Catedral: Seis décadas (de tantas mais) no coração da XV

No alto da colina, entre as Ruas XV, Padre Jacobs e 7 de Setembro, uma imponente casa religiosa é a testemunha viva de várias mudanças no centro blumenauense ao longo dos anos. Mais precisamente,
seis décadas assistindo o dia-a-dia da cidade-jardim, sempre com sua elegância e modernismo fruto de um trabalho de pai e filho. São os 60 anos da atual Catedral de São Paulo Apóstolo, celebrados com alegria e recordação de tempos de persistência e revolução (Jaime Batista)

Sua imponência é inegável, foi feita para representar a posição de liderança que exerce, especialmente hoje, como principal templo católico da cidade. Está na mesma colina histórica que, há mais de 150 anos, fora erguida a primeira capela pelos primeiros alemães católicos incentivados pelo Pe. Alberto Gattone, sacerdote gasparense que atuava na cidade. E, tão além de templo, é o mais marcante dos cartões postais da cidade, uma velha observadora do centro blumenauense que usa a mesma roupa moderna desde 1958.

No último dia 25, com celebração solene e grande festa, as principais autoridades católicas de Blumenau recordaram os 60 anos da nova Catedral de São Paulo Apóstolo. Diz-se nova para não confundir-se com a história completa da comunidade que existe desde 1854, apenas quatro anos após a fundação da colônia e que, em 1958, concluía a construção da nova igreja, uma espécie de cenáculo moderno de arquitetura única em todo o país.

Continuar lendo

Anúncios

Bolo tributário: A importância da fiscalização dos impostos pela população

Você sabe quanto impostos você paga? Se ainda não, você pode conhecer todos eles de uma forma bem lúdica e, claro, saborosa, na nona edição do Bolo Tributário, na escadaria da Catedral São Paulo Apostolo (Jaime Batista)

(Sabrina Santos / Presse Comunicação Empresarial)

Mostrar a importância de acompanhar os representantes eleitos e onde os recursos públicos são aplicados, é o principal objetivo da 9ª edição do Bolo Tributário. O evento, organizado pelas entidades empresariais, órgãos públicos e os sindicatos patronais de Blumenau e região, marca o Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte e ocorre nesta quinta (25/05) na escadaria da Catedral São Paulo Apóstolo, no centro de Blumenau. Serão distribuídas fatias de tradicional bolo, contendo a inscrição de todos os impostos, taxas e contribuições pagos pela sociedade.

O Bolo Tributário é realizado anualmente pelas entidades para conscientizar a população sobre a alta carga tributária paga pelos contribuintes, e conta com a participação de cerca de 30 entidades empresariais e sindicatos patronais de Blumenau e região. Neste ano, o bolo irá pesar 150 quilos e será decorado com os 40 principais impostos da lista.

Continuar lendo

Urda em A BOINA: O movimento hippie passou pela minha cozinha

(Reprodução)

Hippies! Cabeleiras ao vento, pensamentos de paz e amor e uma vida tranquila, sem destino e cheia de filosofia. Este simpático movimento que também já passou por Blumenau descrito pelos olhos de Urda, que os vira passar e conviver diretamente em animadas noites de jantar e conversa no apertamento em que vivia com a irmã na XV (Reprodução)

(Urda Alice Klueger)

Às vezes, pessoas jovens com quem convivo me perguntam se eu fui hippie. Eu fico me questionando: fui? Não fui? Bem, eu não botei a mochila nas costas e fui para as estradas, como os hippies faziam, nem sentei em praças a fazer artesanato, nem vivi em fazendas comunitárias – na verdade, em todo o tempo em que as coisas estavam acontecendo, eu continuei a levar uma vida de pequena burguesa, em Blumenau, primeiro estudando, depois trabalhando e estudando, e sei que o meu pai jamais deixaria que eu botasse a mochila nas costas e saísse pelo mundo.

Por outro lado, eu estava ligadíssima em tudo o que acontecia: era adolescente quando chegaram as primeiras notícias sobre o movimento hippie, e quase fiquei adulta antes que ele terminasse. Minhas antenas estavam todas voltadas para aqueles jovens que estavam botando em xeque todos os valores pré-estabelecidos, que estavam derrubando tabus e preconceitos, e tudo o que eu queria na vida era ser como eles. Na verdade, absorvi ao máximo a filosofia hippie, e quando me perguntam se fui hippie ou não, acabo pensando cá comigo : De uma certa forma, eu sou hippie até hoje!

Continuar lendo

Urda em A BOINA: Churrasco de Igreja

Churrasco de festa de igreja; O inigualável (Reprodução)

Churrasco de festa de igreja; O inigualável (Reprodução)

(Urda Alice Klueger)

Aquele aroma vem lá da minha infância mais antiga, do tempo em que ainda não tinha quatro anos, e é inesquecível e incomparável. Em dias de festa, e houve alguns naquele período em que começo a lembrar das coisas, meu pai fazia o perigoso braseiro no chão do rancho, rodeado por alguns tijolos, e meninas pequenas como eu ficavam proibidas de aproximar dali um dedinho que fosse.

O fogo, assim como a água, continuam exercendo seu fascínio atávico sobre o ser humano, e ainda me lembro muito bem do rubor daquelas brasas vivas e perigosas, que logo eram cobertas pela grelha de ferro, utensílio importantíssimo naqueles tempos remotos – e que continua a existir, principalmente em festas de igreja.

Continuar lendo