreditando nesse mundo de boas notícias, de marcas que tenham orgulho de quem ser quem são e de que comunicar é o que nos move.

Seis anos parece pouco e sei que conquistamos muito. Mais do que eu imaginava naquela sexta-feira, quando eu acordei pensando que era pra valer. Porque valeu. Valeu muito a pena.

A Boina2Irmanada neste espírito festivo único no jornalismo, A BOINA aproveita o espaço para cumprimentar com maior carinho a querida e amável Marina Melz e todos da briosa equipe da Melz Assessoria de Imprensa pela passagem desta data! Desejando, como de praxe para qualquer jornalista, um novo e venturoso ciclo de boas pautas, boas notícias e sucesso nos novos projetos.

Aguardamos bolo, ok?

André Luiz Bonomini – Blog A BOINA, Blumenau-SC

Anúncios

Um comentário sobre “Seis anos de Melz: Parece que foi ontem, parece que faz décadas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s