Halloween: Pepper Jack promove concurso de escultora de abóboras para o Dia das Bruxas

(Letícia Oberger / Oficina das Palavras)

Trick ou treat? Gostosuras ou travessuras? O Pepper Jack, em Blumenau, se prepara para o horripilante Dia das Bruxas com primor. E tem até concurso de esculturas de abóboras, as clássicas lanternas (Reprodução)

Trick ou treat? Gostosuras ou travessuras? O Pepper Jack, em Blumenau, se prepara para o horripilante Dia das Bruxas com primor. E tem até concurso de esculturas de abóboras, as clássicas lanternas (Reprodução)

O mês de outubro lembra qual comemoração? Se estivermos falando de um restaurante que prega o lifestyle norte-americano então só há uma reposta: Halloween. O Dia das Bruxas (31/10) é fortemente celebrado nos Estados Unidos e foi essa a motivação dos sócios do Pepper Jack para transpor à cidade tipicamente alemã um clima diferente, divertido e no maior estilo doces ou travessuras.

As surpresas programadas ocuparão o mês inteiro. Nesse início de outubro, o público que passar pelo restaurante já verá que a bruxaria está solta em uma decoração repleta de monstros, teias de aranha e abóboras, que, aliás, terão um destaque especial na programação.

Qualquer pessoa da comunidade, disposta a cavar boas ideias, pode participar do Concurso de Escultura de Abóboras. Cada participante individualmente deverá esculpir uma abóbora e entregá-la no Pepper Jack no dia 27 de outubro, não é necessário fazer inscrição. As obras serão avaliadas levando em consideração a criatividade e o acabamento, e ficarão expostas no restaurante entre os dias 27 e 31 de outubro.

download

(Reprodução)

A premiação será feita no último dia do mês. Os três primeiros colocados ganham vales de consumação no restaurante. O regulamento completo está disponível no site do Pepper Jack. Quem vier ao Pepper Jack já vai sentir o clima do Halloween, mas as ações serão intensificadas de 26 a 31 de outubro. É tudo surpresa, mas já podemos adiantar que terá até cardápio especial para a data. Até lá, muito suspense no ar, destaca o sócio do estabelecimento, Caio Fontenelle.

A origem: O Jack-o-‘lantern

Simbolo do Halloween, a Jack-o-'lantern - lanterna feita com abóbora - é um dos grandes atrativos na noite do Dia das Bruxas, preparado com empolgação na noite de véspera do dia 31/10 (Reprodução)

Simbolo do Halloween, a Jack-o-‘lantern – lanterna feita com abóbora – é um dos grandes atrativos na noite do Dia das Bruxas, preparado com empolgação na noite de véspera do dia 31/10 (Reprodução)

As esculturas de abóbora – as clássicas lanternas feitas para a celebração do Halloween – tem origem na literatura americana. A chamada Jack-o-‘lantern surgiu em algumas das várias adaptações do imortal conto de terror A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, do escritor americano Washington Irving, escrito em 1820 e que apavora gerações até hoje já tendo tido interpretações na animação e no cinema, em especial a versão da dupla dinâmica Johnny Depp-Tim Burton, em 1999.

Ichabod Crane diante do Cavaleiro sem Cabeça na animação do conto de Washington Irving, de 1949. Versões da história do escritor americano, datada de 1820, foi uma das primeiras origens da lanterna de abóbora clássica do Halloween (Reprodução)

Ichabod Crane diante do Cavaleiro sem Cabeça na animação do conto de Washington Irving, de 1949. Versões da história do escritor americano, datada de 1820, foi uma das primeiras origens da lanterna de abóbora clássica do Halloween (Reprodução)

De símbolo da época de colheita no século XIX, a abóbora esculpida virou um ícone do dia das bruxas, sendo retratada como um dos símbolos da celebração em uma publicação de 1º de novembro de 1866, do jornal canadense Daily News. De lá para cá, anos e anos passando, a clássica lanterna de abóbora virou uma marca maior do Halloween, sendo tradicionalmente preparada nas vésperas do Dia das Bruxas, especialmente para preparar o álibi perfeito na recepção das crianças atrás de gostosuras ou travessuras.

Então, para ir se aquecendo para a data mais horripilante do ano, A BOINA solta um clássico da halloween music dos anos 60: O som de Bobby Boris Pickett, e a divertida Monster Mash, claro!

Deixe uma resposta