Uma outra cidade-jardim: “A Ponte” será lançado nesta segunda

Uma outra Blumenau desconhecida por muitos e longe das lentes da TV em evidência: Luiz Figueroa apresenta nesta segunda A Ponte, documentário que traz uma nova visão das periferias e morros da cidade-jardim (Reprodução / FCB)

(Nane Pereira)

Periferias, morros e vielas da cidade de Blumenau. Narrativas e pontos de vistas diferentes daquelas apresentadas nas propagandas de TV. O documentário A Ponte, que será lançado nesta segunda-feira (24/04), às 20h, na Casa do Arquiteto, traz à tona um debate sobre a Blumenau das desigualdades sociais, e mostra, por meio de um outro olhar, que elas estão mais próximas do que se imagina.

São 60 minutos de narrativas e entrevistas com moradores, professores, jornalista e lideranças sociais que veem na Ponte José Ferreira da Silva (Anel Viário Norte) uma linha que divide e ao mesmo tempo gera reflexão e debate social. O projeto A Ponte é patrocinado pela Prefeitura de Blumenau e pela Fundação Cultural de Blumenau, por meio do Fundo Municipal de Apoio à Cultura. O filme será disponibilizado gratuitamente para visualização e download por meio do YouTube.

Em 2010, o Censo apontou que mais de 23 mil pessoas moram nas favelas de Blumenau. Sim, favelas. A quem só conheça a região central da cidade, pode parecer um absurdo tal afirmação. No documentário A Ponte, atravessamos o rio e buscamos ver a cidade sob outra perspectiva e encontramos uma realidade muito diferente da vista nos anúncios publicitários. Acredito que todo blumenauense deveria assistir e descobrir que do outro lado existe uma história que é contada todo dia, mas que ninguém pára para ouvir, diz o idealizador do projeto e cinegrafista Luiz Figueroa.

O idealizador, cinegrafista Luiz Figueroa: Acredito que todo blumenauense deveria assistir e descobrir que do outro lado existe uma história que é contada todo dia, mas que ninguém pára para ouvir (Ana Carolina Fernandes)

Blumenau, segundo pesquisa realizada pela BCI-100 (Best Cities Index) e divulgada pela Delta Economics & Finance, em novembro de 2014, recebeu o título de quarta melhor cidade para se viver no país, mostrando ainda mais o potencial que a cidade possui, apesar de, como em milhares de outras cidades, sofrer com as diferenças sociais, culturais e econômicas.

Existem realidades díspares que necessitam ser reconhecidas como integrantes da cidade, da comunidade, mas não somente como objeto de denúncia ou rebeldia, e sim para o próprio entendimento dos cidadãos que não compartilham de tal realidade, do papel que necessitam desempenhar para uma sociedade ainda melhor, acrescenta Luiz.

Além do lançamento no dia 24, haverá mais cinco sessões, seguidas de bate-papo com a produção do documentário, no mês de abril, em Blumenau. No dia 25, às 10h e às 11h25, na EBM Vidal Ramos e, às 20h, na Offcina Café Coworking; no dia 26, às 20h, na Praça Dr. Blumenau; no dia 27, às 10h e às 11h25, na EBM Almirante Tamandaré e, às 19h, no Auditório do Bloco H, na FURB, sala 105.

Acompanhe as notícias e as novidades do documentário pelo Facebook da Micro Produções.

Entrevista com Jair Compiani, num dos momentos do documentário. Depois da Oficina do Arquiteto, a produção faz grande circuito de exibições (Bruna Zago)

Serviço:

O que: Lançamento + roda de conversa do documentário A Ponte, em Blumenau
Quando: 24 de abril, às 20h
Onde: Na Casa do Arquiteto (Rua Pastor Oswaldo Hesse, 294, Ribeirão Fresco)
Ingresso: Entrada gratuita
Classificação etária: Livre
Duração: 60 minutos

Outras exbições (+ roda de conversa, no mês de abril)

– Dia 25/04: Às 10h e às 11h25, na Escola Básica Municipal Vidal Ramos (Rua Antônio Treis, 140 – Vorstadt) e, às 20h, na Offcina Café Coworking (Rua Iguaçu, 209 – Itoupava Seca).
– Dia 26/04: Às 20h, na Praça Dr. Blumenau (Rua Nereu Ramos, 463 – Centro).
– Dia 27/04: Às 10h e às 11h25, na Escola Básica Municipal Almirante Tamandaré (Rua Santa Fé, 66 – Ponta Aguda) e, às 19h, no Auditório do Bloco H, na FURB, Sala 105 (Campus 1, Rua Antônio da Veiga, 140 – Itoupava Seca).

Deixe uma resposta