Uma jornalista entre artesãos: A história inspiradora de Roberta Koki

Do corre-corre dos bastidores de um jornal ao correr das réguas e tesouras sobre estampas e texturas, dando vida a peças únicas e recheadas de originalidade. Em A BOINA, o destaque de uma história além do jornalismo, mas de uma prazerosa atividade que fascina o olhar. Eis Roberta Koki, uma jornalista entre os artesãos. E mão cheia e criatividade não falta para ela (Arquivo Pessoal)

Dizem que, nos corre-corres da vida, sempre temos algo que nos é um escape do cotidiano agitado da nossa profissão. É necessário, quase via de regra para sua saúde física e mental e, dependendo da atividade, pode-se tornar mais um motivo para você ser reconhecido no lugar onde você está. Seja um trabalho voluntário na comunidade ou em outra atividade que, além de complementar a renda, lhe faz uma referencia na atividade que você considera um passatempo.

E nenhuma profissão escapa desta regra. O jornalismo também não. Quase todo o jornalista tem algum hobby ou atividade que o faz esquecer por momento daquela vida agitada como homem ou mulher da notícia. Jogar futebol ou volei, tocar, reger ou cantar numa banda; participar de atividades sociais ou em defesa dos animais, cozinhar, o que for. Serve para sumir temporariamente dessa correria louca e faz um bem inestimável para a mente.

Nestas andanças da profissão, conheci vários hobbies dos colegas jornalistas, que vão desde os esportes, o voluntariado ou as atividades manuais. Uma delas, desde meus tempos de RICTV Record, me chamou atenção, e é esta mesma que A BOINA traz como destaque nesta semana. Por trás da correria de pautas, residia na casa da Rua das Missões uma verdadeira artesã de mão cheia, com trabalhos que mostram a criatividade e graça nas estampas, linhas e objetos.

Continuar lendo

Blu, 167: Canções pra celebrar Blumenau

O progresso mora aqui
Blumenau, és razão de viver
O teu nome tem história
Blumenau, nunca vou te esquecer

Foi há 17 anos que as linhas do amigo jornalista Marcio Volkmann eram transformadas em música pela batuta do arranjador Edson Luis da Silva, convertendo-se assim na canção máxima da cidade. Na poesia de três estrofes com estribilho, o retrato fiel da cidade desenhada pelo leito do rio e cercada de verde, com povo gentil e trabalhador tal como seu fundador, que veio dos lados longínquos da então Prússia com um sonho na cabeça, o mesmo das 17 pessoas que aportariam aqui em 1850.

Aquele 2 de setembro de 2000 foi na ponta dos pés. A chuva chegou a tarde e melou um pouco a programação, mas a data, apesar de acinzentada, foi marcante e colorida como sempre, com o desfile recheado de bandeirinhas, música das fanfarras e o sorriso das pessoas em celebração de outro aniversário, o sesquicentenário para ser mais exato.

Continuar lendo

Gincaneiros arrecadam quatro toneladas de mantimentos para entidades

(Andressa Peixer)

Carrinhos de solidariedade. Gincaneiros das equipes da GCB, doações renderam quatro toneladas em alimentos para dez entidades da cidade. E as disputas da edição 25 estão apenas começando (Divulgação)

As provas sociais da 25ª edição da Gincana Cidade de Blumenau já estão movimentando os gincaneiros com o objetivo de ajudar quem precisa. Uma delas, a de arrecadação social, contou com a colaboração dos blumenauenses que doaram os mantimentos no supermercado Giassi. A prova que iniciou em junho e encerrou no último sábado, dia 8, resultou na coleta de quatro toneladas de alimentos e mais de três mil itens de higiene e limpeza.

Para o presidente da Liga dos Gincaneiros, Marcelo Spengler, além do trabalho dos integrantes das equipes, a parceria com a comunidade foi decisiva para a realização da prova. Quando se trata de ajudar o próximo, de cumprir as provas sociais, todos os gincaneiros se esforçam para atingir o resultado. E claro, mais uma vez, precisamos destacar o envolvimento da comunidade, pois só assim conseguimos alcançar o objetivo de juntar quatro toneladas de alimentos, ressalta.

Neste ano, 10 entidades receberam os donativos: Associação Blumenauense dos Deficientes Físicos (Abludef), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Casa de Acolhida São Felipe Neri, Ong São Roque, Comunidade Caridade sem Fronteiras, Associação de Amigos, Pais e Portadores de Mielomeningocele, Centro de Convivência Casa Santa Ana, Casa São Simeão, Associação Casa de Apoio a Mielo e Neoplasia e Associação Eurípedes Barsanulfo.

A Gincana Cidade de Blumenau surgiu em 1993 como forma de lazer saudável aos jovens blumenauenses. O tradicional evento reúne equipes próximo ao dia do aniversário de Blumenau, 2 de setembro. Nos meses antecedentes, os integrantes trabalham para cumprir as provas sociais, arrecadando mantimentos e participando de ações de doação de sangue, por exemplo. Como resultado, as toneladas de alimentos, roupas e demais itens arrecadados são distribuídos para instituições beneficentes da região.

Em 2017, ano em que comemora 25 edições, o evento acontece nos dias 2 e 3 de setembro no setor 3 do Parque Vila Germânica.

Grand Bazaar e Carne Doce agitam o Cafundó em julho

Fim de julho movimentado com grandes shows no Cafundó, em Blumenau. O primeiro, da turma animada do Grand Bazaar ai da foto (Divulgação)

(Nane Pereira)

Sonoridade cheia de cores, sotaques e sabores. No dia 21 de julho, às 22h, a banda nacional Grand Bazaar faz show no Cafundó Bar Cultural, em Blumenau. Na abertura, o público irá prestigiar apresentações de danças árabes com os bailarinos Dominique de Andrade e Leonardo Aroni, mais intervenções teatrais com o ator Leonardo Aroni. Com produção local da Stelar Produções.

Reconhecidos pelas apresentações contagiantes e bem-humoradas, a Grand Bazaar buscou inspiração na música cigana, italiana, judaica e em outras culturas dos países dos Balcãs e do Leste Europeu. Com dois discos gravados, Grand Bazaar (2014) e Grand Bazaar II (2016), a banda faz um passeio por músicas tradicionais do estilo e por composições autorais que flertam com o rock, o jazz e a música nordestina.

Continuar lendo

GCB: Gincaneiros realizam dia D da prova de doação de sangue

A boa ação que conta pontos: A disputa da Gincana Cidade de Blumenau já está correndo, e a doação de sangue, parte da competição, já está correndo nos dias D da tarefa (Divulgação/GCB)

(Andressa Peixer)

A prova de doação de sangue acontece todos os anos na Gincana Cidade de Blumenau. No ano em que comemora 25 edições não poderia ser diferente. As equipes já começaram a movimentação em fevereiro, antes mesmo da prova ser lançada. E segue até o dia 2 de setembro, data agendada para a final do evento.

Assim como aconteceu em 2016, o dia D da campanha foi dividido em duas datas: 1º e 8 de julho. A partir das 9h do dia 1º, três integrantes das equipes Amigos do Barney, Arromba, Capitão Caverna e Coringas estiveram no Hemosc de Blumenau para garantir a contribuição.

Continuar lendo

Monarquia em Blumenau: Sargento Junkes e o glorioso Reino do Garcia

Existe um país encravado dentro de Blumenau. Um lugar que, cansado de ser um distrito da cidade, resolveu se tornar uma independente, uma monarquia que já tem Rei, parlamento, comitiiiva e projetos para se tornar ainda mais forte: É a saudável brincadeira do Reino do Garcia, criação de Tiago Junkes, ou melhor Sargento Junkes, 30 anos, morador do Reino do Garcia desde sempre e apaixonado por seu lugar, histórias e personagens. E é ele que A BOINA procura para uma conversa diplomática (Reprodução / Sargento Junkes)

No sul de Blumenau, existe uma terra cortada por montanhas, bem servida de indústrias e comércio, com seus problemas urbanos corriqueiros mas que guarda uma história ímpar entre os tantos cantos da cidade-jardim. Nela, vivem mais de 70 mil habitantes, o que a tornam a porção de terra mais populosa do município, o que alimenta sonhos de grandeza e pertencimento únicos.

E se você acha que estou falando do Distrito do Garcia, está… enganado! Com tanta identidade incorporada nos moradores daquela porção de terra e montanhas, o segundo distrito de Blumenau ganhou tamanha personalidade que, nas línguas humorísticas, nada pode igualar a sua nobreza. E que nobreza! Tanta nobreza que, na boca da turma não existe mais Distrito, mas sim um Reino!

Popularizada pela cidade depois de uma bem-sucedida campanha do plano Boa Vida (assistência familiar da Haas, como diz o comercial do rádio), a história do Reino do Garcia é fruto da imaginação fértil do garciense Tiago Junkes… ou melhor, do Sargento Junkes, um apaixonado pela história e panoramas do Distrito que transformou a grandeza natural do sul de Blumenau numa irreverente sátira com Rei, parlamento, principados e uma porção de elementos que tornam impossível não abrir uma risada, sendo você do Garcia ou não.

E A BOINA, hoje timboense mas com origem e matriz nesta monarquia humorística, não podia deixar de passar a oportunidade de conversar com o Sargento e sua comitiiiva, para conhecer melhor este pequeno império e os elementos que o tornam tão poderoso e independente diante da cidade vizinha. Os personagens, os lugares e o que faz tão especial o glorioso, gigante e majestoso Reino do Garcia.

Esqueça a seriedade e conheça com o Sargento essa pequena-grande monarquia do mundo do humor… ou melhor, no mundo. Afinal, não vamos ofender o glorioso Kó, o monarca do Reino. Ele está lendo junto de vocês. Vamos lá!

Continuar lendo