Em Apiuna, ampliação a caminho da Ferrovia das Bromélias

Boas notícias nos trilhos da Ferrovia das Bromélias, em Apiúna: a sonhada ampliação do ramal turístico está a caminho, com as obras previstas para o ano que vem (Reprodução)

Para quem é entusiasta da história, do turismo e da epopeia da estrada de ferro no Vale, vem de Apiúna uma das notícias mais felizes da última semana. Foi anunciada em Rio do Sul, no último dia 16, a celebração de convênio entre o Estado e a União, por meio do Ministério da Defesa, para a recuperação de mais uma parte da Ferrovia das Bromélias, na localidade de Subida, único trecho da Estrada de Ferro Santa Catarina (EFSC) recuperado e em atividade.

Estimada em R$ 11,7 milhões, o trecho a ser recuperado fará a linha passar dos quase dois quilômetros atuais para próximo dos 16 Km, alcançando a localidade de Riachuelo, em Lontras. A obra será executada pelo Batalhão Ferroviário de Lages, do Exercito Brasileiro, e deverá ter cerca de um ano e meio de prazo de execução, conforme informou ao colunista Francisco Fresard (Pancho) o presidente da Associação Catarinense de Preservação Ferroviária (Tremtur), Carlos Ramiro da Silva.

A velha Baldwin 1920, nº 232, em uma de suas viagens. Com a ampliação, a capacidade de atendimento de turistas triplicará com a vinda mais três vagões e outras duas locomotivas alemães que já estão sendo restaurados (Reprodução)

Com o novo trecho, também deve aumentar a estrutura de operação da ferrovia. Segundo mais detalhes adiantados por Pancho, quando terminada a obra, a capacidade de recepção de turistas será triplicada com o restauro de mais três vagões e outras duas locomotivas alemãs que já está sendo conduzida pelos restauradores ligados a ABPF para se juntar a Baldwin americana 1920, nº 232 que atualmente opera no trecho.

Foi uma longa espera, não apenas dos entusiastas como também dos turistas e do governo de Apiúna, ansiosos pela notícia da ampliação há algum tempo. É um acerto se apostar no turismo ferroviário, recontando a história do crescimento econômico e rememorando no hoje os antigos encantamentos das máquinas a vapor de outrora, uma tendência também em outros rincões brasileiros, como São Paulo e Minas Gerais.

É claro que é um longo caminho a percorrer até ver grande parte da antiga malha ferroviária brasileira a plena novamente, mas a batalha e persistência de grupos de incentivadores e adeptos das estradas de ferro e locomotivas, por meio da ABPF tem, aos poucos, iniciado a merecida recontagem da história das ferrovias em Santa Catarina, antes simbolos do progresso e velocidade, hoje verdadeiros relicários sobre trilhos de tempos encantadores.

A Ferrovia das Bromélias está em operação desde 2011 fazendo ressoar o clássico apito da Maria Fumaça no Alto Vale. É o único trecho recuperado da EFSC em atividade. São 16 Km que partem de Apiúna, na localidade de Subida, até a estação Matador, em Rio do Sul, passando pela Usina de Salto Pilão. Os passeios são programados duas vezes por mês, dependendo da demanda de passageiros.

Para consultar as datas dos passeios e o trajeto exato basta dar uma voltinha pelo site da ABPF Santa Catarina, ou telefonar no (47) 3644-5077.

Deixe uma resposta