Agulhas do Bem: Artesãs doam polvos de crochê para bebês prematuros do Hospital Santa Catarina

Crochê a serviço do amor: Voluntárias do grupo Agulhas do Bem trazem da Dinamarca para Blumenau, os pequenos polvos que trazem aconchego aos bebés prematuros do Hospital Santa Catarina (Reprodução)

(Patricia Wippel / Oficina das Palavras)

A iniciativa que começou na Dinamarca e inspirou artesãos no Brasil, chegou agora a Blumenau, no Hospital Santa Catarina. O grupo Agulhas do Bem, formado por 16 artesãs, em parceria com a Círculo S.A., que doou a matéria-prima, iniciou o projeto para deixar os bebês prematuros mais tranquilos e confortáveis na incubadora. Os tentáculos dos polvos de crochê lembram o cordão umbilical e, por isso, os pequenos sentem como se ainda estivessem aconchegados no útero materno.

O grupo de artesãs se encontra semanalmente para elaborar ações solidárias para o projeto denominando Agulhas do Bem, e pesquisou e montou um protótipo do polvo de crochê, seguindo as especificações de materiais, dimensões e execução do artesanato.Conseguimos contato com a supervisora materno infantil do Hospital Santa Catarina, Anemir Ciotti, a qual já conhecendo o projeto, ficou muito satisfeita e aprovou o modelo. Ela nos repassou que essa maternidade tem uma demanda de em média 20 polvos mensais, que é o fluxo de crianças prematuras que passam mensalmente pela UTI Neonatal, explica a artesã Cláudia Regina Stolf.

As voluntárias ao trabalho. A Circulo S.A. é antiga parceira do grupo e cedeu a matéria-prima para a confecção dos polvos (Reprodução)

A Círculo S.A. é uma parceira antiga do Agulhas do Bem, que já atuou em diversos outros projetos sociais do grupo, e decidiu apoiar mais esta causa. Foram doados pela empresa e também pelas artesãs 24 novelos de fio 100% algodão, específico para a confecção do polvinho, em diversas tonalidades. A fibra que fará o enchimento do polvo de crochê será doada pelo próprio hospital, que já possui estoque do material adequado e também se prontificou a ajudar.

Nós levamos nosso amor e talento com as artes manuais, mas sempre contamos com parceiros importantes, como a Círculo S.A., que já nos apoiou em diversas outras iniciativas sociais, como confecção de peças para idosos em asilos, para aquecer bebês carentes em maternidades da região, ajudando entidades como a Rede Feminina de Combate ao Câncer, APAE, e instituições protetoras de animais de ruas, com a confecção de peças apropriadas, reforça Cláudia.

Segundo o grupo, o plano é fazer uma entrega mensal de polvos para o HSC, e estão sendo convocadas novas mãos solidárias para o trabalho (Reprodução)

Para o gerente de Marketing da Círculo S.A., Osni de Oliveira Junior, esse tipo de iniciativa destaca a importância e a essência do trabalho manual. Quem produz sempre transmite em cada ponto amor, carinho e dedicação, que são repassados a quem recebe as peças produzidas pelas cuidadosas e habilidosas mãos das artesãs. É ainda mais gratificante poder ajudar em projetos sociais como este, que são simples e que podem trazer um grande retorno para a saúde e bem-estar dos bebês. A Círculo S.A. atua juntamente com diversos grupos de artesãos pelo país buscando sempre inspirar outros apaixonados por artesanato, pontua.

A intenção do projeto do Agulhas do Bem é dar sequência a uma entrega mensal de polvos para a UTI Neonatal e Pediátrica do Hospital Santa Catarina. Para isso, queremos contar com novas ‘mãos solidárias’ para nos ajudar a manter o projeto, como também auxiliar na doação do material, comenta Cláudia. O grupo ainda se dispõe a levar material e ensinar a técnica a pessoas que sabem fazer crochê, mas não podem participar dos encontros semanais realizados pelo Agulhas do Bem.

Deixe uma resposta