Coro do Teatro Carlos Gomes: 12 anos depois, a volta ao canto e encanto

As vozes voltam a ecoar pelo auditório principal do Carlos Gomes. É o coral do TCG, que retoma as atividades em 2017 depois de 12 anos ausentes (Michele Lamin)

As vozes voltam a ecoar pelo auditório principal do Carlos Gomes. É o coral do TCG, que retoma as atividades em 2017 depois de 12 anos ausentes (Michele Lamin)

(Camila Tibes / Oficina das Palavras)

Sopranos, contraltos, tenores e baixos reunidos num mesmo palco. Este é o Coro do Teatro Carlos Gomes. Um grupo talentoso que foi fundado inicialmente pelo maestro Heinz Geyer e com grande renome no universo musical. Depois de doze anos longe das atividades, o conjunto reiniciou suas atividades em março do último ano, com 28 cantores.

Quem está à frente do novo projeto é Dayro Bornhausen, que agora em 2017 traz novidades e pretende desenvolver um repertório um pouco mais desafiador. Para isso, abriu dez novas vagas para cantores de todos os níveis. Vamos trabalhar em cima de um repertório que atenda a demanda do grupo e que una os mais diversos elementos musicais possíveis no canto em conjunto, explica Bornhausen.

A ideia de resgatar a tradição e trazer o Coro novamente aos palcos foi dada pela diretora da Escola de Música do Teatro Carlos Gomes, Noemi Kellermann, que idealizou e concretizou o projeto. Dayro é um grande talento, tem extensa experiência e capacidade na área. O retorno do Coro foi um grande marco para a nossa cultura. E hoje é um orgulho para todos nós e também para Blumenau, afirma.

Um pouco de história: Os corais masculino e feminino do TCG junto da ainda novata Orquestra de Câmara, nos tempos de regência do inesquecível Heinz Geyer (Reprodução)

Um pouco de história: Os corais masculino e feminino do TCG junto da ainda novata Orquestra de Câmara, nos tempos de regência do inesquecível Heinz Geyer (Reprodução)

Ao longo do último ano, os cantores desenvolveram um repertório erudito e popular, oportunizando diversas possibilidades vocais. Apresentaram-se não só nas atividades da Escola de Música, mas também em outros espaços, divulgando e promovendo a atividade coral na cidade. Nós nos preparamos de acordo com cada convite recebido e adequamos o repertório. Pensando sempre no que o público gostaria de apreciar, revela Bornhausen.

Os ensaios já iniciaram, mas ainda dá tempo de participar. Qualquer pessoa que tenha interesse e vontade de cantar pode ir até a secretaria da escola e agendar uma aula experimental. As exigências são que o aluno seja afinado e não tenha dificuldades rítmicas. Não é preciso ler partitura. Os encontros são sempre as quartas-feiras, às 19h30, nas dependências da Escola de Música.

Deixe uma resposta