Fabrício Wolff em A BOINA: A melhor Oktoberfest de todos os tempos

(Jaime Batista)

(Jaime Batista)

(Fabrício Wolff / Fotos: Jaime Batista da Silva / Blog do Jaime)

Quando vejo uma Oktoberfest mais do que organizada, gostosa de viver, como a deste ano, naturalmente me vejo remetido àquelas edições do início dos anos 90, quando os números apontavam um milhão de participantes. A cidade virava um caos, do centro à antiga Proeb. As reclamações dos blumenauenses eram muitas. Simplesmente não havia como receber tanta gente de uma só vez. Para piorar, naqueles tempos muitos turistas Brasil afora, especialmente em São Paulo, compraram a nossa Oktober como um carnaval alemão… zoeira sem freio… bebedeira e mulheres.

(Clique e veja recordações da primeira Oktoberfest e histórias no Antigamente, aqui em A BOINA). 

A Oktoberfest de hoje não tem nada a ver com aquele tempo. Foi necessária uma reposição da marca, que levou alguns anos. Da festa do chope para a festa das tradições germânicas. Foi imprescindível a procura da qualificação da festa e do público. Com a mesma cultura de trabalho, organização e limpeza de sempre, a Oktoberfest de Blumenau praticamente se reinventou.

(Jaime Batista)

(Jaime Batista)

Nos últimos três anos, em especial, a festa cresceu em qualidade a olhos vistos. O incentivo às cervejarias artesanais talvez tenha sido o principal. A gastronomia também melhorou. As bandas continuam ótimas e já nem dependemos tanto das atrações internacionais (embora sempre bem vindas).

Além da preocupação com a limpeza e segurança, orgulho de sempre e itens mais do que elogiados pelos turistas, detalhes que parecem pequenos mas fazem a diferença foram implementados. O controle de ingressos e agilidade na entrada, a praça de alimentação (Biergarten) muito melhorada, maior número de banheiros disponíveis, restaurantes, pontos de fotografia… até a Sala de Imprensa é outra coisa. São tantas melhorias que a gente sempre vai esquecer alguns itens.

Não é à toa que muita gente tem se referido à Oktoberfest 2016 como a melhor festa de todos os tempos. Ela cresceu tanto em qualidade que até o blumenauense, que um dia, lá atrás, torceu o nariz para a festa, está aproveitando a alegria que contamina a cidade. Acredito que a ideia de parar de perseguir quebra de recorde de número de público para investir forte no crescimento da qualidade tenha sido a decisão mais acertada de todos os tempos.

(Abaixo, uma galeria especial com alguns dos melhores cliques do super Jaime Batista na 33ª Oktoberfest. Mais imagens estão também disponíveis no Flickr do blogueiro/jornalista/onipresente e também no Blog do Jaime, só clicar no negrito!)

Não é o número maior de pessoas dentro da festa que faz dela um sucesso. É como essas pessoas se sentem dentro da festa que conta. E neste quesito, a festa ofereceu muito mais opções de gastronomia, lazer, segurança, muito mais comodidade com menos filas em caixas e banheiros, muito mais alegria e encantou a todos, blumenauenses e turistas. Ainda que no sábado, dia 15, o número limite máximo de pessoas tenha colocado à prova esta qualidade superior, a organização esteve à altura. E, no geral, foi aprovada com estrelinha.

Os parabéns vão para a administração do Parque Vila Germânica, organizadores da Oktoberfest, comissões que trabalham muito para este sucesso, administração municipal… mas os parabéns vão, principalmente, para os blumenauenses, que possuem a cultura da tradição e mostram sem pudor – especialmente em outubro – o orgulho de viver esta cidade. É isto que encanta os turistas, move a economia e alegra a cada um de nós.  E, mais uma vez, coloca Blumenau no patamar de um lugar especial, ímpar em suas peculiaridades, no coração de todos os brasileiros.

(Jaime Batista)

(Jaime Batista)

Deixe uma resposta