Os 23 do Corinthians: Uma saga, uma noite e uma história do esporte

Basílio comemora um dos gols mais marcantes da história do futebol brasileiro. Depois de 23 anos, era o fim da angústia do Corinthians, uma história folclórica e tornada em poesia e música que completa 40 anos (Reprodução)

Noite de 15 de novembro de 2017. Depois de aplicar 3 a 1 contra o Fluminense dentro de casa, o Sport Club Corinthians Paulista alcançou o sétimo titulo brasileiro. Uma história construída com excelência num campeonato nacional em que gols e boas partidas estão em falta. Título merecido, diga-se, venceu o melhor e não se pode mentir.

É o segundo título em três anos, o terceiro na década, fruto de um trabalho misto de técnica e publicidade que mostrou-se pioneiro no Brasil, fazendo do clube uma espécie de grife para alguns, utilizando esta ferramenta em favor do seu elenco e de sua saúde monetária, sendo uma espécie de exemplo para outros clubes. E não é mentira, em aulas de marketing na faculdade de jornalismo, o Corinthians era case de aula e exemplo de trabalho com uma marca já consagrada entre seus torcedores.

O Cortinthians, assim como o futebol brasileiro, é parte integrante de elementos folclóricos que fazem do nobre esporte bretão nacional algo que desperte a curiosidade nos contos que escreveu desde os tempos de Charles Miller. Os títulos, os jeitinhos, as viradas de mesa e maracutaias, coisas que enriquecem este arquivo, sendo algumas motivo de orgulho ou de vergonha, claro.

Continuar lendo

Urda em A BOINA: As delícias de um país doce

Nas crônicas de Urda Alice Klueger em A BOINA, uma rápida volta à 1996, quando a escritora esteve dando voltas num simpático vizinho de América Latina, localizado no ponto central do mundo, famoso pela história, povo receptivo e pela altitude: O Equador (Reprodução)

(Urda Alice Klueger / crônica de1996)

Estou voltando de uma viagem pelo noroeste da América do Sul, e fiquei pensando sobre o que contaria primeiro para vocês. Aconteceram mil coisas e situações, vi coisas interessantíssimas, conheci inúmeras pessoas, de maneira que fica difícil escolher o que contar primeiro, mas o coração me manda falar sobre o Equador.

Nada sabemos sobre o Equador no Brasil. Viajei para lá com a fotocópia de um texto que dava dados técnicos sobre esse pequeno país, tipo população, área, língua, moeda, fuso horário, etc., mas que nada dizia sobre a doçura que encontraria lá. País cheio de vulcões e sujeito a terremotos (imagino que até os terremotos sejam doces por lá), o Equador é minúsculo, mas possui litoral rico (as Ilhas Galápagos fazem parte do seu território), está sobre os Andes, e desce, do outro lado, até à selva Amazônica, onde se situa o seu petróleo. Só conheci a parte andina, doce e verde parte andina, onde chove toda a tarde e tudo é de uma grande fertilidade.

Continuar lendo

All Doctors: Aplicativo que une saúde e tecnologia chega a Santa Catarina

(Camila Tibes / Oficina das Palavras)

(Reprodução)

Democratizar o acesso à saúde através de um sistema de economia compartilhada, onde o médico cobra um valor mais acessível preenchendo seus horários ociosos e o paciente busca, agenda e paga por consultas e exames com profissionais em qualquer horário ou dia de semana. Assim funciona o All Doctors, um aplicativo que busca trazer a praticidade e a evolução do mundo digital para a saúde. A plataforma intuitiva, que foi lançada em agosto de 2016 em São Paulo, chega agora em Santa Catarina, que será o segundo estado a receber o app. Inicialmente oferecerá atendimento na região do Vale do Itajaí e litoral, partindo em seguida para Florianópolis, Joinville e região Oeste.

Com preços que vão de R$ 79,90 a R$ 149,90, o aplicativo oferece ao paciente praticidade na hora de marcar uma consulta ou exame em qualquer horário ou dia de semana, de uma maneira rápida e eficiente, com apenas alguns cliques. Entre as vantagens oferecidas pelo sistema, além dos valores, é claro, o usuário também não enfrenta filas ou precisa ligar mais de uma vez em busca de um horário para a consulta. A tecnologia e o universo online sendo úteis também na área da saúde, explica Rafael de Sá, sócio e co-fundador do All Doctors. O aplicativo é uma forma de suprir as necessidades do paciente que não tem convênio e busca por uma alternativa viável financeiramente, já que não paga mensalidade ou taxa, apenas o valor da consulta ou exame.

Rafael de Sá e Súber Bernardes, criadores do aplicativo, no evento de lançamento (Alan Souza)

Já para o profissional, uma das vantagens é a financeira, pois o pagamento pelo aplicativo vai direto para ele, sem burocracia. Muitas pessoas não possuem mais convênio médico, já que os preços são altos e muitas vezes existe uma demora em localizar um profissional quando precisam de um atendimento. O mercado precisa de novas alternativas, tanto para o profissional quanto para o paciente. Na região de São Paulo, o sistema já está sendo utilizado por pessoas de várias faixas etárias e classes sociais, comenta Raphael Súber Bernardes, sócio e co-fundador do All Doctors. Outro benefício para o médico é a redução do no-show, pois o paciente paga antecipado.

Novembro Laranja: Um alerta para causas do zumbido no ouvido

Novembro não é apenas azul. A cor laranja vem alertar sobre um problema que parece pequeno, porém fora o incomodo pode estar ocultando um problema mais grave. Fique atento ao zumbido que pode estar no seu ouvido (Reprodução)

(Talita Catie / Presse Comunicação Empresarial)

Imagine o barulho frequente de uma cigarra ou de um apito no seu ouvido. É, no mínimo, estressante, não é mesmo? Mas acredite, 27 milhões de pessoas no Brasil convivem com esse inconveniente e somente 3% procuram ajuda. Para alertar sobre as causas e tratamentos do problema, em 11 de novembro é celebrado o Dia Nacional de Conscientização sobre o Zumbido.

O médico otorrinolaringologista Dr. Ruysdael Zocoli explica que tinnitus ou acufenos – como também é chamado o zumbido – é normalmente um sintoma de outras doenças. Hoje, 80% dos casos têm entre as causas mais comuns distúrbios metabólicos, problemas de coluna cervical, problemas otológicos e distúrbios de articulação temporo-mandibular, afirma.

Dr. Ruysdael Zocoli, otorrinolaringologista (Reprodução)

Segundo Zocoli, um levantamento do histórico familiar e exames como audiometria e de articulação temporo-mandibular podem ser o início para descobrir a origem do zumbido. Ele destaca que não existe tratamento milagroso para o problema, pois não é tratado diretamente o zumbido e sim a doença primária que gera o barulho persistente nos ouvidos.

O otorrinolaringologista conta o caso de uma menina com menarca aos nove anos, que teve crise de tontura e zumbido. O episódio se repetiu outras duas vezes, quando foi realizada uma ultrassonografia obstétrica que detectou um tumor benigno de ovário. A criança operou e cessaram os sintomas. O que este caso nos mostra é que desde que se dedique e investigue é possível encontrar a causa do zumbido e tratá-lo na origem, conclui.

Urda em A BOINA: O dia que descobri que amava meu pai

A tormenta da enxurrada de 1961 no Garcia, nas palavras de Urda Alice Klueger, em um relato emocionante no dia em que, em meio as notícias preocupantes e o lodo das águas, seu coração descobriu o amor pelo seu pai (Adalberto Day)

(Urda Alice Klueger)

1961. Eu só me dei conta que a coisa era séria mesmo quando ninguém foi para a aula. Estava no segundo ano primário, e para qualquer criança daquele tempo faltar a um dia de aula sem estar muito doente era um sacrilégio.

1961. Eu morava na Rua Antonio Zendron, em Blumenau, e enxurradas eram coisas comuns e corriqueiras. O ribeirão da nossa rua com facilidade transbordava nos dias de trovoada, e corria rua abaixo com toda a velocidade, e muitas vezes voltávamos da escola com água pelas canelas, segurando-nos nas cercas para que a enxurrada não nos carregasse.

Há que se lembrar que crianças de segundo ano ainda são pequenas, passíveis de serem levadas por águas furiosas. Um pouco mais adiante, creio que um ou dois anos depois, uma menina da nossa rua foi mesmo levada pela enxurrada e acabou morrendo. Era uma loirinha gêmea, e já não sei mais o seu nome. Mas lembro que seu corpo foi encontrado no terreno do seu Maneca dos Tubos, que ficara alagado com as águas do nosso ribeirão.

Mas estávamos em 1961, e a coisa estava sendo MUITO mais séria. Não era só o nosso ribeirão que transbordara: transbordara, também, o Ribeirão Garcia, que cortava todo o nosso bairro, e o Rio Itajaí, o grande Itajaí, que lá na aurora dos tempos escavara um Vale chamado Vale do Itajaí, onde era o nosso mundo.

Continuar lendo

Som n’A BOINA #25: 15 recordações de Ray Conniff

Ele começou a desvendar a música com um curso por correspondência com um mísero dólar. E nisso, virou um dos maiores de todos os tempos do mundo das orquestras do easy listering mundial. Já se vão 15 anos sem Ray Conniff, e o SnaB recorda-o em um especial de 15 melodias inesquecíveis (Reprodução)

Joseph Raymond Conniff. Americano de Altteboro, no estado do Massachusets, nascido no meio da Primeira Guerra, filho de um trombonista e de uma pianista. Fez um curso de música por correspondência com um mísero dólar e, ainda na adolescência, montou seu primeiro grupo musical.

Foi dessa forma simples e meio romântica que, aos poucos, Joseph Raymond virou, simplesmente, Ray. Ray Conniff, um garoto-prodígio que, anos mais tarde, ostentaria uma indefectível franja esbranquiçada, uma barba a lá Papai Noel e que traria na bagagem uma coleção de sucessos e reproduções de clássicos da música internacional inseridos no seu estilo musical marcante e que atravessou gerações.

Neste fim de semana, o SnaB presta a reverencia justa a este grande nome do easy listering que ia muito além do termo pejorativo de música de elevador. Do maestro que, com seu estilo e carisma, encantou um mundo inteiro e viveu encantado pelo Brasil, um dos países que mais visitou na vida. Isto tudo regado a uma viagem musical em 15 clássicos entre seus mais de 100 discos lançados em quase 50 anos de carreira.

Segure-se na cadeira e vamos juntos ao mundo S’Wonderful do inesquecível Ray Conniff.

Continuar lendo