Karina Beatrice em A BOINA: A roupa adequada para o ambiente de trabalho

(Karina Beatrice Frainer)

Reprodução)

(Reprodução)

Já ouvi muitas vezes pessoas falando sobre como não se preocupam com a opinião dos outros em relação a aparência e suas ações no dia a dia. Eu também já repeti isso em vários momentos, confesso. Mas será que isso é mesmo verdade? Será que a primeira impressão não é a que fica?

Certos ou não, a aparência tem sim um enorme peso sobre o que as pessoas pensam de nós, porque ela é o primeiro contato antes de uma conversa. As roupas e acessórios são signos e transmitem mensagens. Quando alguém encontrar você com os cabelos sujos e desajeitados e a roupa amarrotada, certamente não vai fazer uma análise de que você acordou atrasada e não deu tempo para se arrumar. Ou ainda, que você só ia na padaria, e que logo voltaria para casa. Essa história de vou alí e volto já é uma tremenda armadilha para a imagem. A partir do momento que você sai de casa, está exposto ao mundo e vai transmitir uma informação.

274b30bdd9339cbbc179feebcc63a2b4

(Reprodução)

Pior ainda é assumir esta postura no trabalho, sabendo que você representa a empresa. Isso acontece principalmente em locais onde não há o uso de uniformes. As pessoas acreditam que basta levantar, vestir qualquer coisa do armário e seguir para o serviço. Para cada ambiente de trabalho existe uma roupa adequada. Se você trabalha com criatividade, moda e comunicação, pode usar algo mais descontraído, porém lembrando de evitar chinelos, transparência, decotes, e roupas manchadas e amarrotadas.

O escritório pede mais formalidade, blazers e saias de tecido são ótimas opções. Se você precisa usar calçados confortáveis, prefira sapatilhas, scarpins de salto médio ou ainda um tênis mais social. Os modelos de academia devem ficar mesmo para a malhação.

Cabelos arrumados e bem tratados, barba feita ou cuidada, maquiagem leve e opaca e muito bom senso fazem parte da dica. Nada de brilhos, minissaia, barriga de fora, bijuterias barulhentas, perfume forte ou make de balada. O shorts rasgado jeans deve ficar para o fim de semana. A roupa de trabalho precisa transmitir responsabilidade, segurança e elegância.

A regra básica é conhecer a empresa que você vai se candidatar a vaga ou já trabalha, para entender qual é o conceito. Para não errar, é melhor investir nas roupas mais sociais e de cores neutras, que são sempre bem aceitas pelo RH. Nada de exagero, prefira algo mais discreto.

Conheça primeiro quem você é, e depois adorne-se de acordo, disse o filósofo grego Epiteto. Ela representa a importância de sabermos identificar nosso estilo e reconhecer o que tem a ver com quem somos de verdade e o que gostamos. De nada adiante estarmos sempre alinhados com uma imagem que não condiz com quem somos. O autoconhecimento é essencial para nos vestirmos de nós mesmos.

Deixe uma resposta