Liceu d’A BOINA: Aberto o espaço de arte mais democrático da internet

Um espaço para a arte, para o lado artista que há dentro de cada um. Literatura, artes plásticas, pintura, música, dança… está aberto o Liceu d’A BOINA, e você ajuda a construir este espaço (Arquivo)

Arte. De todas as formas e expressões. De todas as linguas e ideias. Arte que está presente em nós nas mais variadas formas, produtos e realizações. A arte não escolhe lugares, não escolhe pessoas, não escolhe formas, ela simplesmente aparece e deslumbra a quem a vê com olhos livres de vicios e padrões antiquados.

A arte merece espaço, e A BOINA não poderia mais ficar fora deste universo, cercada de todas as formas de produção e expressão que ela produz em todos os cantos do mundo. E neste intuito, e na busca de renovar os conteúdos que aqui são publicados que embarcamos num novo espaço, aberto a todos que fazem da arte uma parte de sua vida: Eis o LICEU D’A BOINA (LdaB).

A proposta deste projeto é simples e direta: um espaço para todos que tem uma manifestação artística para mostrar ao mundo em todos os segmentos. Literatura (produções e críticas literárias), artes plásticas, pinturas, música, dança, iniciativas artísticas, o que for. Tudo que emane no ambiente a inspiração dos seus autores e o deslumbre de suas criações. Que sirva de motivador para quem tem dentro de si uma manifestação reprimida artístico-cultural que carecia, apenas, de um espaço.

É nesse embalo, com cores, rimas e melodias, que A BOINA abre oficialmente o seu espaço mais artístico, não só para ela, mas para todos que, na cuca, trazem criatividade e inspiração. Está aberto o LdaB, e você faz a exposição.

Envie seus trabalhos para: blogaboina@gmail.com

Entre em contato: (47) 99916-1560 / facebook.com/blogaboina

Cerveja e história: A história do universo cervejeiro na obra de Soila Freese

(Nane Pereira)

Totalmente renovada, uma aventura na história cervejeira do Vale em todos os seus momentos. Em dezembro, chega à Blulivro a segunda edição de Ein Prosit Blumenau, produzido pela jornalista e amiga de A BOINA, Soila Freese (Roberto Lanznaster)

Produção de cerveja, memórias e boas histórias para contar. No dia 7 de dezembro, às 19h30, a jornalista e escritora Soila Freese lança a 2ª edição do livro Ein Prosit Blumenau. A obra reúne a história das primeiras cervejarias da então colônia Blumenau, por meio de registros e memórias de amigos, filhos e netos de mestres-cervejeiros. O evento ocorre na Livraria Blulivro, no Shopping Park Europeu, em Blumenau, e a entrada é gratuita e aberta a comunidade. O livro custa R$ 29,90.

A primeira edição do livro ‘Ein Prosit Blumenau’ foi lançada em 2008, em uma versão bastante singela, mas rica em conteúdo. Agora a obra chega em sua segunda edição totalmente reformulada, onde o material passa a ser visualmente mais atrativo, explica Soila Freese. O texto foi editado, passou por nova correção ortográfica, novas informações e material de pesquisa foram adicionados e o projeto gráfico foi totalmente reformulado. Está mais colorido e destaca também fotos, rótulos e documentos levantados durante a pesquisa, acrescenta a autora.

Continuar lendo

Novidades e situação de momento: Uma mensagem de A BOINA

O momento, novidades… A BOINA não para. E, para isto, uma mensagem aos amigos!

Bem, amigos, já devem ter notado que, ultimamente, as coisas andam meio irregulares em A BOINA. o Gramming & Marbles (G&M) anda parado, o Videotape n’A BOINA (VTnaB) sumiu e as postagens diárias se tornaram raras, culpa (boa culpa, diga-se) da rotina corrida no desafio da PG2, como já contei há algum tempo para vocês.

Pois bem, antes que possam me perguntar, não estou em vias de fechar o blog, nada disso! O que acontece, pura e simplesmente, é um processo lento de mudanças e recolocações de edição e entrada de pautas. Mas nada que possa dar a impressão que este espaço está fechando. São dois anos em busca de trazer a todos a informação com conteúdo, com leveza e possibilidade de recordar, aprender, conhecer e descontrair a mente de uma forma sadia. Tem sido sempre esta a proposta de A BOINA e nunca deixará de ser.

Novidades estão a caminho. Novos parceiros, novos espaços e novas formas de eu e dos amigos do blog se comunicarem para você, leitor e leitora. E tudo isto eu explico no audio abaixo, para melhor entenderem o momento de vida que estou.

É meio longo, admito, 11 minutos, mas peço que ouçam. Coisas boas virão e este blog não vai fechar, Disso podem ter certeza!

(Áudio gravado no dia 15 de novembro de 2017)

Em Apiuna, ampliação a caminho da Ferrovia das Bromélias

Boas notícias nos trilhos da Ferrovia das Bromélias, em Apiúna: a sonhada ampliação do ramal turístico está a caminho, com as obras previstas para o ano que vem (Reprodução)

Para quem é entusiasta da história, do turismo e da epopeia da estrada de ferro no Vale, vem de Apiúna uma das notícias mais felizes da última semana. Foi anunciada em Rio do Sul, no último dia 16, a celebração de convênio entre o Estado e a União, por meio do Ministério da Defesa, para a recuperação de mais uma parte da Ferrovia das Bromélias, na localidade de Subida, único trecho da Estrada de Ferro Santa Catarina (EFSC) recuperado e em atividade.

Estimada em R$ 11,7 milhões, o trecho a ser recuperado fará a linha passar dos quase dois quilômetros atuais para próximo dos 16 Km, alcançando a localidade de Riachuelo, em Lontras. A obra será executada pelo Batalhão Ferroviário de Lages, do Exercito Brasileiro, e deverá ter cerca de um ano e meio de prazo de execução, conforme informou ao colunista Francisco Fresard (Pancho) o presidente da Associação Catarinense de Preservação Ferroviária (Tremtur), Carlos Ramiro da Silva.

Continuar lendo

Os 23 do Corinthians: Uma saga, uma noite e uma história do esporte

Basílio comemora um dos gols mais marcantes da história do futebol brasileiro. Depois de 23 anos, era o fim da angústia do Corinthians, uma história folclórica e tornada em poesia e música que completa 40 anos (Reprodução)

Noite de 15 de novembro de 2017. Depois de aplicar 3 a 1 contra o Fluminense dentro de casa, o Sport Club Corinthians Paulista alcançou o sétimo titulo brasileiro. Uma história construída com excelência num campeonato nacional em que gols e boas partidas estão em falta. Título merecido, diga-se, venceu o melhor e não se pode mentir.

É o segundo título em três anos, o terceiro na década, fruto de um trabalho misto de técnica e publicidade que mostrou-se pioneiro no Brasil, fazendo do clube uma espécie de grife para alguns, utilizando esta ferramenta em favor do seu elenco e de sua saúde monetária, sendo uma espécie de exemplo para outros clubes. E não é mentira, em aulas de marketing na faculdade de jornalismo, o Corinthians era case de aula e exemplo de trabalho com uma marca já consagrada entre seus torcedores.

O Cortinthians, assim como o futebol brasileiro, é parte integrante de elementos folclóricos que fazem do nobre esporte bretão nacional algo que desperte a curiosidade nos contos que escreveu desde os tempos de Charles Miller. Os títulos, os jeitinhos, as viradas de mesa e maracutaias, coisas que enriquecem este arquivo, sendo algumas motivo de orgulho ou de vergonha, claro.

Continuar lendo

Urda em A BOINA: As delícias de um país doce

Nas crônicas de Urda Alice Klueger em A BOINA, uma rápida volta à 1996, quando a escritora esteve dando voltas num simpático vizinho de América Latina, localizado no ponto central do mundo, famoso pela história, povo receptivo e pela altitude: O Equador (Reprodução)

(Urda Alice Klueger / crônica de1996)

Estou voltando de uma viagem pelo noroeste da América do Sul, e fiquei pensando sobre o que contaria primeiro para vocês. Aconteceram mil coisas e situações, vi coisas interessantíssimas, conheci inúmeras pessoas, de maneira que fica difícil escolher o que contar primeiro, mas o coração me manda falar sobre o Equador.

Nada sabemos sobre o Equador no Brasil. Viajei para lá com a fotocópia de um texto que dava dados técnicos sobre esse pequeno país, tipo população, área, língua, moeda, fuso horário, etc., mas que nada dizia sobre a doçura que encontraria lá. País cheio de vulcões e sujeito a terremotos (imagino que até os terremotos sejam doces por lá), o Equador é minúsculo, mas possui litoral rico (as Ilhas Galápagos fazem parte do seu território), está sobre os Andes, e desce, do outro lado, até à selva Amazônica, onde se situa o seu petróleo. Só conheci a parte andina, doce e verde parte andina, onde chove toda a tarde e tudo é de uma grande fertilidade.

Continuar lendo