Maternidade em A BOINA: Metáfora do Tombo

Descobrindo os caminhos da vida com alguns tombos pelo caminho. Assim como Bernardo, as várias crianças no mundo seguem os mesmos passos, mesmo com os joelhos esfolados de algumas quedinhas (Arquivo Pessoal)

(Josiane Caitano)

Nesta semana, o Bernardo caiu dois tombos no mesmo dia. Em uma das vezes bateu o rosto num móvel da casa, o que resultou num olho delicadamente roxo no dia seguinte. Na outra vez, menos de uma hora depois, uma pancada na quina da estante resultou no queixo esfolado. Os joelhos então… volta e meia estão esfolados.

O está com pouco mais de um ano e meio, em fase de aprender a firmar os passos. É difícil ver o filho cair e, pior, se machucar. Mas nem sempre temos como impedir, porque não há como mantê-lo sob nosso controle o tempo todo. Em tudo o que estiver ao nosso alcance, enquanto mães, nós devemos fazer, mas é preciso entender que cair também faz parte do aprendizado, do crescimento das crianças.

Continuar lendo

Maternidade em A BOINA: Ser mãe também é renúncia (mas tudo bem!)

(Reprodução)

(Josiane Caitano)

Não raramente ouço pessoas que se intitulam como independentes e que dizem que quando forem mães não vão deixar de fazer absolutamente nada do que fazem. Sinto informar, mas vai deixar sim. A maternidade exige que façamos algumas escolhas muito importantes (ou nem tanto, depende do ponto de vista), o que não significa, necessariamente, que isso seja ruim.

Muitas vezes a gente faz uma escolha ao invés de outra e o que era bom dá espaço para algo melhor ainda, capaz de preencher todos os espaços da sua mente e do seu coração, espaços que você nem sabia que existiam. E tudo se completa.

Aliás, você até passa a se perguntar como passou tanto tempo da sua vida sem aquela pessoinha linda para acordar no meio da noite e te chamar de mamãe, correr ao seu encontro após um dia de trabalho, dar aquele sorriso lindo cada vez que te vê. Não há uma explicação para isso. A gente apenas vive e sente.

Continuar lendo

O jornalismo voltado ao bem estar e a saúde no Vale: Eis o Saúde da Gente

(Info: Josiane Caitano)

Um novo endereço para as notícias da saúde no Vale: Eis o Saúde da Gente, novo projeto da jornalista Josiane Caitano, colunista de A BOINA e que já está no ar desde a última semana (Reprodução)

Um portal de notícias especializado nas áreas de saúde e bem-estar, que visa proporcionar informação de qualidade e contribuir com a vida da comunidade . Parece esboço de um futuro e necessário projeto para um público sedento de caminhos quando o assunto é o cuidado conosco e com nossos próximos. No entanto, no Vale do Itajaí isto não é mais uma ideia, e sim um negócio concreto, nas mãos de uma das amigas de A BOINA, cuja competência já é comprovada na coluna Maternidade e em vários trabalhos anteriores como assessora.

Fruto do idealismo da jornalista e mãe Josiane Caitano, colunista de A BOINA, foi lançado no último dia 20 de setembro o portal Saúde da Gente, voltado as questões de saúde, bem-estar e cuidados direcionados ao público do Vale.  Além de Josi, também trabalha no projeto o jovem e experiente publicitário João Batista de Moura, responsável pelo setor comercial do portal.

Continuar lendo

Maternidade em A BOINA: Tem brinquedos pela casa? Tem sim sinhô!

(Reprodução)

(Josiane Caitano)

Nunca fui muito exigente com organização, sempre achei que o essencial é o suficiente (para tudo). Com o nascimento de um filho a gente fica menos preocupada com esse tipo de coisa. A minha sogra sempre diz que se o Bernardo está fazendo bagunça está tudo certo. Isso é um ótimo sinal. Tudo dentro da normalidade, conta. E eu só posso concordar (risos).

Que felicidade poder brincar com meu filho e ver ele se divertir na nossa casa. Para mim, essa alegria é bem maior do que o sentimento de casa arrumada. Nós poderíamos manter tudo no lugar, deixar tudo brilhando, mas para quê? Amanhã a gente arruma, quando der a gente arruma. Se tivéssemos feito isso, dado valor à casa arrumadinha, não teríamos nos divertido tanto.

Aqui tem brinquedos pela casa sim. Mas também tem brincadeira, amor, alegria, calor humano e família feliz. E isso não tem preço e nem casa arrumada que pague!

Maternidade em A BOINA: Porque ele é “a cara o pai”

Leandro, Josiane e o pequeno Bernardo… e aquela história de quem o filho é o xerox do pai, de tão clássica não passa de papo fático diante das boas coisas que ele pode similar dos pais (Arquivo pessoal)

(Josiane Caitano)

Desde que o Bernardo nasceu, todo mundo diz que ele é parecido com o pai dele. E é mesmo. Desde então também ouço: É difícil né… a mãe carrega o bebê por nove meses na barriga e ele sai a cara do pai.

Gente, qual o problema nisso? Afinal, ele é o pai. Existem coisas muito mais importantes do que parecer fisicamente com um ou com outro (os valores que vamos passar para o nosso filho, por exemplo). E tem mais: é um orgulho saber que o Bê se parece com o Leandro, já que eu amo o pai do meu filho.

Continuar lendo

Maternidade em A BOINA: Sobre ser mãe de menino

Miguel e sua mãe, Sheila (Arquivo pessoal)

(Josiane Caitano)

O Miguel é meu afilhado. Ele tem dois anos e meio e gosta de brincar de boneca e de fazer comidinha. Filho da minha irmã, ele tem todo o apoio de uma mãe cabeça aberta que não vê problema algum nisso. Ela é corajosa. Embora hoje a sociedade já esteja um tanto mais aberta a essas questões, ainda é muito difícil para muitas pessoas ver isso com naturalidade.

Em um tempo em que muito se fala sobre empoderamento feminino, sobre o espaço conquistado pelas mulheres no mercado de trabalho e as lutas pela igualdade de gênero, ser mãe de menino é uma grande responsabilidade também. Não basta ensinar as meninas, educá-las para buscar seu lugar no mundo, a serem protagonistas de suas histórias, a se valorizar. É preciso preparar os meninos para isso, para que toda essa questão seja vista de forma mais natural no futuro.

Continuar lendo