Videotape n’A Boina nº51 – (Playlist do Luke) Três grupos teen para voar no tempo

Hora de voltar no tempo com três sucessos teen dos anos 2000. Luke Baldin aperta o play e faz um raio-X dos grupos que mexiam com a cabeça da garotada que, hoje, ou lembra com nostalgia ou tenta esquecer a loucura daqule tempo (Arquivo)

Hora de voltar no tempo com três sucessos teen dos anos 2000. Luke Baldin aperta o play e faz um raio-X dos grupos que mexiam com a cabeça da garotada que, hoje, ou lembra com nostalgia ou tenta esquecer a loucura daquele tempo (Arquivo)

(Lucas “Luke” Baldin)

Hola! que tal, muchachos? Tudo bem com vocês?

Bordão mudado por uma razão, vamos falar de fenômenos teens da década de 2000! Dois deles são latinos e um americano. Um deles mais desconhecido aqui no Brasil mas estourado lá fora. Os outros dois foram febres aqui em terras tupiniquins. Façam suas apostas!

Bem, há os diferentões do role que não assumem, mas todo mundo já teve uma febre teen quando adolescente. Isso consta no manual da adolescência! Claro, esses diferentões ficam julgando quem gosta e tudo mais, mas aposto um acarajé bem arretado que até esses zés diferentes já cantaram um y sou rebelde no chuveiro.

Preparem a nostalgia, a camada de hate do bolo e a saudadezinha de quem já se embalo por esses fenômenos de manipulação da massa jovem global. Afinal, todo mundo sabe que essas bandinhas tem data de validade, geralmente se dá quando para de render grana na venda de discos e merchandising.

Lembrando que no fim deste texto delicia escrito pelo jornalista mais delicia ainda vou dar dicas de como criar um fenômeno teen. (se eu lembrar)

03. Grupo: Teen Angels (2007-2010) / Novela: Casi Angeles (2007-2012) [Argentina]

 Esq, à Dir.: Nico, lali, Peter, Euge, Rochi E Gaston. Pela primeira vez os TeenAngels foram seis. O Grupo recebendo a nomeação para um importante premio argentino pela última temporada de Casí Angeles (Reprodução)

Esq, à Dir.: Nico, lali, Peter, Euge, Rochi E Gaston. Pela primeira vez os TeenAngels foram seis. O Grupo recebendo a nomeação para um importante premio argentino pela última temporada de Casí Angeles (Reprodução)

Membros: Nicólas Riera, Juan Pedro Lanzani, Gastón Dalmau, “Lali” Espósito, Maria Eugenia Suárez (2007 – 2011), Rocío Igazárbal (2011 – 2012)

Começando pelo number 03 da lista um menos conhecido. Criado em 2007 pela Señora Cris Morena, lá da argentina, a trama que conta a história de 5 órfãos que lutam contra maus tratos de um cara malvadão não soa estranha. Quem conhece Cris Morena (e a loira?) sabe um dos grandes êxitos dela: Chiquititas. A autora de novela infanto juvenil escreveu grandes hits que posteriormente foram adaptados (e exibidos) por outro países (Chiquititas, Floribela, Rebelde Way).

Voltando a Casí Angeles, a historia que era pra ser uma nova temporada de Chiquititas acabou ganhando um outro nome. A primeira temporada (nunca exibida no Brasil) é praticamente um clone das menininhas do mexe mexe com as mãos. Claro, se era pra ser uma nova temporada da trama do Cantinho De Luz é meio óbvio que a história segue uma linha de raciocínio. No fim a trama ganhou outro nome e a história só tomou seu rumo próprio em 2008 em sua segunda temporada.

 A nova formação do grupo em 2011. O susto foi grande mas logo Rochi, a nova TeenAngel, foi recebida de braços abertos pelos fãs do grupo (Reprodução)

A nova formação do grupo em 2011. O susto foi grande mas logo Rochi, a nova TeenAngel, foi recebida de braços abertos pelos fãs do grupo (Reprodução)

Caminhando pra algo mais lúdico mas sempre retratando jovens que querem atenção dos adultos, nasce ainda em 2007 o grupo derivado TeenAngels. Tentando ser um novo EreWay (vindo de “Rebelde Way”, da matriarca de todas versões de Rebelde) e quem sabe até um novo RBD. Embora fez bastante sucesso na Argentina, Chile, México, Itália, Espanha, Israel e mais alguns lugares, tinha uma dinâmica diferente. As músicas do grupo funcionavam como trilha sonora, sem a novela os álbuns ainda funcionam, mas melhora dentro do contexto do folhetim.

Em 2010, Casí Angeles chega ao fim com a temporada 4 subtitulada La Resistencia. Em 2011 o grupo continua suas atividades agora de modo independente e com uma substituição de integrantes. Maria Eugênia (Euge) saí por questões de cachês e rapidamente Rocío Igarzabal (Rochi) -que fez parte do elenco secundário da novela originária- assume o posto.

Os TeenAngels anunciaram o seu fim em 2012 e em 2013 chega aos cinemas TeenAngels: La Despedida, um show em 3D com imagens da última apresentação do grupo no teatro argentino Gran Rex e depoimentos sobre a jornada do grupo. Jogada esperta de marketing.

Os Quase Anjos ensaiando para um novo clipe. A última fase do grupo marca um visual ainda mais quente e uma tentativa de levar o grupo para o amadurecimento. Assim como os seguidores da banda, os intérpretes também cresceram (Reprodução)

Os Quase Anjos ensaiando para um novo clipe. A última fase do grupo marca um visual ainda mais quente e uma tentativa de levar o grupo para o amadurecimento. Assim como os seguidores da banda, os intérpretes também cresceram (Reprodução)

Segue uma das minhas músicas favoritas, Voy Por Más, versão do album espanhol do grupo. Por falar nisso essa música tocou na minha colação de grau (>.<)


02. Filme: High School Musical (1, 2 e 3: Ano Da Formatura) / Franquia: High School Musical (2006-2008)

 Elenco (sem o protagonista masculino, Zac Enfron) no especial de 10 anos de HSM no Disney Channel (Reprodução)

Elenco (sem Zac Enfron) no especial de 10 anos de HSM no Disney Channel (Reprodução)

Elenco: Zac Efron/ Drew Seeley (dando voz as músicas do primeiro filme) [Troy Bolton] Vanessa Hudgens (Gabriela Montez), Ashley Tisdale (Sharpay Evans), Lucas Grabeel (Ryan Evans), Monique Coleman (Taylor Mckessie) e Corbin Bleu (Chad Danforth).

Passamos agora para uma franquia de três filmes da Disney. Ela quebrou paradigmas do Disney Channel. O fenômeno que nasceu em 2006 para fechar o números de telefilmes produzidos para o canal se tornou uma febre entre os jovens do mundo todo. O conto de fadas pseudo moderno onde o jogador popular do time de basquete do colégio East High se apaixona pela nerd (lindona por sinal) do grupo de química ganhou os corações dos adolescentes e pela primeira vez ganhou uma sequência já no ano seguinte, coisa rara no canal no rato.

De 2006 para 2007 o elenco do primeiro telefilme sai em turnê pelos Estados Unidos e posteriormente para outros lugares do mundo com a High School Musical Tour. Por falar nisso nessa turnê não vimos Zac Efron no palco, e sim seu duble de voz, Drew Seeley. Sim! Como Zac Efron não atingia as notas (ou seja, era desafinado pra cassete) ele dublou as músicas. Quando a galera Disneyana viu que o paranaue ficou sério o sr. Efron tomou umas aulinhas e as outros duas trilhas da franquia foram cantadas pelo próprio Zac.

Em 2007 temos o encerramento da franquia na televisão, já que o Disney Channel não ultrapassa a marca de dois filmes para a TV (O primeiro apresentando os personagens e o segundo dando continuidade na história). Dessa vez um filme de verão cheio de músicas agitadas e gente usando calça e casaco (?). Ninguém se tocou que mesmo gravado no inverno era necessário encarnar a ideia de verão não apenas no céu azul e nas piscinas.

A turma do East High School na foto de divulgação do segundo longa da franquia para a televisão, um clima quente mas ainda politicamente correto... Ai, ai, Disney... (Reprodução / Disney)

A turma do East High School na foto de divulgação do segundo longa da franquia para a televisão, um clima quente mas ainda politicamente correto… Ai, ai, Disney… (Reprodução / Disney)

2008. Chega de fato o fim do Ciclo de High School Musical. Pela primeira vez uma franquia de filmes da televisão do Mickey ganha os cinemas. Em 24 de Outubro vemos a despedida do sexteto do East High no longa High School Musical 3: Ano da Formatura. Tirando os problemas de adaptação por conta de ter vindo de um formato diferente da telona, o longa rendeu uma boa grana e fechou com chave de ouro a trilogia dos queridinhos Wildcats.

P.S.: Em breve vou comentar a minha teoria sobre HSM 3.

Chegou a hora de dizer adeus para os formandos, esse filme com certeza tá na minha lista de preferidos (Reprodução / Disney)

Chegou a hora de dizer adeus para os formandos, esse filme com certeza tá na minha lista de preferidos (Reprodução / Disney)

Bem, a música 02 da lista fica por conta de A Night To Remeber do Terceiro Filme, uma das minhas preferidas dos três discos.


01. Grupo: RBD (2004 – 2009) / Novela: Rebelde (2004-2006) [México]

Capa do melhor disco que eu tenho. Só tenho a edição em Espanhol, mas abafa o caso... Enquanto o brasil deu destaque a logo da novela, o méxico destacou o nome da banda, e foi isso que eu gostei. Além das musicas serem atemporais. Arranjos que não envelhecem tão cedo, as músicas não caem somente como trilha sonora, o que ajudou ao grupo deslanchar fora da novela (Reprodução)

Capa do melhor disco que eu tenho. Só tenho a edição em Espanhol, mas abafa o caso… Enquanto o brasil deu destaque a logo da novela, o méxico destacou o nome da banda, e foi isso que eu gostei. Além das musicas serem atemporais. Arranjos que não envelhecem tão cedo, as músicas não caem somente como trilha sonora, o que ajudou ao grupo deslanchar fora da novela (Reprodução)

Membros: Anahí, Dulce Maria, Alfonso Herrera, Christian Chavéz, Maite Peroni e Christopher Uckekmann

Ai, ai, muchachada. Chegamos ao number one da lista. Não há muito o que falar sobre a febre Rebelde. A novela que contou os trancos e barrancos dos jovens de todas as classes dentro dos muros do Colégio Elite Way ganhou rapidamente o mundo. Vindo de Rebelde Way da Argentina, a adaptação da televisa chegou em agosto de 2005 no SBT e rapidamente se tornou um estouro. Discos regravados em português, turnês brasileiras e muitos posteres. Os mexicanos, enfim, dominaram o cenário musical tupiniquim.

Por essa nem o Chespirito imaginava. Batendo de frente com a temporada sei lá qual de Malhação a novela seguia a receitinha básica (que um dia vou falar melhor) de fenômenos teens. Uniformes de colégio, musicas coringa sobre vida adolescente e muita mini saia, além de galãs de 30 anos se passando por menininhos de 15. Nessa vibe RBD estoura com o album Rebelde, que diga-se de passagem é muito bom. Desde as músicas até as artes.

 Último show do RBD chega em DVD sem muito cuidado e muito menos divulgação. Vindo da turnê do álbum (primeiro sem versão em português) Empezar Desde Cero, a apresentação feita no aniversário de Brasília foi a única gravada da turnê. Além de ter pedaços tensos onde, por problemas de retorno, alguns integrantes se atrasam nas músicas, dá pra se notar um certo desgaste do grupo e ao mesmo tempo maturidade como banda (Reprodução)

Último show do RBD chega em DVD sem muito cuidado e muito menos divulgação. Vindo da turnê do álbum (primeiro sem versão em português) Empezar Desde Cero, a apresentação feita no aniversário de Brasília foi a única gravada da turnê. Além de ter pedaços tensos onde, por problemas de retorno, alguns integrantes se atrasam nas músicas, dá pra se notar um certo desgaste do grupo e ao mesmo tempo maturidade como banda (Reprodução)

Depois do fim do folhetim, 2006 no México e 2007 no Brasil o grupo seguiu carreira agora com menos força. Em 2007 lançam o disco Celestial que é um meio termo entre Rebelde e RBD. Ele é bom mas não o melhor. Depois disso o grupo inevitavelmente foi perdendo força e com os integrantes focados em novos projetos o grupo encerra suas atividades em 2009.

Ah, um adendo. RBD ganha uma série (sem muita força) na tv fechada, RBD: La Familia, que contava de uma forma cômica as desventuras da vida por trás dos palcos de personagens fictícios do RBD. Eu costumo dizer que essa é uma especie de resposta para o ponto de interrogação que do fim (?) que recebeu a novela Rebelde.

Em 2007 o anúncio da homossexualidade do integrante Christian Chavez foi polemica no começo, mas tratada com naturalidade pelos fãs e pela mídia. Mesmo assim seu personagem dentro de La Familia, siticom sobre o RBD foi de um mulherengo sem noção (assim como o Giovani, personagem de Chavéz em Rebelde), mais um motivo para ser RBD: La Familia ser um spin-off de Rebelde (Reprodução)

Em 2007 o anúncio da homossexualidade do integrante Christian Chavez foi polemica no começo, mas tratada com naturalidade pelos fãs e pela mídia. Mesmo assim seu personagem dentro de La Familia, siticom sobre o RBD foi de um mulherengo sem noção (assim como o Giovani, personagem de Chavéz em Rebelde), mais um motivo para ser RBD: La Familia ser um spin-off de Rebelde (Reprodução)

Desde então muitos encontros são planejados mas nada saí do papel. Fique com uma apresentação da música Liso y Sensual (Neustro Amor, 2005) gravado por uma pessoa que estava assistindo.

Adoro esses videos sem muito glamour:

Ufa, Por hoje é isso. Pena do André que vai editar tudo isso (MUAHAHAHAHA). Ócios do ofício. Entendam que isso fez parte de fases da minha vida e eu trato com muito carinho. É normal a gente gostar dessas coisas, sempre virão novas modinhas pros jovens, mas agora como eu já sou um tio (né?) eu comento de coisas do meu tempo (como se eu fosse uma múmia…)

Um beijo e um queijo (branco que é mais saudável) e bora pra esse ano de 2017. Que ele seja muito top (SIM, FALO TOP! E DAÍ?). Semana que vem estou de volta.

Luke para A BOINA encerrando a transmissão! Tchaau!

Deixe uma resposta